31.12.11

O ultimo do ano!

Para todos aqueles que estao perto, longe, para os amigos, os conhecidos, os que gostam de mim e os que nao gostam.. Para aqueles que o destino quis que conhecesse através desta maravilha que é a blogosfera, o meu desejo é que 2012 seja o ano da mudança: mais amor, mais solidariedade, mais compreensão, mais sabedoria, mais Saude, mais paz, mais felicidade e muitos desejos realizados! Do fundo do coração, que 2012 vos sorria! Sejam muito felizes!

29.12.11

É capaz de ser barata..

Porque eu acredito.

O ano aproxima-se do fim. Nos dias que passam rápido, chegam as nostalgias dos dias passados. Comecei o ano de 2011 a trabalhar, com meia dúzia de colegas, com os quais brindei a um novo ano cheio de coisas boas e projectos.. Parecia promissor e, no fundo, ate foi. Grandes mudanças aconteceram nas nossas vidas, algumas perdas, alguns ganhos, sonhos cumpridos, ambições realizadas e o amor, o tão estimado amor, sempre presente na nossa vida. Acho que é por isto que lutamos e que pautamos a nossa vida, os nossos actos. Nao basta querermos ser pessoas melhores, é preciso sabermos estar à altura de toda e qualquer situação e fazermos o possível para sairmos delas da melhor maneira possível. Acredito que coisas muito boas estao para acontecer.. Acredito num futuro melhor. E esse futuro começa já dentro de 3 dias. Um novo ano que chega dá-me a esperança de dias mais risonhos, de sol e alegria. Acredito que estao melhores dias a chegar!

26.12.11

Happy birthday to me!!

Sim, faço anos a seguir ao Natal! É uma festa! 33.. Enfim, cada vez melhor!

24.12.11

então, é Natal.

Já aqui o disse muitas vezes. Adoro o Natal e tudo o que esta data envolve. Principalmente quando as melhores recordações são aquelas que trago de quando era criança. E todos estavam presentes. Hoje, a minha casa é grande para receber os que amo, mas fica cheia só de saber que eles estão presentes na minha vida. Penso muitas vezes no meu pai. Especialmente nesta altura. Porque raio há-de ser aquela criatura um ser tão estúpido, que não consegue sequer admitir que errou e que pode pedir perdão. Deve! Algumas pessoas me perguntaram, ao longo destes anos, porque não sou eu a dar o passo. Não posso ser eu. Não posso. Acho que a principal razão de estarmos vivos se prende com a necessidade efectiva que temos em aprender a crescer com os nossos erros. E o meu pai, felizmente!, não é um diminuído mental, não têm nenhuma deficiência cognitiva que o impeça de tomar uma decisão certa. O meu pai pensou em todos os pormenores para nos afastar da vida dele, num acto de egoísmo, e com certeza estará na posse das suas faculdades para pensar em como deveria reverter essa situação. Teria de ser ele a crescer, a tomar esse passo, a ser adulto, a ponderar, a suportar a vergonha de ter de admitir que desta vez foi ele que fez um grande disparate. E se aceitava? Bem.. não poderei dizer que tudo voltaria a ser como dantes, mas com toda a certeza, estaria disposta a ouvi-lo. Curiosamente, porque é Natal. Sobretudo, porque tenho muitas saudades e não o queria longe da minha vida para todo o sempre.
E assim, hoje é Natal. Com mais ou menos alegrias, celebramos o dia da esperança, do amor, da família. E no intimo do meu ser, faltará sempre qualquer coisa, que me impede de ser cem por cento feliz.

18.12.11

Net só no telemóvel.

Estamos off no pc.. Sinto falta dos blogs amigos que acompanho. Aqui no telemóvel nao tem tanta piada. E amanha vamos de viagem, para o casamento do cunhado. Ainda bem que os posts do dia de Natal ficaram programados.. Ate lá, resta-me aceder por este ecrã minúsculo e sem graça..

16.12.11

A heartbeat and my tears..

Foi assim. Um pequeno coração a bater e a minha pessoa a emocionar-se.. Temos um bebe valente!

10.12.11

{em modo família que não se larga}

Vai ser o nosso fim de semana. Assim, o pai já de férias vai poder dormir mais do que o costume, a árvore de natal que temos de fazer para a escola da pequena (tudo com materiais recicláveis e muita imaginação, até porque somos uns pais muito criativos!), a roupa para o casamento que ainda não encontrámos, as compras que têm mesmo de ser feitas, os mimos que eu quero, o bolo de chocolate quente ao fim da tarde. É isso. Um fim de semana, em modo família lapa.

9.12.11

Christmas Song #13

Para rir um bocadinho, esta canção de Natal, escrita em comédia, dos 'saudosos' Contemporâneos.


(das) amizades

No dia 18 de Novembro, recebia um sms de uma amiga (?) que dizia mais ou menos isto: «daqui a dois dias entro de férias e passo aí por casa, para estar contigo». Dezanove dias depois, continuo à espera.

