29.1.14

E, se de repente, te dessem um estaladão tão grande na cara que ficasses sem respirar por uns minutos? E se, de um momento para o outro, o chão se abrisse e tu te sentisses a cair no vazio? Ou se uma força superior te chocalhasse por dentro? Assim, como um aviso, um safanão, um abre-olhos.
Algumas vezes na vida senti uma espécie de coisas assim. Há dias foi mais uma dessas vezes. Acreditar que não passam de momentos de sufoco e que, no fim, tudo termina bem como nos contos de fadas, é um mote que tento abraçar com firmeza. Uns dias com mais força que outros. Mas a fé move montanhas. E todos os dias, o sol nasce para nos iluminar.
Dia após dia, vou vivendo com este nó na garganta e tento focalizar-me nos pontos positivos. Eu sei, eu quero e eu tenho a certeza que «isto» é só um mau momento.

Sem comentários: