16.12.09

Pedro: esta é para ti.

Only you know me..


Robbie Williams

8.12.09

5.12.09

É inevitavel..

Àrvore montada e enfeitada. Presépio em exposição na sala. Nos centros comerciais já nem se pode andar. Já temos as fotografias da pequena com o barbudo vestido de vermelho (que este ano parece que fez dieta e não tem barriga nenhuma). Já não se consegue ver um bocadinho de televisão, sem que te invadam o televisor com brinquedos de toda a forma e feitio (e aqui a mandona diz que gostava de ter todos!!). No colégio ensaiam os pequenotes para a festa e a minha filhota vai ser a ovelha. Aprenderam músicas alusivas à quadra. Começam as preocupações com as (poucas) prendas que este ano temos de comprar. É um sentimento contraditório. Adoro o Natal, mas confesso que já vou tendo muito pouca paciência. Vibro com a decoração da àrvore, mas já me rendo a uma coisa qualquer. Gosto (sempre gostei muito) do mês, dos dias que antecedem e dos que sucedem, dos preparativos, da comida, do sentimento que esta quadra deveria provocar nas pessoas.. e custa-me um bocado (para não dizer um bocadão!) que, de ano para ano, esteja a perder toda a magia. A culpa não é só minha, bem sei. As pessoas já têm uma vida bastante complicada o resto do ano e a minha não é excepção. Talvez seja por isso que já não ligue assim muito ao que antes me deixava com o coração aos pulos.
Se calhar estou a transformar-me numa espécie de Scrooge e não tarda aparecem-me os fantasmas para me fazer ver o quão enganada estou.. e que, de facto, a época natalícia é a melhor do ano. Mas isso, já era Dickens a mais.. :)
Por isso, por ser inevitavel este contágio natalicio, este blog também se vestiu para saudar a chegada do Natal. É assim.. já é Natal outra vez.

28.11.09

Parabéns às manas (mulheres da minha vida)!

Uma fez cinquenta no dia vinte e três. Outra faz quarenta e oito hoje. Quando forem as duas, velhas chatas, de bengala, impossíveis de aturar, eu também não vou para nova! Tadinha da minha filha.







[anda uma mãe a por filhas no mundo, para um dia mais tarde ter de trocar as Lindor às velhotas!!]

27.11.09

A justiça portuguesa é assim uma coisa..

Hoje fui ao tribunal. Supostamente, na qualidade de testemunha do Ministério Público. O nome do réu era estrangeiro e não me dizia absolutamente nada. Mas, como funcionária do aeroporto, volta e meia acontecem situações com os passageiros, que nos fazem ter de ir ao tribunal.. por isso, ia tranquila. Era do trabalho, de certeza.
Quando lá cheguei e entrei na sala de audiências é que fiquei a saber que não ia pelo que pensava ir. Afinal, ia como testemunha de uma agressão (por acaso de um passageiro) a uma colega minha. Mas, a queixosa não se encontrava na audiência. O Sr Juiz perguntou-me se sabia como comunicar com ela. Anui. Liguei 2 vezes e não atendia. Devia estar a trabalhar. Liguei para o trabalho e lá me puseram ao telefone com ela.
Óh miga! Então não vens ao tribunal?
Tribunal? Mas que tribunal? Mas porque?
Conclusão: marcam uma audiência, convocam testemunhas, mandam vir uma advogada do ministério público de Lisboa, marcam video-conferência com o holandês agressor, contratam uma guia-interprete que fale holandês e português. Estão um Juíz, dois advogados, a advogada do ministério público, um administrativo e um oficial de justiça às voltas com a video-conferência na sala, menos a queixosa, porque se esqueceram de a notificar. Não é uma maravilha?
Então, lá vem a rapariga a deitar os bofes pela boca, do trabalho até ao tribunal, com uma camada de nervos em cima por não saber muito bem o que se passava, para entrar na sala e o Sr Juiz quase lhe pedir com todas as letras e por favor que desistisse da queixa porque o processo não ia dar em nada, só ia dar trabalho e gastos ao estado português. Espetáculo.

20.11.09

Veni, Vidi, Vici.. ou Il's sont fous cettes romains!!

[Nota: este post é longo, é um report de uma viagem a Roma. Originalmente, o post continha imagens pelo meio, para ilustrar os sitios onde passámos. Devido a problemas no browser, não consigo introduzi-las. Sendo assim, no final do post, passa um slide com as fotos que cá deveriam estar, pela ordem em que os acontecimentos sucederam!]

A nossa aventura por Roma começou no dia 10 de Novembro de 2009. Qual Asterix e Obelix, fizemos as trouxas (que é como quem diz um malão de 20 kgs e um trolley de mão) e partimos do Aeroporto da Portela por volta das 15h.
Fizemos o baptismo com a EasyJet e ficámos contentes com o serviço. É claro que a bordo só não vendem as senhoras mães da tripulação, mas tendo em conta o preço, a viagem faz-se bastante bem.. e o melhor de tudo: uma aterragem PERFEITA em chão italiano. A melhor aterragem que já fiz até hoje.
Este foi o bichinho que nos trouxe para Itália. Um Airbus A-319, apinhado de italianos (que falam alto), que parecia estar em bom estado e que voou sob um céu azul, poucas vezes nublado e tranquilo.

Chegámos ao aeroporto Leonardo Da Vinci – Fiumicino antes da hora prevista de aterragem e foi tudo muito rápido até irmos apanhar a bagagem e sair para o atrio das chegadas, onde deveríamos procurar pela empresa de transfers que nos levaria ao hotel. Connosco na carrinha veio um casal de americanos (de Seattle) bastante simpáticos, que conversaram o caminho todo. A nossa estadia em Roma por cinco dias é coisa de meninos, para estes dois ‘grandes malucos’ que estariam por cá 25 dias, para fazerem um cruzeiro até à Turquia.

O ‘palácio’ [Waldorf B&H] que escolhemos para dormir em Roma fica um pouco longe do centro. A estação de metro mais próxima do hotel, Cornélia, é a penúltima da linha A. Contudo, facilmente estamos em qualquer parte de Roma a partir daqui. Não é, de todo o melhor hotel onde já tenhamos estado, mas pelo preço que pagámos, creio que não ficámos mal servidos. Apenas o pequeno-almoço deixa um bocadinho a desejar, uma vez que a variedade não é muita..

Bem.. o nosso primeiro dia (a sério) em Roma começou bem cedo. Por volta das 9h da manhã já estávamos no metro, para sair em Termini. A intenção era comprar os nossos Roma Pass para poder andar pelos transportes e entrar nos primeiros dois museus de borla e nos restantes com descontos. Assim que comprámos os passes, lá fomos nós à descoberta da cidade eterna.

Primeira paragem: Colosseo. Assim que se saí do metro e olhamos para a frente ficamos boquiabertos! Como é que uma coisa tão grande pode ser construída assim pelos homens que tão poucos recursos tecnológicos possuíam? Este anfiteatro (o maior de Roma) foi mandado construir pelo imperador Vespasiano e facilmente dava acesso a cerca de 55 mil pessoas para assistirem aos combates mortais entre os gladiadores e às lutas entre os animais selvagens. É, de facto, uma construção de grande beleza.

  As filas para entrar no Colosseo são enormes, mas graças ao Roma Pass, a entrada é directa. Aproveitámos para que fosse a nossa primeira entrada à borla, uma vez que inclui o Palatino e o Foro Romano também no mesmo bilhete. Para os que ainda não visitaram o Coliseu, aqui vai uma dica: Cuidado com aqueles rapazes que se vestem de gladiadores e depois cobram os olhos da cara por uma fotografia. Serve a presente dica para qualquer local turístico em Roma, onde os ‘gladiadores’ parecem cogumelos!

Saindo do coliseu e poucos passos depois, entramos no Palatino. Mais parece um parque coberto de pinheiros e flores, um local muito agradável para se passear. Aqui, podemos ver o Templo de Cibele, a Casa de Lívia, a casa de Augusto, a Domus Augustana, as cabanas de Rómulo, o Stadium, a Domus Flavia e também o Museu do Palatino (que infelizmente se encontrava fechado).


Ao lado do Palatino fica o Foum Romano. O Forum era o centro da vida política, jurídica e comercial de Roma antiga. Lá podemos ver variados templos, o Arco de Sétimo Severo, a via Sacra, a casa das Virgens Vestais e a Basílica de Constantino.

Quando acabámos a visita, eram horas de almoçar e resolvemos ir de metro até à zona da Fontana di Trevi. Apanhámos o metro até Barberini e descemos as ruas até encontrar a famosa fonte. Almoçámos na Via Barberini, junto da Fontana del Tritone, num restaurante snack-bar muito simpático. Um prato de penne à l’arrabiata e um prato de pasta com fiambre, ervilhas e natas, mais uma pizzeta mozarella e prosciutto e duas coca-colas custou cerca de 17€.

