28.9.12

Meninas e meninos, preciso da vossa ajuda!

A familia Teixeira aumentou, como vocês sabem. Para isso, tivemos de fazer cortes em algumas coisas, mas noutras tentamos esticar e não conseguimos! O nosso carro é uma dessas coisas. Por isso, com grande pena  nossa, temos de o pôr à venda. O que vos peço é o seguinte: clicar no link e partilhar no vosso FB ou Twitter, ou Blog.. ou boca-a-boca, se preferirem!
A quem interessar, o mobil Teixeira está impecavelmente novo, super bem tratado, anda que se farta, é super cómodo, é giro, está carregadinho de coisas extras e gadgets que dão muito jeito. Não custa nada passar a palavra. Conto com a vossa ajuda.. e se a ajuda para a troca do carro vier de uma de vós, prometo que haverá recompensa!
Muito, mas muito obrigada!

Aqui está o link. Partilhem, por favor!

25.9.12

tenho veia de pasteleira.


Fiz os meus primeiros e saíram bem. Estão aprovadas as mãozinhas para fazer estes mimos. Agora só falta haver mais uns eventos para arregaçar as mangas e deitar mãos na massa. Quem diria, que eu, mãos de Fiona, faria umas coisinhas tão bonitas e deliciosas daquelas, que para mim, não passam de queques com cobertura? Vivendo e aprendendo, minhas queridas.. vivendo e aprendendo..

24.9.12

Nunca digas nunca.

É daquelas máximas que deveríamos ter tatuada na testa, para nos lembrar (sempre!) que é exactamente daquela água que vamos beber, especialmente quando temos sede e não há outra tão perto. Hoje, engoli mais um sapo e rendi-me ao ditado. Nunca dizer nunca, é uma lição mais que aprendida.

ontem foi dia de festa.


A mini M fez 6 anos. Está crescida, uma pequena mulherzinha. Adorou a festa, os amigos todos, a surpresa da pinhata, o bolo dos Angry Birds, as prendas e os mimos.. ai tanto mimo. Não sei descrever em palavras aquilo que lhe desejo. Só consigo sentir este amor imenso, esta vontade doida de que seja imensamente feliz, todos os anos da sua vida.

19.9.12

o novo vício.




Há muito tempo que uma série (a Anatomia não conta, que já faz parte da família) não me prendia ao sofá. Ou não me fazia perder tempo a decorar as sessões para poder ver em directo e ainda pôr a gravar para ir ver mais tarde, se me apetecer. Só com o primeiro episódio me deixou a querer mais e mais e mais. E dou por mim, a querer muito que seja Terça à noite, para mais um novo episódio. Genial, o argumento.

14.9.12

hoje fui contigo, para aquele que será o primeiro de muitos. queremos que cresças e que aprendas e que te tornes numa miúda inteligente e preparada para a vida. não sabes a vontade que tenho de te proteger sempre, mas hoje sei que tenho de te deixar explorar todo um mundo que ainda não conheces. porque a minha função é essa: deixar-te ir para que saibas sempre regressar. hoje vais para o primeiro ano. e embora ainda não me preocupe com boas notas e resultados, só quero que gostes de tudo o que te espera e que sejas imensamente feliz.

13.9.12

sounds good

fade into you

Yey! O puto já dorme sete horas seguidas!


Mas isso não quer dizer que eu me tenha transformado, de novo, numa fada do lar brilhante. A roupa para passar ainda se acumula, a limpeza a fundo ainda não foi feita, a escola da pequena começa amanha e não sei para que lado me vire. Agora vão começar os pequenos-almoços à pressa, o jantar em cima do joelho e esta casa a desmoronar e a clamar por uma senhora-a-dias que venha ajudar a senhora mãe, que sou eu! Uma vez que o nosso governo não nos autoriza a esbanjar dinheiro, a senhora mãe vai ter que acumular funções de senhora cozinheira e senhora-a-dias.. e parece-me que esta casa vai demorar a voltar à normalidade. Caramba, somos quatro a viver cá em casa. Já vos disse que o puto dorme sete horas seguidas? Sou uma mulher nova desde que voltei a dormir.

11.9.12

Daqui por uns dias, mesmo no final da semana.

Ainda ontem (parece-me!) a puseram no meu colo, acabadinha de nascer e daqui por dois dias já vai para a escola primária. Não são os dias que passam muito depressa, nem ela que cresce muito depressa. É um não-sei-quê que não consigo explicar.
Olho para ela e imagino-a daqui a uns anos. E não consigo imaginá-la senão na condição de eterna bebé, que precisa do colo e dos mimos da mãe, que choraminga quando está nervosa e é doce.. tão doce como o mel. E no entanto, já vai para a escola. O primeiro ano de muitos que se esperam que sejam de sucesso. Não para nos alimentar o ego, mas para a fazer feliz e realizada. Que é o que mais queremos.
E depois olho para o pingarelho mais pequeno e penso que com ele será exactamente igual. Não vão ser os dias que vão passar muito depressa, nem vai ser ele que vai crescer rapidamente. Vai ser um não-sei-quê que não vou conseguir explicar. Só sentir, porque coração de mãe sente tudo mais intensamente.

