Avançar para o conteúdo principal

Gravidez não é doença. Pois não. E depois?

A quantidade de gente que me olha de lado quando digo que não ponho um pé no trabalho, nem por dez segundos, enquanto estiver grávida. Ah e tal, gravidez não é doença. Pois não. E depois? Se eu quero, posso e mando (mais cá faltava!), porque razão não hei-de fazer o que me dá na gana? Se não penso na crise? Penso. Se não penso na falta de dinheiro? Claro. Se não penso na produtividade e na quantidade de gente que gostava de ter um emprego e eu tenho e abuso da minha condição de «prenha», para me desculpar? Oh então não penso? Não durmo a pensar nisso. E chamem-me egoísta, ignóbil, o que quiserem, que eu deixo. 
Na minha primeira gravidez trabalhei até ao oitavo mês. Agosto e eu, que parecia um elefante fardado, sofri como Maria Madalena, não tinha pés, tinha melancias. Não andava, rebolava. Fazia 120km para ir trabalhar e regressar a casa. Trabalhava oito horas de seguida, arrastando-me sim, mas estava lá. Mas todo este esforço, porque a minha gravidez era santa, sem problemas. Um mar de rosas.
Depois de dois abortos espontâneos e de terem acontecido mais 7 (!) entre as minhas colegas, ficas a pensar que alguma coisa está mal ali. Radiação, stress, a vida por turnos, má alimentação, o diabo a quatro. Quem passa por elas é que sabe. Por isso, assim que soube que tinha sido abençoada, uma vez mais, a tentar colocar uma vida no mundo, nem sequer pensei duas vezes. Eu fico em casa toda a gravidez, se assim Deus quiser. E estou-me (sinceramente) nas tintas para o que os outros acham.

Comentários

Olívia Palito disse…
Muito gostam as pessoas de mandar bitaites para o ar. De julgar, de criticar (muitas vezes sem disfarçarem sequer a "cara-de-pau" que têm). Não suporto mesmo isso. Cada um vive e faz da vida o que quer. E tu Rita, se entendes fazer as coisas dessa forma, fazes. Cada um sabe de si, e tu sabes da tua vida.
Não podia estar mais de acordo com este texto. ;]

Parabéns pela gravidez Rita! ;]

Beijinho grande e óptimo domingo*
mari disse…
e fazes muito bem ... de ti sabes tu e mais ninguém :)

btw, a missglitering já sabe do teu post ... e disse-me que vai fazer referência no seu blogue ;)
**
Rita disse…
Obrigada meninas! Thks Mari, pelo recado à M. G. !! :)
Um beijinho as duas e um óptimo domingo!
abspinola disse…
Fazes tu muito bem.
A minha primeira gravidez foi a trabalhar ate a 8ºMês porque foi obrigada pelos medicos a ir para casa.
Na proxima graviez foi fazer de tudo para ficar em casa a relaxar e nem quero saber o que outros pensam.

Eu acho imensa piada pessoas a dizer e acham se melhores que outras que trabalham até ao fim da gravidez.

Eu concordo e dou conselhos a muitas futuras mamas e que devem por baixa para relaxar e preparar melhor para o parto.

Fazesbem Rita aproveita

Bjstos

Mensagens populares deste blogue

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.

Oscars 2015: Vanity Fair after-party

Classe vs Badalhoquice

Irina, Irina.. ainda tens de comer muito pão, filha.