Grey Day

Não é que tenha a alma pintada de cinzento, mas sinto-me fria e vazia. Queria estar de sorriso rasgado no rosto e cantar canções de natal, mas ainda não consigo. Os dias cinzentos e frios dão-me cabo do sistema nervoso. É como caminhar pela penumbra, num qualquer filme do Tim Burton. Não gosto nada de me sentir assim. 





6.12.11

christmas song #12



Esta é uma das minhas preferidas! :)
O Natal está a chegar, weee!!

Isto é coisa para dar em grande disparate!

batatas fritas com dez litros de molho cocktail.. Maezinha, nem quero saber!

5.12.11

O meu gosto refinado e caro.

Esta manhã mais um passeio sem sucesso pelo shopping. Só eu, com esta má disposição toda a arriscar ter de ir visitar as amigas sanitas de uma qualquer casa-de-banho pública - adiante - dizia eu, mais uma volta, mais uma rodada, e comprar qualquer coisa que me agrade, tá quieto!
Pois que nem tudo é feio, não senhora. Nem tudo é sem graça e classe, nem tudo é enfadonho. Parei em frente à montra da Massimo Dutti, primeiro para descansar um pouco, porque me doíam as pernas e depois, bati de frente com o modelo da montra. Fiquei de quatro, a arfar, que sim, era exactamente aquilo. Não corri (porque estava mesmo à rasca das pernas!), mas levantei-me empolgada, voilá, vou entrar e comprar já. Até que bati (de novo) de fuças no preçário. Só o vestido quase 90 euros. A capa de lã 180. Entrei só para tocar nos tecidos (a costela espanhola que reina dentro de mim) e babar um pouco para cima deles - literalmente- e fiquei ali a imaginar-me dentro dos dois, aconchegadinha e feliz. 





{true}

All our dreams can come true if we have the courage to pursue them.


é fofo e cutchi cutchi e do que eu gostei mesmo foi do velho algarvio!

Os três numa fila do cinema, com óculos 3D na cara, para deleite da pequena e grande atrapalhação minha (sou realmente muito naba nestas modernices) um balde de pipocas gigante, a transbordar de calorias e muita vontade de ver o bichano.
Pois que fomos ver o Gato das Botas, em versão portuguesa, claro. Dou a mão à palmatória, que muitos dos filmes para crianças superam os de ficção para adultos. Adoramos o gato, a gata, o ovo, os mauzões.. mas dos que eu gostei mesmo, foi do velhote algarvio. Não sei quem lhe dá a voz, mas se não for ali de Portimão, Armação de Pêra ou Alvor, os meus parabéns, imitou na perfeição.
(fica aqui o trailler com a música da Lady GaGa, na versão inglesa)


christmas song #11

insomnia


Não há muitas coisas que me tirem o sono, senão o bem-estar dos meus. Ontem fui para a cama com a estranha sensação de vazio. Por mais que desse voltas e voltas, não conseguia adormecer. Não era um aperto ou um pressentimento, nem nada de esotérico. Era a minha cabeça, perdida em mil pensamentos, que choviam como meteoros diante dos olhos. E a casa em silêncio ainda me perturbava mais, porque prefiro que esta angustia me assalte no calor de uma casa cheia, deixando-me abstrair nas conversas dos outros, levando com os risos, os passos, as vozes, os pensamentos mais obscuros que tenho. Para longe. Por isso, o frio da noite tanto me incomodava. Logo eu, que sempre gostei da noite. Estava ali, como que pregada ao colchão, imóvel, num turbilhão de pensamentos e sensações, que só me levavam a ti. Tenho uma nova vida dentro de mim, sabias? Provavelmente nem queres saber. As saudades são terríveis. Sobretudo, no silêncio da noite.

4.12.11

christmas song #10


Enya - We Wish you a merry christmas


Gravidez não é doença. Pois não. E depois?

A quantidade de gente que me olha de lado quando digo que não ponho um pé no trabalho, nem por dez segundos, enquanto estiver grávida. Ah e tal, gravidez não é doença. Pois não. E depois? Se eu quero, posso e mando (mais cá faltava!), porque razão não hei-de fazer o que me dá na gana? Se não penso na crise? Penso. Se não penso na falta de dinheiro? Claro. Se não penso na produtividade e na quantidade de gente que gostava de ter um emprego e eu tenho e abuso da minha condição de «prenha», para me desculpar? Oh então não penso? Não durmo a pensar nisso. E chamem-me egoísta, ignóbil, o que quiserem, que eu deixo. 
Na minha primeira gravidez trabalhei até ao oitavo mês. Agosto e eu, que parecia um elefante fardado, sofri como Maria Madalena, não tinha pés, tinha melancias. Não andava, rebolava. Fazia 120km para ir trabalhar e regressar a casa. Trabalhava oito horas de seguida, arrastando-me sim, mas estava lá. Mas todo este esforço, porque a minha gravidez era santa, sem problemas. Um mar de rosas.
Depois de dois abortos espontâneos e de terem acontecido mais 7 (!) entre as minhas colegas, ficas a pensar que alguma coisa está mal ali. Radiação, stress, a vida por turnos, má alimentação, o diabo a quatro. Quem passa por elas é que sabe. Por isso, assim que soube que tinha sido abençoada, uma vez mais, a tentar colocar uma vida no mundo, nem sequer pensei duas vezes. Eu fico em casa toda a gravidez, se assim Deus quiser. E estou-me (sinceramente) nas tintas para o que os outros acham.