As ruas que circundam a Fontana di Trevi são muito movimentadas, obviamente. Não fosse esta fonte uma das maiores atracções turísticas de Roma. Diz a tradição que devemos atirar uma moeda, por cima do ombro e de costas para a fonte para que seja certo o nosso regresso a Roma. Não cumprimos a tradição porque temos a certeza que voltaremos a Roma. :)

As ruas apinhadas de gente são óptimas para o tradicional comércio de rua, especialmente de lojas de ‘recuerdos’. E aqui, os chineses batem os recordes de lojas abertas. Podemos encontrar o que quer que seja para recordar a nossa passagem por Roma. É claro que também prolifera o mercado clandestino. E assim muito regateado podemos trazer para casa imitações de malas e carteiras de marcas conhecidas, como D&G, Channel, Prada, Gucci… tudo, claro, desde que a Polizia de Finanzia não nos apanhe a comprar e os vendedores a vender!!

Comprámos os nossos primeiros gelados italianos numa dessas ruas e fomos caminhando e apreciando as vistas, até à Piazza di Spagna. Esta praça (considerada o centro de Roma) tem a forma de uma gravata e é rodeada de casas altas pintadas de ocre, creme e castanho-claro. Junto da praça, podemos ver a Fontana della Barcaccia, considerada uma das menos vistosas fontes barrocas de Roma, projectada por Bernini. Quando lá chegámos, pudemos admirar que a Piazza di Spagna se encontrava ‘mascarada’ em homenagem à queda do muro de Berlim. Sinceramente, fiquei um bocadinho decepcionada, pois gostava mais de a ver ao natural.

  Resolvemos descer a famosa Via Condotti, onde as marcas de luxo abrem as portas. Dior, Bvlgari, Ferrari, Armani, Versace e por aí fora, quase todas as grandes casas de moda, joalharia e produtos de luxo estão nesta rua, de nos fazer babar nas montras.

Voltámos para a Via del Corso, a caminho da Piazza del Popolo e a meio encontrámos a Igreja de Santi Ambrogio e Carlo al Corso.Esta igreja pertenceu à comunidade lombarda em Roma e é dedicada a dois bispos canonizados. Uma galeria por detrás do altar conduz à capela que abriga o coração de São Carlos, num relicário ricamente decorado.

   Descendo até ao fim da Via del Corso, entramos na Piazza del Popolo, uma praça ampla, com um obelisco egípcio no centro e se olharmos para o início da via del Corso, podemos admirar as famosas igrejas gémeas (Santa Maria dei Miracoli e Santa Maria in Montesanto), por estes dias encerradas para trabalhos de recuperação.Na praça, um senhor de etnia indiana, com a conversa do ‘ciao bella’, espetou-me com três rosas na mão e convidou o meu marido a dar-lhe qualquer coisa por isso.. aprendemos a lição: eu nunca mais aceito nada do que me vierem dar e o meu esposo nunca mais abre a carteira para mostrar que tem notas. Foram 5 euros pelas rosinhas!! Daí, foi só apanhar o metro na estação Flaminio e num instante estávamos a caminho do hotel, porque o dia tinha sido longo e as pernas já doíam. Em Cornelia ainda entrámos num café para dois chocolates quentes.. humm.. verdadeiramente deliciosos!

O dia seguinte (o 3º em Roma) começou cedo. Apesar de as pernas doerem da caminhada do dia anterior, estávamos em pulgas para o que se seguia: Vaticano.

Saímos na estação Ottaviano e descemos a Via Ottaviano até à Piazza Risorgimento. Daí até à Praça de São Pedro são dois passos. Quando lá chegámos foi difícil manter a boca fechada e o pescoço em baixo.. a praça é absolutamente deslumbrante.


Local onde São Pedro foi martirizado e enterrado, o Vaticano tornou-se a residência dos papas que lhe sucederam. As decisões tomadas aqui têm influenciado a Europa ao longo dos séculos e a grandiosa Basílica de São Pedro atrai peregrinos de todo o mundo. As magníficas esculturas clássicas, os tectos da Capela Sistina (com os frescos de Miguel Ângelo) e as salas de Rafael, fazem do Museu do Vaticano um dos melhores de Roma. A situação do Vaticano enquanto Estado dentro de outro Estado, foi definida pelo Tratado de Latrão em 1929 e marcada pela construção de uma rua nova, a Via della Conciliazione, que vai de São Pedro ao Castelo de Sant’Ângelo, monumento construído como mausoléu do imperador Adriano, que foi fortaleza e prisão papal.

A riqueza dentro da Basílica de São Pedro é assombrosa. No século II, foi eregido um santuário no local do túmulo de São Pedro. A primeira basílica foi encomendada pelo imperador Constantino (que se converteu ao Cristianismo). No século XV estava a desmoronar-se e, em 1506 o papa Júlio II colocou a primeira pedra da nova igreja. Levou mais de um século a ser construída e todos os grandes arquitectos renascentistas e barrocos de Roma participaram no projecto.

A caminho do interior da Basílica, o Vaticano não brinca e coloca seguranças a rastrearem pessoas e objectos, através de máquinas de rx. E o vestuário dos visitantes também não pode ser descurado.. não faríamos boa figura junto da famosa guarda do Vaticano, tão bem vestida! :)

Uma vez dentro da Basílica, podemos ir visitar as Grutas, local onde estão sepultados os papas, entre os quais o Papa João Paulo II. Devo confessar que é um momento de muita emoção quando encontramos o túmulo dele, uma vez que é um dos mais simples (comparado com a grandeza e o luxo que se respiram dentro daquele solo sagrado) e é o único que tem local para oração.

Pela módica quantia de 7€ cada bilhete, podemos subir à cúpula da basílica, que confesso ser, uma odisseia! :) Lá fomos subir como se não houvesse amanhã e, hoje, sei que posso exclamar vitoriosa: «Eu sobrevivi aos degraus da cúpula da Basílica de São Pedro!». Lá de cima, a vista é realmente maravilhosa.

Depois de vista a Basílica, as grutas e a vista lá de cima, foi a vez do Museu do Vaticano. É só andar alguns metros e já lá estamos. É, de facto, um grande museu, com obras lindíssimas e importantíssimas. É uma aula de história para se ver com os olhos! Pode-se fotografar quase tudo, menos, claro está, a Capela Sistina. E para se chegar à Capela, temos de andar e andar e andar.. achámos piada ao facto de eles colocarem sinais a indicar onde é a Capela e depois demorarmos eternidades a lá chegar. Quando lá chegamos, a verdade é que ficamos assim um bocadinho desiludidos, pois está apinhada de gente a olhar para o tecto e a fazer imenso barulho e os frescos, vistos cá de baixo, parecem muito pequeninos. Contudo, o trabalho é fabuloso e a ilusão óptica criada no tecto da capela é uma das coisas mais bonitas que já vi. A visita termina com a descida na famosa escadaria em espiral do museu.

Quando saímos do museu, a fome já apertava e resolvemos fazer uma pausa para comer. Resolvemos parar na Piazza Città Leonina e sentar no muro onde outras pessoas também faziam a sua pausa para almoçar. Comprámos umas pizzetas e umas coca-colas e partilhámos o almoço com uns amigos muito especiais que por ali andavam! O repasto foi comprado numa roullotte ambulante (há aos pontapés por Roma), onde ficou tudo mais ou menos por 7€. Barato e delicioso!! :)

Depois de satisfeitos com o almoço, lá descemos a Via della Conciliazione até ao Castel Sant´Angelo. O nome desta fortaleza deve-se à aparição do arcanjo Miguel ao papa Gregório Magno. Erguido originalmente como mausoléu do imperador Adriano, teve variadas funções: bastião das muralhas de Aureliano, cidadela medieval e prisão e residência papal.

Lá dentro, para além de visitar as salas com exposições e os jardins, o terraço e as muralhas, ainda tivemos tempo para um café, com vista para o Tibre.

Com o fim da tarde a aproximar-se tínhamos de dar corda aos sapatos, porque ainda queríamos ir ver a Piazza Navona. Então, lá fomos, ao longo do Tibre, de mapa na mão para tentar encontrar a praça. E encontrámos! A mais bela praça barroca de Roma está repleta de animação, turistas, artistas e cafés e restaurantes. No centro, a Fontana dei Quattro Fiumi; no extremo norte, a Fontana di Nettuno e no extremo sul da praça, a Fontana del Moro.Esta praça é também uma das maiores atracções turísticas de Roma.

Como o sol já se estava a pôr no céu e o cansaço já era muito, resolvemos ir apanhar o autocarro até à estação de metro mais próxima para voltarmos ao hotel. Nessa noite, ainda fomos até ao Vaticano, aproveitar a publicidade a um restaurante e aproveitar para ver a Praça de São Pedro iluminada à noite. Dos aposentos papais via-se luz, mas o estimado Papa Bento XVI não nos veio dizer adeus à janela.. :)

No dia seguinte, a preguiça para levantar da cama já se ia fazendo sentir. Mas tínhamos de aproveitar os poucos dias que restavam e ainda havia tanta coisa a ver! Assim que abastecemos com o pequeno almoço, apanhámos o metro até Piramide.

Caio Céstio, um magistrado romano, morreu em 12 a.C. e a sua fama deriva do seu túmulo, uma imponente pirâmide revestida a mármore branco localizada na Muralha de Aureliano.