Já não aguento mais este assunto..

Crise, austeridade, impostos, TSU, aumentos, chiça! Que raio de país este onde estou? Que rumo isto irá tomar? Que futuro espera os meus queridos filhos? Penso nisto e fico com um nó na garganta..

4.9.12

{das outras coisas}

Gostava muito de vir para aqui dizer que o rapaz é come e dorme, mas estaria a mentir. Por isso, não digo nada. A mais velha anda numa excitação que só visto: o mano, a escola, a exposição dos dinossauros, os livros novos, a festa de anos. Eu tenho a cabeça esgotada. Queria dizer que consigo ter pedalada para tudo, mas o meu cérebro já não pega. Ou começo a ter noites de sono decentes ou ando offline o dia todo.. e a poder de descafeinados, que é uma coisa esperta. (se eu engulo um café ~suspiros~ será que o puto ganha asas como o redbull? é melhor não.)
Entretanto outra nuvem paira no meu ninho de cucos. A maldita barriga que não vai ao lugar, os malditos quilos a mais que não se vão embora. Eu a amamentar só tenho vontade de comer vacas inteiras. Não sei de onde vem este apetite voraz. E ainda dizem que amamentar emagrece! Dos quase 18kg que engordei, ainda faltam uns 8 para abater. E depois, com esta vida de reclusa domiciliária que tenho, mais complicado se torna. Assim que esta fase passar, interno-me no Póvoas e só saio de lá quando conseguir vestir as minhas calças todas.

3.9.12

Para as mães por essa blogosfera a fora..

Um remédio mesmo bom e infalivel para as cólicas? Please? Anyone?
Estou a dar em louca..

2.9.12

{dos meus dias}

Já há muito me tinha esquecido de como é viver assim. Com as horas e os minutos contados, à volta das grandes exigências de um ser tão pequeno, que não se inibe de serem 3 da manhã e acordar o prédio inteiro com o poder dos seus pulmões. E digo pulmões para não dizer o sistema respiratório todo. Se não forem as malditas cólicas, que já lhes tenho um ódio de morte, será por fome ou por uma troca de fraldas, enquanto a leiteira com pernas aka mãe, entre os olhos mal abertos e os bocejos e um cambaleante passo, lá vai acalmando o choro e descobre a causa.
Já me tinha esquecido de como é viver em prol de um pequeno e exigente ser, deixando para segundo plano um banho mais demorado, ou lavar o cabelo como deve de ser, fazer a depilação ou vestir qualquer coisa de jeito que não sejam camisas velhas e largas.
Já me tinha esquecido do que é andar o dia inteiro a snifar-me, de onde virá este cheiro a bolsado?e este cheiro a leite entranhado em mim?será que me sujei com alguma fralda?
Já me tinha esquecido do quão árduo é o propósito de tentar elaborar uma refeição decente, sem pressas de ir calar um bebé chorão e fazer pouco mais que salsichas com ovos em tempo record.
Já me tinha esquecido do que são as olheiras fundas, resultado de noites dormidas de três em três horas, quando a coisa corre bem. Que entre acordar, dar de mamar, arrotar, mudar a fralda e adormecer, um pequeno ser de meia duzia de dias, consegue arrumar uma gaja com trinta anos.
Não planeio saídas que durem mais de duas horas, porque não se sabe como vai correr a coisa; nem tão pouco para muito longe, porque a coisa pode correr mal.
Têm sido assim os meus dias, que aos poucos (e gráçáDeus!) estão a melhorar. Não tarda, este pequeno homenzinho cresce. E os meus dias serão distribuídos entre trambulhões e bolas e arranhões e mais cocó e xixi para limpar.
Parece que nunca estamos satisfeitas com aquilo que a vida nos dá.. e eu não me queixo, porque este pequeno ser foi mais desejado que o D. Sebastião. Contudo, há dias em que a exaustão me levam tão longe como desejar que ele tivesse nascido já com cinco anos, de vacinas tomadas, dentes na boca e a falar bom português.

1.9.12

Olá Setembro!

Chegou um dos meus meses preferidos. Na calha já anda a preparação da festa de aniversario da princesa, o nervosinho do inicio das aulas (o primeiro de muitos anos de educação da piolha), um fim de semana diferente e as ferias do pai.. Que bom! Já é Setembro!