Avançar para o conteúdo principal

Esta vida cruel, má às vezes..

Estamos aqui em casa com o coração apertado, com um nó na garganta, com o pensamento naqueles dois pais que, assim, viram partir a sua pequena bebé. Não tenho palavras para descrever o momento e os sentimentos atropelam-se porque a vida, quando quer, consegue ser muito cruel. Os nossos amigos sofrem a sua perda. E nós sofremos com eles.

Comentários

Dina disse…
Nem quero imaginar a dor :/
ombemua disse…
Hoooo God!!!!
Nem imagino :((((
É, sem dúvida, uma dor jamais imaginável para quem não passou pelo mesmo. Força para os pais, familiares e amigos.
moon disse…
nem consigo imaginar a dor de perder um filho :(
Margarida disse…
Deve ser uma dor horrível... sei o que é perder um pai maravilhoso mas quando se trata de um filho, bem, deve ser insuperável! FORÇA (precisas para os amparar)!
mary disse…
parece sempre daquelas coisas que só acontece aos outros. e de repente acontece tão perto de nós, tão à porta da nossa casa, que é possível experimentar um pouco do que deve ser essa enorme dor.
não consigo imaginar, espero nunca ter que imaginar, e a maior força do mundo para essa familia e para quem apoia...
Turista disse…
Querida Rita, há pouco também soube da partida de um floco, dos pequeninos, daqueles que ainda mal se notam na barriga, mas que já ocupavam espaço, nas nossas mentes e corações...
abspinola disse…
Nao consigo imaginar a dor ... estou com as lagrimas nos olhos e penso no dia em que vi essa dor de perto na MAC.

Ver a felicidade de muitas e a infelicidade de outras mamas que perderam os seus bebes.

bjstos e força aos teus amigos
mari disse…
sinto muito muito ... :(
**
cristina disse…
Força aos Pais!:(

Mensagens populares deste blogue

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.

Oscars 2015: Vanity Fair after-party

Classe vs Badalhoquice

Irina, Irina.. ainda tens de comer muito pão, filha.