Vista a pirâmide, seguimos pela Viale Aventino até chegarmos ao Circo Massimo. No meio deste passeio, uma avenida basicamente residencial, descobrimos uma loja que nos deixou a babar na montra. Era um simples stand de motos, que vendia Vespas! E outras motos, claro.. mas principalmente as famosas Vespas! :)

Chegamos ao topo do Circo Massimo, de onde se pode avistar a grande pista onde outrora correram romanos e hoje correm também os romanos que gostam de se exercitar! A intenção era chegar até Santa Maria in Cosmedin, para visitar a célebre Bocca della Verità. Contudo, com a conversa e com o passeio, perdemos-nos  e entrámos pela Roma medieval (Campo di Fiori). Foi melhor assim, pois vimos coisas que não nos mostram nos roteiros. Apesar de isso nos ter feito ganhar uma valente dor de pernas extra! Nesse passeio, meio perdidos, ficámos a conhecer o Teatro Marcello, a Câmara Municipal de Roma, a Ara Coeli, o Campidoglio, ruas e ruelas medievais. Até que apanhámos a margem do Tibre e fomos até à Isola Tiberina. Aí pudemos tomar os melhores capuccinos que alguma vez provámos!

Encontrado, de novo, o rumo que queríamos tomar, lá encontrámos a Igreja na Piazza Bocca della Verità. Visitámos a igreja e pusemos a mão dentro da boca da verdade! E voltámos com os dedos todos! :)

Depois de almoçarmos uma pizza a taglio (na zona da Fontana di Trevi), fomos até San Giovanni Laterano. Aí pudemos ver a Basílica de San Giovanni, a primeira basílica cristã de Roma. É aqui que o Papa celebra a missa de Quinta-feira Santa e comparece à bênção anual do povo. O baldaquino gótico que se encontra no interior da basílica só pode ser usado pelo Papa para celebrar missa. É, de facto, uma das grandes basílicas romanas que não pode deixar de ser vista.

Saindo da Basílica de San Giovanni, fomos até à Scala Santa, local onde se acredita que, os 28 degraus que lá se encontram sejam os mesmos que Jesus Cristo subiu na residência de Pôncio Pilatos, durante o seu julgamento, e que teriam sido trazidos de Jerusalém por Santa Helena, mãe do imperador Constantino. Como não se podem pisar os degraus santos, estes estão cobertos por tábuas de madeira e são percorridos pelos fiéis de joelhos. No vestíbulo, há várias esculturas, incluindo o Ecce Homo, de Meli.

Quando terminámos a visita, os pés já doíam bastante e resolvemos que o dia de passeio terminava por ali. Mal sabíamos nós o que ainda nos esperava. Ao voltarmos para o metro, a estação estava fechada e as explicações da policia não eram conclusivas. Apenas nos aconselhavam a ir apanhar um autocarro ou um taxi para voltarmos ao outro lado da cidade. Conseguimos apanhar um autocarro que nos levou até Lepanto, estação que pensávamos estar aberta. Mas, quando lá chegámos, também esta estava encerrada e tivemos de ir a pé até Ottaviano. Claro está que, antes disso ainda houve paragem para lanchar. Um belo chocolate quente, um sumo de laranja e um croissant com doce!

 Satisfeitos com o docinho de boca, conseguimos entrar na estação de metro que, felizmente, só funcionava na direcção que nós usávamos para chegar ao hotel. Ao chegar ao quarto, a vontade era de ver notícias para saber o que se passava.. até que soubemos, pela Rai3 que um senhor tinha escorregado e caído na linha do metro, tendo morrido e por isso tendo originado o encerramento de várias estações. O caos em Roma em hora de ponta, foi o que foi! À noite, resolvemos jantar num restaurante perto do hotel, Lo Zio Frankie.. come-se bem e não é demasiado caro. O staff é simpático e tem uma rapariga a servir às mesas (julgámos que fosse uma das proprietárias) que fala alto como nunca ouvi ninguém falar!!

No dia seguinte, que seria o nosso último dia de visita a Roma, tínhamos pensado fazer um tour com aqueles autocarros descapotáveis, hop-on hop-off, que a maioria das capitais têm à disposição dos turistas. Assim, ficávamos a conhecer o que ainda não tínhamos visto.. pois bem, há sempre alguma coisa que nos foge dos planos. Sábado, dia 14, os grandes sindicatos italianos marcaram uma mega manifestação em Roma. Conclusão: todos os acessos ao centro da cidade estariam congestionados ou interditos e algumas (muitas) paragens desses autocarros não poderiam funcionar. Como não há nada que nos detenha (a mim e ao meu Obelix!!), depressa repensámos o que haveríamos de fazer e resolvemos fazer o gosto à vontade. Era uma ilusãozinha que queríamos cumprir em Roma: andar de Vespa. Pois bem.. descobrimos um site com a indicação que precisávamos e de manha, bem cedo, saímos em Repubblica, a caminho da Via Minimale para alugarmos uma Vespa na Bici & Baci. Foi tudo muito rápido e fácil. Por 45€, a Vespa era nossa durante 3 horas e deram-nos um mapa, com um percurso marcado pelos principais monumentos romanos para nos guiarmos.. e o resto era muita sorte e nervinho para conduzir no caótico trânsito romano!

Lá fomos, Roma-a-dentro, por caminhos nunca antes percorridos, por ruas fechadas para a manifestação, saltando muitas vezes a indicação do mapa, pois a polícia mandava-nos ir por caminhos não-turísticos, perdemos-nos algumas vezes, mas a maior parte do tempo sabiamos onde andávamos e para onde queríamos ir. Bebemos um café perto da Praça de São Pedro, andámos por Trastevere, por Gianicolo, pelo Campo di Fiori, parámos na Piazza Navona, descemos a Vittorio Emanuele, andámos pelo Quirinal e pelo Esquilino, pela movimentada Piazza Venezia, pela Piazza della Repubblica, Cavour.. enfim, o passeio durou pouco tempo, mas soube bem, divertimos-nos imenso e aproveitámos para ver algumas coisas que não tínhamos visto ainda. Sem dúvida, uma experiência a repetir!

Quando devolvemos a Vespa, fomos a pé até a Piazza della Repubblica, onde os manifestantes se aglomeravam e também tivemos oportunidade de assistir a uma concentração de antigos Fiat 500. Depois, fomos almoçar novamente junto da Fontana di Trevi, comprámos as ultimas recordações e descemos a Via del Corso, cheia de multidão. Voltámos para o hotel para ainda fazermos uma visita pelo bairro onde estávamos instalados e encontrámos um delicioso restaurante para jantar. Estava terminada a nossa passagem por Roma..

No dia seguinte, o transfer vinha cedo buscar-nos ao hotel para nos levar ao aeroporto. A vontade de deixar Roma não era muita, mas serve-nos o consolo de que lá voltaremos. A viagem de regresso a Lisboa correu dentro da normalidade. Pior foi o aterrar.. em Lisboa o tempo não estava como em Roma. O vento e a chuva fizeram desta aterragem a pior da minha vida. O avião parecia uma folha a fazer malabarismos no ar. Temi pela vida! Contudo tudo está bem quando acaba bem.. e aterrámos em segurança. Para trás ficou Itália, Roma, tudo aquilo que vimos e adorámos, como aquilo que nos faltou ver. Agradecemos as dicas da prima Carla (romana de adopção!!) que foram muito valiosas na hora de decidirmos visitar a cidade eterna. Os romanos são um povo simpático e prestável. Um pouco doidos na condução.. É certo que a cidade não está muito limpa, mas é muito vocacionada para o turismo, o que ajuda bastante. Vimos polícia por toda a parte, logo sentimos-nos sempre bastante seguros. A comida é fantástica e há preços para todas as carteiras.Contudo, o famoso ditado ‘em Roma sê romano’, não se podia encaixar melhor na vontade que o turista tem em não ser enganado. O São Pedro foi muito nosso amigo: dias de sol, sem frio e nem uma única gota de chuva! Correu tudo como planeámos, excepto uma coisa: nunca pensámos que Roma fosse uma cidade tão linda. E é por isso que queremos lá voltar com mais vontade. Ciao Roma!


3.11.09

29.10.09

Diminuídos.

Se há coisa que me deixa com os cabelos em pé, é ouvir determinadas expressões, ditas quase de propósito e exageradamente.
Por exemplo, há dias, na pastelaria, uma senhora insistia em pedir um croissanito com fiambrinho e um cafézinho com leite.
A empregada não percebeu à primeira e a senhora insitiu: um croiassaNITO com fiambrINHO e um caféZINHO com leite.
Ao lado dela, na fila para ser atendida, as minhas tripas deram duas voltas.
A empregada foi buscar o croiassant. Quer manteiga? Sim, fázfavor. E disse fiambre, não é? Sim, fiambrINHO.
Não fosse eu uma moça educada, tinha-lhe dado com um murrinho no alto da pinha, que lhe passavam logo as manias de mudar o grau dos substantivos para o diminuitivo.
Não me faz a continha?

