Avançar para o conteúdo principal

Quando recordo Paris..

.. tenho sempre imensas coisas para falar. Porque é, digam o que disserem, uma cidade fantástica! Já tive a sorte de lá ter estado três vezes e mais trezentas voltaria, porque nunca se esgota a possibilidade de conhecer um pouco mais.
Mas, as minhas recordações turísticas sobre Paris, ficam para outra altura.
Hoje, enquanto preparava o almoço -a pequena ficou em casa, porque as tosses não a largam- lembrei-me da pequena Emma (que agora já não está assim tão pequena), filha da minha prima. Quando lá estivemos da primeira vez, a pequena tinha cinco anos. E era a coisa mais mimada pela avó. A mãe bem tentava reverter a situação, mas a sua passagem em casa dos pais, depois de um relacionamento falhado, o ter de voltar a partilhar paredes e tecto, levava-a a uma condição de subjugação e de encolher-ombros, que me fazia imensa confusão. A menina queria disfarçar-se todos os dias, a avó arranjava maneira. A menina queria ver o mesmo filme dez vezes seguidas, a avó deixava; a menina queria ficar a pé até às duas da manhã, a avó consentia.. o pior era na alimentação. Durante a semana que lá estive, nunca vi aquela criança comer um prato de sopa, uma peça de fruta, uma verdura no prato! Invariavelmente a coisa mudava entre massa com queijo ou frango ou peru com massa, uma vez por outra um pão com compota, bolos (muitos bolos) e croissants, snacks já preparados do supermercado, batatas fritas e queijo e sobremesas doces.
Num dos dias em que a levamos à escola, tentei perceber a ementa que estava na porta e espantem-se: massas, queijos, compotas e carnes fumadas! 
E, entretanto, estava eu na cozinha, a roer-me de problemas na consciência porque só ia pôr à frente da minha filha, para ela comer, sopa, douradinhos e arroz de ervilhas e uma maça! Sou doente ou não sou?

Comentários

MissApuros disse…
Temos que ser "mazinhas" de vez enquanto para os filhotes, afinal é para o bem deles ;)

Este ano vou a Paris e estou muito ansiosa mesmo, é uma das minhas viagens de sonho.

Bjinhos
Anónimo disse…
Ai, Paris, Paris...
Estou de relações cortadas com a cidade, pronto!

Quanto à alimentação, um dia a tua moça vai agradecer-te não ter 90 quilos como uma colega lá da escola
mary disse…
penso que a alimentação é tudo uma questão de equilibrio... aqui em casa nao somos obcecados com isso. os meninos comem na escola a sopa e as verduras, e em casa então saltamos essa parte e a mamys faz para o jantar arroz ou massa com peixe ou carne. sem obsessoes com verduras e sopas porque, sinceramente, eu nunca fui muito fã dessas coisas (culpa da minha má educação com a alimentação em criança, é uma boa verdade) e no entanto tenho, graças a deus, saúde para dar e vender! uns quilos idiotas a mais, é verdade, mas esses por culpa dos doces. não pela falta de sopa e legumes.
relaxa querida rita, a maternidade e a perfeição são conceitos incompativeis. desde que ela seja uma menina super feliz estás a fazer o melhor trabalho de sempre!
Anónimo disse…
mary,
tens uma foto reveladora...
:)))
mari disse…
não é doença chama-se ser mãe ... coruja ;)

boa noite sweetie**
mary disse…
foto reveladora? não entendi...

Mensagens populares deste blogue

A boa filha à casa torna..

... mesmo que depois de um interregno de quase 3 anos.
Podia contar a história daquela que foi ali comprar tabaco e nunca mais apareceu. Poupo-vos o melodrama. No meu caso, é mais a história daquela a quem a vida se voltou de pernas para o ar, que sem saber como nem porquê, vim parar ao médio oriente e já por aqui ando há quase dois anos. 
Nos entretantos, traí o blogger com o Wordpress. Relações modernas. Nada de mais. É que lá estava mais à vontade para falar da vida de emigrante. Mas, não há amor como o primeiro [dizem], bateu uma saudade imensa. Vim aqui de soslaio, só naquela de ver se ainda sentia a química. Nem de propósito ser o primeiro dia do ano e, tal e qual uma ressacada, não resisti em reacender a chama.
Se é para toda a vida, até que a morte nos separe? Não sei. Talvez. Quem sabe. Até agora estamos a ganhar ao José Carlos Pereira e à Liliana Aguiar no junta-separa.

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.