30.11.11

das minhas manhãs {agora}

Não vou trabalhar. A minha condição de fazedora de bebés não me permite. O meu trabalho é agressivo e pode prejudicar-me. E a médica não quer. E eu (tenho dias|alturas|momentos) concordo com ela. Excepto quando acordamos, pela manhã. E a pequena e o pai vão para a rua. Para os seus afazeres. Ver as outras pessoas. E eu fico em casa, num tédio profundo. Limpo e volto a limpar. Arrumo de um lado, desarrumo noutro. Vou à varanda ver o céu trezentas vezes. Abro os livros que já li, faço zapping, entupo o blog de posts, consulto a astrologia e dão-me ataques de riso. E suspiro porque não falo, não tenho muito que fazer e estou aborrecida. A vida para mim, começa às três da tarde, quando vou buscar a pequena à escola e digo bom dia ao mundo.

4 comentários:

ombemua disse...

Que texto tão bom!
Vai passeando pelos blogues e afins que as três da tarde chegam rápido!
Daqui a nada tens o teu bebe nos braços :o)

Baci*

Desnorteada disse...

é por um bom motivo! e não tarda vais ter muito com que entreter... beijinhos

mari disse...

vai passar num instantinho :D
**

mary disse...

cuida-te querida Rita, cuida-te!!! Não te quero a limpar a casa de rabo para o ar, nem a empurrar moveis para tirar o po atrás da estante! Fica sossegadinha a escrever para nós ate serem tres da tarde que é mais seguro :)