27.10.09

Isto anda parado..

.. porque a minha cabeça anda a contar os dias que faltam. Para ir de férias. Para voar daqui para fora.

22.10.09

Gente do meu Portugal..

Porque acho que TODOS merecemos um grande prémio, por andar a ouvir o anúncio mais deprimente de todos os tempos, porque acredito que os nossos ouvidos já não aguentam tamanha maldade, porque defendo acerrimamente que, depois desta música guinchada, já quase nada nos pode afectar, sinceramente vos digo que, devíamos exibir todos, orgulhosamente, isto:

[estou quase a criar um ódio de estimação ao supermercado..]

18.10.09

Devias ser poeta.

«A pedra preciosa é a tua menina e o anel sou eu, que estou a abraçar-te..»

Preenches-me a vida.

17.10.09

Quando é que a malta percebe que..

..convém criar um email profissional se se está à procura de emprego? É que, vejamos, colocar numa ficha de inscrição de uma empresa, que nos podem contactar através do email pirulita.vanessa@qualquercoisa.. ou garanhão_power@coisaetal.. ou, segurem-se bem, fofynhah.puderosa@issomesmo ... ai... é no mínimo meio-caminho andado para não nos levarem muito a sério, ok?

16.10.09

Óh cum catano, pá..

.. tava aqui uma pessoa ainda a espumar da boca, cada vez que se lembrava da Maitê Proença, e vêem-me estes gajos do Cão Azul e toma lá uma t-shirt prá dita cuja. Quer-se dizer.. agora uma pessoa tem de rir da coisa. Não se faz! Pensei que o Cavaco ia declarar guerra ao Lula. Atão? Que é isso de cuspir nos Jerónimos, pá? Pronto.. admito.. a coitadinha para além de burra que nem uma porta, é palhacinha. E uma gaja tem de se rir dela.



13.10.09

Maitê Proença, filha..

Deixa que te escreva estas linhas. Sou portuguesa, de alma e coração. Muitas vezes tenho vergonha de certas coisas que se passam no meu país, como por exemplo, deixarem entrar qualquer badameco.. é a tal coisa, , somos de brandos costumes. Já não somos o que éramos quando resolvemos ir à descoberta e poisámos na terra onde nasceste. Linda, airosa, rica e cheia de fama. Sim, eu sei que tu não fazes parte da maioria brasileira que mata para matar a fome. És viajada, vives no luxo e na ribalta, os focos de luz pairam sobre ti e todos os que te rodeiam são iguais a ti. Mas sabes, é a tal coisa , sou oriunda de brandos costumes..
Ao assistir ao teu maravilhoso vídeo, em terras lusas, percebi a tua maravilhosa condição de acéfala. Como direi, assim que iguale a tua linguagem, burrinha.. sim, isso mesmo, burrinha. E sem te querer tirar mérito algum, uma vez que de falsidade percebes bem, deixa-me dizer-te (é , maravilhoso 25 de Abril que nos deu a liberdade de expressão!!) que és ridícula. Não só provocas pena de tão coitadinha e ridícula que és, como também quase sinto necessidade de arranjar a tua morada e enviar-te um vibrador para que te consoles, porque essa corrente de ar que vai aí dentro dessa cabecinha já não vai fazer muito mais por ti.
Querida, eu sei que para vocês, os famosos de novela, frustados por nunca chegarem a Hollywood, o povo português será sempre o António da padaria. O curioso é serem os padeiros deste país a alimentarem-te os luxos. E ainda mais curioso é virem os intelegentíssimos brasileiros quase todos cá parar.. com tanto país no mundo. Mas, lá está.. brandos costumes, pá.
Então, queridinha, o melhor mesmo é que vás procurar ajuda, que isso pode ser perigoso, tanta m*rda junta a sair pela boca (não vá ela estar a escorregar-te pelo cerebro) e pronto, a próxima vez que visitares Portugal, lembra-te de uma coisa: os nossos brandos costumes definem-se pela nossa atitude de pacientes. Eu explico-te melhor, que a esta hora já mandáste vir o porteiro para te traduzir: podiamos muito bem dar 200 euros a um conterrâneo teu para te redesenhar a fronha. Ao invés, preferimos esperar. Assim que aterres em Lisboa, lembra-te que a qualquer momento podes estar a mostrar os dentes a um português que tenha assistido ao teu momento de senilidade.. e nesse momento ficas sem dentes.
Por último, deixa-me dizer-te (e aproveita passa a palavra às outras matrafonas que se riam também - todas com dentaduras optimas!) que o melhor para a menopausa são hormonas. Hormonas, minhas queridas, hormonas. Tratem-se.


10.10.09

E aproxima-se o dia.

Dia quinze de Outubro faço 4 anos de casada. E como até nem sou nada pedinchona, aqui ficam alguns desejos. É só para o caso de, sei lá, por coincidência, passar aqui alguém que também faça 4 anos de casado nesse dia. Só assim de passagem, não sei, alguém que, por coincidência, também more aqui em casa.. é só por isso..


Que eu acho que o meu maravilhoso dedo anelar da mão esquerda ia adorar ter como inquilino este solitário da Esprit, que pode ser comprado aqui e que até nem é assim nenhuma fortuna.. e é giro que se farta.



Ou então esta linda máquina fotográfica, que nós já andamos a namorar e que pode fazer um brilharete em Roma.. e que pode ser comprada aqui. Pronto.. é uma prenda um bocadinho mais cara, mas vá, é um investimento, não?


E umas flores não faziam mal nenhum e era um gesto bonito e romântico, ainda para mais que é tempo das rosas de Santa Teresinha que eu tanto gosto e que enfeitaram o meu vestido, há quatro anos atrás..


E, pronto, não sei, se por acaso alguém passar por aqui, assim como não quer a coisa, que por coincidência me tenha dado o seu apelido, já sabe.. um almocinho simpático nesse dia ia ser maravilhoso. Uma vez que a maior prenda será Roma. E por isso, já estou muito agradecida. E pedir não custa, verdade?

Serei só eu?

Serei só eu neste mundo que detesta entrar numa loja onde ainda mal demos dois passos, já duas empregadas super-simpáticas-com-tanta-simpatia-que-até-enjoa nos controlam os passos, enquanto se põem à nossa frente, desafiando a nossa capacidade de fazer o maior sorriso amarelo do mundo, a maior parte das vezes bem mais pequeno que o delas?

Precisa de alguma ajuda? Se precisar, disponha, qualquer coisinha, qualquer informação, não hesite, ora se faz favor, por quem é. Até me envergonha o esforço que tenho de fazer para soltar um estou só a ver, obrigada. E irrita-me ao ponto de bufar alto. Eu sei que a simpatia e a orientação ao cliente e tal, que essas coisas são muito valorizadas pelas empresas. Eu sei que a maioria das coitadas das raparigas é obrigada pela gerência a proceder assim. Ora, eu como não sou obrigada a nada, vou começar a entrar nas lojas a berrar bem alto: se eu precisar de ajuda, eu peço!

5.10.09

O humor algarvio é linde!!

Pergunta o miúdo à mãe:
- Ó mãe, o qué um insete ?
- Ê cá nã sê, preguntá mana ...!
- Ó mana, o qué um insete ?
- Pôs nã sê... preguntó pai ...!
-Ó pai, o qué um insete ?
-Ó mê granda burre... um insete sã Oite ...!

2.10.09

Quando não se tem muito que fazer..

.. há conversa para tudo.

- E então? No teu catálogo da Avon também vendes extensões de pénis?

[entre um colega da TAP e uma colega minha muitoooo puritana]

29.9.09

Está decidido.

Vou voltar a estudar.

27.9.09

E em dia de eleições..

.. aqui vai um bocadinho de história, para os menos esclarecidos. Cantada, claro. Que sem ela, nada disto tinha sido possível hoje.


Sou fã.

Sou mesmo. Tive a oportunidade de ver a série que fizeram sobre a sua vida e obra, aqui há uns anos e penso que não é tão celebrada como merecia. O que é uma pena. Infelizmente do outro lado do Atlântico, só se lembram do Carnaval, do samba e do futebol.. as preciosidades que de lá brotaram são muitas vezes esquecidas. E penso que Chiquinha Gonzaga é um exemplo disso. Aliás, foi um exemplo para as mulheres da época.. sou fã. :)
(mais sobre a sua vida e obra, aqui )

Fell in love with an Alien

Tantas recordações..


26.9.09

Chove.

E a terra cheira bem aqui.
E faz um friozinho agradável.
E o céu pintou-se de cinzento e branco.
Parece que chegou mesmo o Outono por estas bandas..

25.9.09

Para ler quando não me lembrar das promessas que faço.

« Chorei, mas não sei se alguém me ouviu, e não sei se quem me viu, sabe a dor que em mim carrego e a angústia que se esconde.. vou ser forte e vou-me erguer, ter coragem de querer, não ceder nem desistir, eu prometo.. Busquei nas palavras o conforto, dancei num silêncio morto e o escuro revelou que a luz em mim se esconde..vou ser forte e vou-me erguer e ter coragem de querer, não ceder nem desistir, eu prometo. »
[voz de Mariza com Boss AC em Mantem-te Firme]

23.9.09

Hoje estou feliz.

