Avançar para o conteúdo principal

Acima da média.

Acho que este é um tema controverso. Qualquer pai babaria de orgulho, depois de sair de um consultório, onde os elogios e os comentários acerca de um filho com apenas seis anos, se desdobrassem em palavras como «extraordinária», «espectáculo», «inteligente», «brilhante». Contudo, qualquer pai com muita modéstia, terá as suas dificuldades para dizer à boca cheia, que o seu pequeno rebento é inteligente. Mais que os seus colegas, acima da média, incompreendida pela professora e com uma grande luta pela frente.
A maioria dos professores não aceita muito bem estas qualidades num aluno. Não lhes dá jeito ter que reestruturar todo o seu método para motivar e ensinar uma criança que já não quer só aprender o que os outros ainda não sabem. A expressão é esta mesma: «a criança tem sede e a escola não lhe dá água.»
Confesso que tudo isto me assusta, ao mesmo tempo que me deixa orgulhosa. Se não tiver o acompanhamento necessário, a minha filha pode regredir, desinteressar-se pela escola. E se a professora não se interessar ou não conseguir fazer nada, perde-se um talento. Cabe-nos, a nós enquanto pais e educadores, escolher o melhor caminho. Mudá-la para um ensino melhor? Mudar de escola, mudar de método, de professores, de incentivos. Ao mesmo tempo que parece fácil é um problema. E, muito sinceramente, não sei bem por onde começar.

Comentários

percebo-te perfeitamente e não querendo assustar, normalmente os professores poem de parte mesmo essas crianças. Nao percebo o porque.
Óbvio que não vamos por todos no mesmo saco, mas falando no geral sim.

Boa sorte com a procura da melhor resposta para a pequenina menina inteligente que tens ai em casa.Tenho a certeza que vão encontrar uma solução :)
Parabens M :)

Mensagens populares deste blogue

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.

Oscars 2015: Vanity Fair after-party

Classe vs Badalhoquice

Irina, Irina.. ainda tens de comer muito pão, filha.