3.12.11

christmas song #9


Andrea Bocelli e Natalie Cole - Christmas song

Deliciosa!


eu uso e recomendo.

Love is always patient and kind. It is never jealous. Love is never boastful or conceited. 
It is never rude or selfish. It does not take offense and is not resentful.
Take a risk. Dare to move. Love is a leap of faith.


[in, A Walk to Remember]

2.12.11

christmas song #8


Queen - Thank God it's Christmas


Para a Miss Glitering.

(autora do blog às nove no meu blogue, que leio, mas como não sei se ela sabe da minha existência, quem a conhecer, faça o favor de lhe dar o recado! Agradecida!)

Querida,

Depois de ler isto, fiquei com uma enorme vontade de te dizer que adorei cada virgula. Porque ao ler cada palavra senti o mesmo que sentiria se escrevesse para a minha filha. A verdade é que partilhava alguns dos 'desprazeres' que o crescimento de uma criança pode trazer ao coração de uma mãe, nomeadamente quando achamos que todos os pequenos seres, filhos das outras, já andam por aí armados em crianças evoluídas e as nossas não. 
Quando engravidei, lá no trabalho, éramos 3 grávidas e 3 homens que iam ser papás. Todos quase pela mesma altura. Por isso, as experiências dos pequenos, quando nasceram e começaram a crescer, eram partilhadas a diário. Lembro-me bem que com um deles, até tremia, pois enquanto a minha ainda fazia caretas à sopa, a dele já comia empadão. Com outra colega, tinha vontade de enfiar a cabeça na areia, porque a minha filha ainda não andava e já a dela andava de triciclo! Enquanto a minha balbuciava para nosso deleite e contentamento o 'papá' e a 'mamã', o filho de uma delas já declamava Fernando Pessoa! Porque alguns pais e mães acham que é assim que deve de ser: os seus filhos são os melhores, os maiores e os pioneiros na grande aventura que é crescer. Quando a minha filha fez um ano, ainda não andava. Na realidade, começou a fazê-lo aos 15 meses e picos e ainda assim, de tal forma trapalhona que ainda demorou algum tempo a que tivesse confiança suficiente para o fazer sozinha. E sim, também eu me lamentava, que a pequena não andava e porquê?, falei com o pediatra tantas vezes, li livros, estudos, haveria um problema? Sim, na minha cabeça! Que ao invés de dar tempo ao crescimento normal da minha pequena, ouvia todas aquelas mães e pais, capazes de esgotar a paciência a um santo.
Hoje, com cinco anos, acho que não podia estar mais satisfeita. Sim, ainda dorme com fralda à noite. E depois? Quando ela achar que não vai precisar dela, certamente vai deixar de a usar. Agora chamem-me os nomes que quiserem!
Por isso, e pelo texto (lindo!), quero dar-te os parabéns! Não é fácil ignorar as mães que têm a capacidade de nos stressar, mas é fácil ouvirmos a voz que nos vem de dentro. E que quando olhamos para eles, temos a certeza que estamos a fazer um excelente trabalho, para o qual ninguém nos preparou.Que lhes conhecemos as fraquezas e as qualidades e que, sobretudo, não fazemos da existência deles um espectáculo de circo. E eles crescem, felizes, a seu tempo, rodeados de pessoas que só querem o melhor. Que os amam. 

Começamos a achar que abusámos na educação, quando..

.. a nossa filha entra pelo restaurante dentro, armada em dondoca e pergunta ao empregado se há camarão!

Já corri Ceca e Meca.

Primark 
Blanco 
H&M 
Zara 
Massimo Dutti 
Victor Victoria 
e nada!.. nada que me encha o olho. Vai ser lindo. O dia a chegar e nada para vestir.

1.12.11

era isto, meu deus...



figos assados com baunilha. uma manta. este filme. a minha princesa a brincar no tapete da sala. o ♥ preenchido. as promessas de dias melhores. as certezas de uma felicidade partilhada. é só isto e sou uma mulher feliz.

Welcome!


O ultimo do ano. O meu. O de toda a gente. Os de bom coração e os que têm os maiores abraços do mundo. Este é o mês da minha vida. Do meu aniversário. Do Natal. Da família. Sê bem vindo, Dezembro. Passo o ano todo à tua espera!

christmas song #7


John Lennon - Happy Xmas (War Is Over)


Tenham um feliz feriado.

Por aqui vai-se fazer por isso.
 E para aqueles que não sabem porque razão estão hoje em casa a desfrutar de (mais) um dia de férias, é só consultar aqui.