Faz 3 anos que experenciei a melhor e maior das alegrias da minha vida.
Faz 3 anos que a minha vida mudou completamente.
Faz 3 anos que passei a viver com o coração apertadinho a cada minuto.
Faz 3 anos que passei para segundo plano na minha própria vida.
Faz 3 anos que os meus dias ganharam outro alento.
Faz 3 anos que aprendi o que é viver para outro ser.
Faz 3 anos que fui mãe. :)


21.9.09

Aqui não se safou..

.. o querido(a) leitor(a) que chegou ao meu blog, depois de uma exausta pesquisa no Google [esse grande maluco!], com a seguinte dúvida: «camisola de lã encolheu como desencolher».. pois.
Não sei se, por estas bandas, terá ficado muito esclarecido, que, realmente, é coisa que nunca me passou pela cabeça escrever assim de propósito, uma vez que sou uma assassina de camisolas de lã e era uma autêntica vergonha vir para aqui falar disso. Acho sim, que algures neste blog, jaz um post que fala daquilo que torna a vida a dois uma coisa maravilhosa: como por exemplo, estragar a roupa do mais-que-tudo e ficarmos, mesmo assim, com um sorrisozinho parvo na cara e babarmos amor por todos os poros do corpo e achar que não vale a pena deitar uma relação abaixo só porque o nosso companheiro acabou de deitar fora os 70€ que custou aquela maravilhosa camisola da Massimo Dutti.. enfim.. mas truques de magia, por aqui, ainda não, estimados!
Não sei mesmo como fazer desencolher uma camisola de lã que encolheu.. não sei, mas aceito de bom grado que também me digam como se faz. É que sou uma estragadona..

Ora.. nem mais!


Passamos a vida nisto.. embora um lar não se resuma a isto, pelo menos 5 dias da semana são passados assim. São os frutos da era moderna.. E um gastar de combustível maluco!!!

18.9.09

O meu colega satânico.

Tenho um colega, que namora com outra colega, que é um prato. Completamente contra o casamento religioso, cada vez que estou com ele, faço-lhe a cabeça em agua.. «É o sonho de qualquer mulher.. faz lá o gosto à rapariga.. todas as mulheres sonham com o vestido, com o dia.. quando a visses, vestida de noiva, até te vinham as lágrimas aos olhos».. E ele que não. Nada feito. Diz que uma casa com bonecos de gesso não lhe diz nada. E diz ainda que a mãe e a avó, se o ouvissem, davam-lhe cabo da cabeça.
Então, qual cupido, lá me pus a inventar soluções para a coisa. E porque não numa quinta, por exemplo? Mandavam vir o senhor do registo civil e faziam a cerimónia lá. Depois de muitas florzinhas, lacinhos, branco, balões e toda a qualidade de tralha para embelezar um espaço para um casamento, ele salta-se com esta:

- E que tal numa gruta? Hã? Com chamas à nossa volta, satânicas, e em vez do coro, púnhamos Rammstein a tocar. Hã.. qué que dizes? Hã? Boa Ideia!!

Não tem solução este moço.

14.9.09

Aprendam com o mestre.

Afinal ele está vivo!

Eu vi o Michael Jackson às compras no modelo de Faro!

[só porque meio mundo já o viu andar por aí desde que esticou o mocassim!]

13.9.09

Máximas desta vida..

Mulher não chora.. lava é as pupilas com alguma frequência.
Estamos entendidos?

«A verdadeira Oportunidade»

Uma das palavras que mais maltratadas têm sido, no entendimento que há delas, é a palavra oportunidade. Julgam muitos que por oportunidade se entende um presente ou favor do Destino, análogo a oferecerem-nos o bilhete que há-de ter a sorte grande. Algumas vezes assim é. Na realidade quotidiana, porém, oportunidade não quer dizer isto, nem o aproveitar-se dela significa o simplesmente aceitá-la. Oportunidade, para o homem consciente e prático, é aquele fenómeno exterior que pode ser transformado em consequências vantajosas por meio de um isolamento nele, pela inteligência, de certo elemento ou elementos, e a coordenação, pela vontade, da utilização desse ou desses. Tudo mais é herdar do tio brasileiro ou não estar onde caiu a granada.
Fernando Pessoa, in 'Teoria e Prática do Comércio'

4.9.09

Essa desconhecida entranhada em mim.


Começa por ser estranha, depois entranha-se de tal forma que quando menos esperamos já tomou conta de nós. Não é tão fácil como parece deixá-la partir, mesmo com a consciência plena de que é o melhor para nós. Há dias em que nos domina por completo. Há outros que nem damos pela sua existência. Os maravilhosos amigos que nos deixam moles, felizes, apáticos, sonâmbulos, sem sentido ou reacção não são a solução eterna. Embora ajudem.. Quando tudo dentro de mim grita que se quer ver livre deste estado de letargia, parece que há uma pequena parte do meu cérebro que não responde, que não se manifesta, que não faz nada para que isso mude. E do riso, da alegria, da espontaneidade, da vontade de viver livre e feliz, vem a apatia, o choro, o pensamento constante que me tira a vontade de fazer o que quer que seja. Ninguém nos ensina como viver com isto, mas também ninguém nos ensina como deixar de o fazer. Embora ajudem.. Parte de nós arranjar forças, sabe-se lá onde, para lhe fazer frente. Parte de nós arranjar soluções, distracções, novos pensamentos. Parte de nós a nossa própria cura. Embora não seja fácil, embora demore, embora nos esgote e nos transporte para um estado de fragilidade, embora quase nos enlouqueça..
Não me sinto completamente livre dela. E sei que não estou. Quando o mundo pára à minha volta, especialmente quando estou sozinha, ela vem sentar-se a meu lado, tenta meter conversa, insiste e insiste e insiste, tenta jogar-me a baixo para mais facilmente entrar, penetra nos meus pensamentos como se fosse éter que me atordoa.. não sei quanto tempo tenta levar-me de novo com ela.. talvez sejam 10 minutos, talvez meia-hora, talvez mais.. sei apenas e tão só que aprendi que se a ignorar ela acaba por desistir. Embora venha, todos os dias, sempre que pode, tentar-me. Então fico, quieta, pensando em todas as coisas boas que tenho, enquanto ela vai investindo no seu propósito. E quieta, sem sequer a fitar, vou ignorando a tentação de embarcar de novo num caminho obscuro. Até que ela desiste e vai embora.. mas deixa sempre o recado, de que promete voltar.
[venha.. estarei pronta.]

2.9.09

E do nada..

.. surgem boas notícias. A fé nunca desaparece. As portas fecham-se, mas abrem-se janelas. Alguém lá em cima olha por nós.. :)
Não.. nunca estamos sozinhos.. nunca estamos abandonados. E saber disso dá-nos animo para continuar a caminhar. Todos os dias. Todos.

1.9.09

E então, estamos assim..


.. com uma forte dor nas costas, que me apanha até o andar. Tudo culpa do magnífico emprego que tenho, pois tá claro. Mas, na hora de ir ver um especialista, o sr doutor de meia-tigela, diz-me que eu não tenho nada nos ossos. Boa. Até aí já eu tinha chegado e não andei 10 anos na universidade de medicina a queimar pestanas. Será tendão, nervo, músculo? Não.. que ideia! O que eu tenho é uma simples lombalgia, que mal consigo andar, já ando nisto à quase 2 meses e ele diz-me que isto não é nada.. :

E o melhor: o tratamento. Ben-U-ron prás dores (fantástico!) e ande muito que isso passa.. e já agora, o sr doutor não me quer dizer como, se eu mal dou um passo sem que me doa até o cabelo? Pois. O sr doutor não quer saber disso para nada. O que interessa é que despachou mais uma, ganhou o dele e o resto que se lixe. Volto lá para a semana, se bem me engano (e espero enganar-me mesmo - para meu próprio bem) para lhe dizer que continuo na mesma, que as dores ainda aqui estão e que andar muito não ajudou a curar a coisa.


E pronto, a este sr doutor, só tenho uma coisinha a dizer-lhe:

21.8.09

pois.. This is the life.

Cada vez mais me convenço que, de facto, só estão nas nossas vidas quem nós realmente queremos. Aqueles que pensamos que, por ventura, poderão um dia mudar nem que seja um bocadinho a forma errante de ser e estar, não passam de isso mesmo: impostores. Já nada nem ninguém me surpreende. Mais uma chapada para me fazer lembrar que é mesmo assim, que estou viva, que a vida é isto mesmo [soa-me ao longe o genérico do Ponto de Encontro, na memória.. cheia de encontros e desencontros.. ].

Mais uma que me fez prometer a mim própria que, daqui para a frente, não voltarei a acordar com a cabeça desfeita nem muito menos com a alma feita em bocadinhos, por quem não merece. Nada. Ficamos assim.. hoje na mó de cima, amanhã com a boca no chão. Só me ocorre dizer: Cá calharás..


17.8.09

Agua

.. quando uno tiene sed, pero el agua no está cerca..

Já que a minha não me serve..


.. eram estas para comemorar os 5 anos de casados, no próximo ano. Pedir não custa, pois não, querido esposo? :)

15.8.09

O novo queijo

[lá no trabalho, uma colega para mim:]


- É um queijo!
- Ahh.. tá. - disse-lhe eu.
- Óh gaja.. tens de aprender a reconhecer os queijos, pá. Se é roquefort, emmental, brie, emiliano..
- Desculpa? O que é que disséste?
- Emiliano.. [por esta altura já riamos as duas que nem umas perdidas..] eu até já invento nomes de queijos!! É limiano, cara**o!! É limiano! [e riamos, riamos, riamos]

13.8.09

andare a Roma


sì .. andiamo a roma. la bellissima Roma.

mangiare, pregare e di amore a Roma. parlano l'italiano. la più bella lingua del mondo. andare a roma. Sono felice.




12.8.09

Por este andar..


.. alguém tem dúvidas?!?

10.8.09

Se não tivesses a mania que és esperto..

Imaginem uma festa para o jet set português (sim.. aqueles que adoram aparecer nas revistas), num hotel em Vilamoura, com direito a ouvir o Seal ao vivo. Façam de conta que não sabem que, muitos deles, só foram pela comida e bebida à borla e que (a grande maioria) saiu de lá com altos teores de álcool no sangue.
Agora imaginem que há um parque pago (que horror! que raio de organização esta que não disponibiliza um parque grátis - que estes importantes vip's concerteza teriam direito!) mesmo em frente ao hotel e que custa (espantem-se!) a modesta quantia de 5€ ao dia (um balúrdio..) para qualquer um estacionar a voiture.
Como era de se supor, as estrelas não estão para isso. É muito mais prático estacionar o bólide de 100 mil euros em frente à porta do hotel, não é? Então, uma estrela do nosso futebol português, convidado para beber e comer de borla no dito hotel de 5 estrelas, que só foi pelo champagne, uma vez que desconhecia a cor de pele do Seal, estacionou mesmo o carrinho à porta do hotel. Lugar mais proibido de estacionar não havia.
Agora imaginem um GNR.. sim, desses de barriguinha proeminente, bigode farto, um autêntico GNR tuga, como manda a lei. Não foi de modas: chamou o reboque.
O futebolista, horas depois, foi avisado do sucedido e vem olhar para o lugar vazio, à porta do hotel.
- Então? O que é que se passou aqui?
- Então? O senhor não sabe que é proibido estacionar aqui?
- Mas e o meu carro?
- Foi rebocado, então? Você tem um parque de estacionamento mesmo aqui em frente que custa 5 euros por dia. Preferiu estacionar onde não podia.. agora paga 90 euros de multa e reboque, coisa que dava para você ter o carro estacionado aqui no parque durante 18 dias.
O futebolista ia tendo um ataque do miocárdio. Por ventura o homenzinho saberia com quem estava a falar??
- Você sabe quem eu sou?
- Sei. É o dono do carro rebocado.
Toma. Embrulha!!

7.8.09

A T-shirt que eu queria oferecer ao Cristiano Ronaldo - II

.. porque eu tenho cá para mim que o rapaz precisa mesmo.

6.8.09

Tenho desconto. Eram só 5h da manhã..

E estava eu à conversa com um colega meu quando, à nossa frente, passa uma passageira a correr desenfreadamente. E diz ele:
- Olha.. a Rosa Mota.
E remato eu, no meu melhor:
- Sim! Com os sovacos debaixo do braço!

Nereida, filha..

.. deixa de fazer figuras tristes e parte para outra. O chunga-chique anda a ver se com aquele estilo todo ainda engata uma das manas das Azucar Moreno.

4.8.09




.. ou já me dedicava a outra coisa.

1.8.09

Era uma vez..

.. uma funcionária do aeroporto de Faro, eu mesma, que estava encantada da vida descansadinha no seu posto de trabalho (tal não era a vontade), quando no meio de 4 Transavias (para quem não sabe são os autocarros da carreira que levam os holandeses para a suas casinhas), estala o caos porque a malta não é de ferro e às 9h da noite já não se está com muita paciência, e estavam 4 mulas holandesas feitas monas a olhar para o nada e a dificultar o nosso trabalho. Tal como já disse, a paciência já não era muita e uma outra colega também cansada já de tanto 'nix-a-pix' (gostamos de os chamar assim!), pediu-lhes que apanhassem nas suas coisinhas e seguissem viagem.. elas, as cavalonas holandesas, muito indignadas, apanham nas coisas à bruta e começam a chamar-nos no seu maravilhoso inglês: «Silly, silly..» e outras palavras em holandês que a gente supõe que sejam bastante ofensivas..
De repente, saiu-me isto da boca, enquanto os meus olhos lançavam faíscas..

- Are we selling vodka here?
- What?? (elas em unissono)
- 'Cause.. this is not a bar.. or.. do you want a peanut? 'Cause you're looking at me like a monkey. .. e abrem mais essas bocas e vão sem rótulas para casa.

30.7.09

Não sei se é o melhor..



.. mas ganhou o prémio de 'O melhor bolo de chocolate do mundo'. Provei e gostei. Talvez não seja mesmo o melhor bolo de chocolate do mundo. Para mim, era o que a minha avó Alice me fazia, cuja receita foi com ela para outro mundo e nunca mais voltei a provar um igual. Mas este é bom, sim senhora.. talvez por ser bom tenham marchado 3 fatias.. ai.. :

Sabemos que estamos no Algarve, quando..

.. nos cobram 3 euros por duas bicas em copo de esferovite, num parque aquático. :|

21.7.09

A desilusão.

Quando menos esperamos, cai-nos uma bomba aos pés, rebenta, e nós apanhamos com os estilhaços. Depois, perdemos a calma. O coração parece que quer sair do peito, os suores frios misturam-se com os calores repentinos, bebem-se as lágrimas.. depois, jogamos as mãos à cabeça e incrédulos pensamos como foi tudo isto acontecer. Não acreditamos, tudo parece um sonho, mas o que nos lixa é que a coisa é mesmo real. Temos um berbicacho entre as mãos e não sabemos como lidar com ele. Os flashes de memória sucedem-se, tentamos dizer piadas para amenizar a situação e de novo, o descontrolo volta a tomar conta de nós, e choramos outra vez copiosamente e voltamos a beliscar-nos não vá o diabo tecê-las e isto não passe de um pesadelo e voltamos a cair de boca no chão e sentimos a dor da queda. É real. A nossa vida está feita em frangalhos, quando ainda hoje de manhã acordámos e éramos as pessoas mais felizes do mundo. A isto chama-se viver. Todos os dias podem acontecer fatalidades.. umas maiores que outras, umas mais graves que outras, mais ou menos ligeiras, com mais ou menos estilhaços, de vez em quando as bombas rebentam nas nossas mãos. A isto chama-se viver. E é com isso que temos de contar.. que esta vida é uma aprendizagem, de onde devemos guardar as coisas boas e aprender as lições que ela nos dá.

Hoje rebentou a maior bomba nas mãos do meu mano. Como pessoas que gostamos dele, os estilhaços vieram parar para o nosso lado também. Foi como se também a mim me tivesse rebentado um engenho. Assim, do nada, sem se fazer esperar, sem se prever, sem nunca ter havido uma suspeita. E com ele, partilho a dor que ele sente, partilho a aflição, o mau momento, a angústia, o coração partido. E tudo o que lhe posso oferecer é o meu ombro, a minha amizade e o meu desejo de que ele volte a encontrar a felicidade que julga perdida. Hoje estou por ele. Com ele. E parece-me pouco o que pouco posso fazer.

Hoje o meu mano, o homem que escolhi para padrinho da minha filha, ficou de coração desfeito. E cabe-nos a nós ajudá-lo a recolher os pedacinhos, a limpar-lhe as lágrimas, a ouvi-lo, a deixá-lo berrar e desabafar toda a dor e revolta que sente. Hoje, para ele, foi o dia da sua maior desilusão. E nisso partilho o sentimento. Não há pior coisa que sentirmos-nos desiludidos pelas pessoas pelas quais podíamos dar a vida. Eu punha as mãos no fogo por aquela que, foi hoje, também para mim, uma grande desilusão. O meu mano pôs o corpo todo, pôs o coração, pôs a vida. E desiludiu-se. E assim vão por agua-abaixo os planos de uma vida.

18.7.09

Leko

Eles apresentam isto:





Mas, na realidade, vem assim:




Há que ter maõzinhas.. :)

Irrita-me profundamente.

.. que as pessoas nas salas de espera tenham toques de telemóveis extremamente irritantes, tais como um carro de formula 1 a acelerar, nuns décibeis capazes de furar os tímpanos da estátua da liberdade e que, ainda por cima, demorem uma eternidade a atender a porcaria da chamada e fiquem ali a admirar o número que lhes está a chamar, tentando adivinhar quem será o número privado ou o 91 que não conhecem.. fico possessa.

13.7.09

Paizinho, aqui vai a minha prenda de anos atrasada.

Hope you enjoy.. pelo menos tanto como eu!

12 anos, 1 mês and counting..




.. e esta servia perfeitamente para celebrar a data. :)

10.7.09

Ele até pode ser um deus grego..

.. de corpo musculado, louro ou moreno tanto faz e depende dos gostos, de olhos verdes ou azuis, com os biceps e os abdominais definidos, com a barbinha feita e sem pelos no peito, cheiroso e penteado, lavadinho. Ele até pode ser muito culto e cheio de histórias interessantes para contar. Pode ser um às na cama, divertido, bem-disposto, bem vestido e educado. Mas se, de repente, começa a falar e cria aquelas esponjinhas de cuspo brancas no canto da boca.. qualquer uma perde a vontade.

8.7.09

Pelos, pelinhos e pelame

Deve ser um dos temas que mais me irrita ler por esses blogs afora.. a questão dos pelos e sua depilação. Não por causa das descrições que às vezes leio, nem pela forma como se escreve a aventura, mas por causa da localização e do método aplicado. Eu explico melhor..
Quando leio que as meninas vão à depilação, tiram a cuequinha, abrem (ou escancaram) a perninha e vamos-embora-manel.. que soltam umas bojardas enquanto lhes arrancam os pelos com bandas de cera quente, vai virilha, vai maria joaquina toda, vai depilação brasileira, vai tudo.. e eu até fico verde!
Sim.. fico verde. Eu, aqui me confesso, não sou capaz. Cera nas pernas, meia-perna ou perna inteira, ainda é como a outra.. mas ali na sim senhora e zonas limitrofes, vai tudo a poder de gilette, que é uma papa. Descansem, não vou morrer estúpida. A primeira depilação com cera às virilhas deu-me uma alergia desgraçada, andei quase 1 mês sem poder ir à praia por causa da irritação na pele. A segunda, deixou-me em carne viva, com um andar novo e completamente traumatizada para o futuro.
Tou-me completamente borrifando se os pêlos ficam mais fortes, se passado 2 dias tenho de voltar a fazê-la, se arranham e picam ao crescer.. tou-me marimbando para isso. Cera quente aqui é que não. Isso não.
Por isso fico verde (talvez por um bocadinho de inveja) ao ler que as meninas vão todas airosas à depilação, largar o pelame todo das virilhas, quando eu tenho outras belas maneiras de largar dinheiro sem ser para sofrer horrores. Mas isso sou eu.

7.7.09

A T-shirt que eu queria oferecer ao Cristiano Ronaldo.




É que quando ouvi o miúdo falar prós espanhóis, até me arrepiei toda.. [tristeza, senhores.. que tristeza]

Respira, miúda, respira..

Estava com um grande, grande, grande nó na garganta.. julguei que sufocava.. julguei que apagava de inconsciente.. acreditei que o fiozinho onde me segurava ia romper a qualquer momento. Felizmente foi tudo um grande susto.. daqueles que precisamos para acordar para a vida. Daqueles que nos mostram quem realmente somos. Daqueles que nos fazem pensar (e muito!) sobre tudo (mas mesmo TUDO!) o que nos rodeia. Felizmente não passou de um susto. Respiro de alívio, mas (ainda) não de tranquilidade. O pior já passou.

5.7.09

Sabemos que estamos no Algarve, quando..

.. chegamos a Aljezur e lemos uma placa a dizer: 'WE HAVE UNDERSTANDS'

[que é como quem diz, temos perceves!]

O Aleixo é que sabia..

Não sou esperto nem burro
Nem bem nem mal educado;
Sou simplesmente o produto
Do meio em que fui criado.

[António Aleixo]

4.7.09



*Férias (algures por esse mundo)
*Um relógio novo
*Um anel da esprit que ando a namorar há séculos
*Umas Havaianas prateadas
*Um chapéu tipo Mraz
*Uma Sony pequenina que caiba na mala e tire boas fotos
*Uma parede forrada a papel cá em casa
*Uma massagem completa de relaxamento
*Plafond na carteira para ir de férias
*Amarguinhas geladinhas ao fim da tarde
*Contorno de Olhos da Zelens

*e pronto, alegria, acabar com a fome,felicidade para todos, muita saudinha e.. paz no mundo.

:)

3.7.09

Mais uma..

.. e ontem as dores de cabeça eram infernais, as dores (que se julgavam ser de rins) continuavam, a minha sensação de 'estou completamente podre!' aumentava e a necessidade de ir a um médico também. Lá fomos. Ao centro de saúde de Loulé, que isto aqui em Faro de capital tem muito pouco (ou quase nada), o centro fecha às 20h e depois disso só há o Talho Distrital (vulgo HDF) e para lá Deus-nos-livre-e-guarde! e enfim.. com a sorte que me costuma acompanhar nestas coisas, cheguei ao guiché e pareceu-me ouvir lá de dentro uma voz familiar..
Era o meu compadre, de serviço nos bombeiros. Foi sorte! Lá me apresentou a toda a gente, enfermeiras, auxiliares e médicos, lá fez o choradinho 'tratem-na bem, que é a minha comadre' e lá fui muito bem tratada mesmo.. bem, só eu não, pelo que me apercebi daquelas 2 horas em que lá estive, toda a gente estava a ser muito bem tratada.. acho que Faro tem mesmo de pôr os olhos em Loulé.
Vim pra casa com uma dor nova, no rabo, das 2 injecções que apanhei prás dores, mas muito satisfeita.
Agora é só esperar que passe o resto..

Mini M

Como alegria e coisas giras não faltam cá em casa.. achei que a minha M. também já tinha direito de antena. O anterior blog que falava das aventuras dela foi descontinuado por razões muito pessoais.. mas este, escrito noutro registo, de uma outra forma e com outra razão, tem com toda a certeza pernas para andar.. espreitem lá, está mesmo aqui: Mini M !! :)

2.7.09

Personalidadezinha..

- És um pirata?!?
- Siiimm.. e estou a espreitar pelo tubinho, tou a ver tubarões e vou para o meu barco.. hãaa.. NÃO SOU NADA UM PIRATA! SOU A MA-RI-A-NA!

[não fosse eu dizer-lhe que os piratas se portam mal.. :) ]

1.7.09

Vou fazer beicinho..


.. e esperar que alguém repare.

30.6.09

Aceitam-se sugestões!

Enquanto a minha vida não se resolve, vou tentando pensar noutras coisas, para atenuar a ansiedade da espera.. e como sempre foi uma das coisas que mais gostei de fazer, viajar, apetece-me planear com calma a próxima viagem. Acho que muito poucas coisas me dão tanto prazer.. ver panfletos, catálogos, pesquisar na net, ver imagens, ler opiniões, procurar preços, sonhar com a ida e com a estadia, pensar até nas coisas que quero levar e ver e conhecer, onde quero estar, onde quero comer e o que quero comer, por onde quero passear e onde quero tirar a 'tal' fotografia.. :)

Posto isto, pensei nos seguintes destinos:

* Cayo Levantado
* Miami
* Grécia
* Malta
* Israel
* Irlanda
* Nassau
* Ibiza
* Marrocos
* Egipto

.. e talvez um cruzeiro, não sei muito bem por onde.. sugestões? dicas? preferências?

A espera..

.. é LONGA. :S

26.6.09

Isto vai ser lamechas..

Primeiro, oiço na rádio que o Michael morreu aos 50 anos. Não que tenha sido um grande choque, mas confesso que fiquei com aquela sensação de «eh pá! que pena..» não só pelo facto de ele ter sido um gajo que cantava e dançava coisas giras (que me fizeram cantar e dançar ao ouvi-las), mas também porque acredita-se sempre que, nestes casos, vão embora para sempre cedo demais.. É um facto que aquele homem deu cabo do corpinho dele.. e se não fosse pela quantidade de dinheiro que tinha para pagar tratamentos (coisa que para um comum mortal era completamente impensável!!) ele já tinha batido as botas à muito tempo (vá, neste caso, os mocassins pretos!).. Contudo, o nosso corpo prega-nos partidas que nenhum dinheiro no mundo pode salvar.. e, quando o tic-tac resolve parar, bem podem tentar durante horas que ele retome a batida, que o que tem de ser tem muita força e lá vamos nós desta pra melhor..
E por falar das partidas que o corpo dá, espero eu que o meu tenha resolvido fazer uma gracinha de mau gosto e que tudo isto não passe mesmo de uma graçola.. fui hoje fazer análises, mandadas de urgência pela ginecologista, sobretudo aos marcadores CA 125.. não me alongo mais porque não quero mesmo tornar isto ainda mais lamechas.. Mas até que venham os resultados (e vai demorar!), medo.. muito medo.. :

«Gone too Soon»


23.6.09

(re)Encontro

«A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida..»
Vinicius de Moraes

12.6.09

«Choose Love»

I choose to hide, but I look for you all the time
I choose to run, but I'm begging for you to come
I wanna breake, but I know that you can't take
I stay a while, to be sure that you by my side

Don't look at me, just look inside 'cause I can go through
Tell me are you going tired, of what I don't do
I wanna see I wanna fight, 'cause I don't feel scared
Honey if you care

I choose to find, things that you left behind
I choose to stare, but I can take you anywhere
I wanna stay, but my soul leaves you anyway
Can close the door, and love could you give me more

Don't look at me, just look inside 'cause I can go through
Tell me are you going tired, of what I don't do
I wanna see I wanna fight, 'cause I don't feel scared
Honey if you care

Choose love, choose love, love, choose love, choose love

Don't wanna hear I wanna fight, 'cause this time I won't be wrong
And I can waste this precious time, asking where do I belong
So let me know your love is real, 'cause this time you won't control
Tell me please what do you feel, do I have to save your soul

Choose love, choose love, love, choose love, choose love

*Rita Redshoes

9.6.09

where are you?


7 Pecados Capitais

Bem.. a minha amiga e comadre Marta deixou-me o seguinte desafio: Revelar a minha relação com os sete pecados capitais. E como sou bem mandada, aqui vai!
1. Gula - Se não é o maior dos meus pecados, para lá caminha. Adoro uma boa comidinha e quando gosto de alguma coisa, como, como, como, como, sem enjoar nunca. Gula mesmo.
2. Avareza - Ora aqui está um em que não me apanham. Não vou parar ao inferno por ser avarenta.. gosto de dar tudo o que tenho e o que não tenho. Fico muito feliz por isso.. por simplesmente dar.
3. Inveja - Quem nunca sentiu inveja de alguém que atire a primeira pedra. Eu já invejei muitas coisas e muita gente em determinadas situações. Não quero com isso dizer que morra por isso ou que tenha de passar por cima de tudo e todos para conseguir igual, nada disso.. às vezes, invejar as coisas boas é sinónimo de reconhecimento, e muitas vezes ânimo para lutar por aquilo que gosto de ver nos outros e desejo para mim.
4. Ira - Pois este disputa também o primeiro lugar. É verdade.. confesso que às vezes sou uma bruta, que tenho alturas em que só me apetece partir a cara às pessoas e deixá-las sem dentes, que em vez de conversar, uma boa cacetada resolvia logo a coisa.. bom.. dá para entender??
5. Soberba / Orgulho - Pois peco apenas pelo orgulho que sinto em relação a determinadas coisas/pessoas/situações.. e não se trata só do orgulho pessoal, trata-se de não conseguir guardar o orgulho quando devia dar o braço a torcer.. que quando eu sei que tenho razão, nem que a vaca tussa..
6. Luxúria - Sou gaja.. está tudo dito!
7. Preguiça - Quando o despertador toca às 04h da manhã para eu ir trabalhar também conta??

25.5.09

Rogo-te uma praga, que nunca mais te endireitas..

.. porque sou uma moça da Vila e não levo nada pra casa comigo. Por isso, antes de se meterem aqui com a je, pensem duas vezes! :)

Que podem saltar-me boca fora maravilhas como estas:

« - Só queria que a tua língua crescesse tanto que chegasse aonde chegam os lampaços do farol da barra.»

« - Permita Deus que tenhas uma febre tão grande, tão grande, que até te derreta a fivela do cinto. »

« - Permita Deus que fiques tão magro, tão magro que possas passar pelo fundo de uma agulha de braços abertos.»

« - Não sabia dar-lhe uma dor tão grande que nunca mais parasse, que quanto mais corresse mais lhe doesse e se parasse rebentasse. »

« - Não sabia nascer-lhe um par de cornos tão grandes, tão grandes, que dois cucos a cantarem, cada um em sua ponta, não se ouvissem um ao outro. »

« - Não lhe desejo mal nenhum. Só queria que vivesse mais 100 anos e engordasse um quilo por dia. »

«- Não sabia dar-te uma dor de barriga tão grande que só cagasses pedra britada.»

« - Permita Deus que toda a comida que hoje comeres vás amanhã cagar ao cemitério, já de olhos fechados.»

20.5.09

Já cá canta.. :)

O meu novinho em folha Eee PC.. o meu novo 'bichinho' que fica tão bem comigo que até irrita.. o meu novo acessório tecnológico, que de tão pequeno e jeitoso, vai para qualquer lado sem que eu tenha de sofrer uma escoliose para o carregar.. esta pequena mas grande máquina que tem tudo o que é necessário, dura horas e horas só de bateria e mete a um canto alguns dos bons portáteis que por aí se vendem.. estou (como diria o outro!) maravilhada!
Lá vou eu começar a escrever o livro.. :)

13.5.09

A pensar nas próximas férias..

« - .. como é que se chama aquela ilha.. Cayo..
- Levantado. Cayo Levantado.
- Isso. Cayo Levantado. É lá que vamos nas próximas férias.»

E pronto.. com tanta determinação, quem é que lhe diz que não? Eu não sou, de certezinha!! :)

Comecei a escrever um diário..




.. e sinto-me mais ou menos assim. :|

5.5.09

Onde há clima..

Quando eu entrei na Universidade do Algarve (salvé o ano da graça de 1996!!), o lema da mesma, que me recebeu de braços abertos, era: UALG.. onde há clima para estudar!

Depressa me apercebi que, realmente, havia clima para muita coisa, menos para isso.. E antes que me dê aqui alguma crise de saudosismo e me ponha a revelar segredos que estão mais que enterrados (!!), vou direitinha ao propósito deste post.. o cartaz da semana académica.

Já não sou moça para comprar o bilhete semanal, mas se pudesse ainda ia a dois ou três concertos.. :)

.. se não trabalhasse, claro, cedo como-ó-catano!




2.5.09

Influenza A(H1N1)

«2 May 2009 -- The situation continues to evolve. As of 06:00 GMT, 2 May 2009, 15 countries have officially reported 615 cases of influenza A(H1N1) infection.

Mexico has reported 397 confirmed human cases of infection, including 16 deaths. The 241 rise in cases from Mexico compared to 23:30GMT of 1 May reflects ongoing testing of previously collected specimens. The United States Government has reported 141 laboratory confirmed human cases, including one death.

The following countries have reported laboratory confirmed cases with no deaths - Austria (1), Canada (34), China, Hong Kong Special Administrative Region (1), Denmark (1), France (1), Germany (4), Israel (2), Netherlands (1), New Zealand (4), Republic of Korea (1), Spain (13), Switzerland (1) and the United Kingdom (13).

Further information on the situation will be available on the WHO website on a regular basis.

WHO advises no restriction of regular travel or closure of borders. It is considered prudent for people who are ill to delay international travel and for people developing symptoms following international travel to seek medical attention, in line with guidance from national authorities.

There is also no risk of infection from this virus from consumption of well-cooked pork and pork products. Individuals are advised to wash hands thoroughly with soap and water on a regular basis and should seek medical attention if they develop any symptoms of influenza-like illness. »

Tudo isto e muito mais: AQUI.

1.5.09

Passear «Cá dentro»


Esta pequena delicia, foi literalmente devorada num ápice, assim com direito a 'hummmmnsss' e 'Óh meu Deus, que coisa deliciosa' e muito escorrer de baba e semi-cerrar de olhos durante a degustação.. porque é verdadeiramente DIVINAL. E foi em Alcobaça.. vá, passo a publicidade, pastelaria Alcoa, ali mesmo em frente ao mosteiro.. que tarde agradável passei por lá! :)
Depois, mais abaixo, o mar da Costa da Caparica consegue dar-nos um lindo por-do-sol..

Ao longe Lisboa, vento a mais de 80km/h, a sensação agradável de quem adora-comer-cabelos-e-estar-constantemente-a-chorar-com-a-areia-no-ar.. foi um espetáculo para coisa aí de 5 minutos e voltarmos para dentro do conforto do carro.

Bonito de se ver também, é Óbidos! :| Mas tentar ver aquilo em meia-hora não tá com nada, que faz doer os musculos todos das perninhas. Gostei de saber que por lá anda gente da minha raça..

Subir quase aos telhados das casas para tirar fotos é de loucos.. ainda mais quando o vento lá em cima é tanto que parece que vamos voar a qualquer instante. Definitivamente, os dias de vento não são os dias indicados para eu larear a pevíde.

Das melhores que ouvi ultimamente..

«Toda a gente sabe que quando o oceano indico sobe, o Bangladesh..»

Só mesmo o humor da rádio comercial.. :)

28.4.09

«The Show»

I'm just a little bit caught in the middle
Life is a maze, and love is a riddle
I don't know where to go
Can't do it alone
I've tried, but I don't know why

Slow it down, make it stop
Or else my heart is going to pop
'Cause its to much, yeah its a lot
To be something I'm not

I'm a fool, out of love
'Cause I just can't get enough

I'm just a little girl lost in the moment
I'm so scared but I don't show it
I can't figure it out
It's bringing me down
I know, I've got to let it go

And just enjoy the show

The sun is hot in the sky
Just like a giant spot light
The people follow the signs
And synchronize in time

It's a joke, nobody knows
they've got a ticket to the
show.

Just enjoy the show

I want my money back!!!

[Lenka]

2.4.09

Girls just wanna have fun!

Porque nós, as gajas, de vez em quando também merecemos!! :)