2.6.12


Quem me conhece sabe que eu sou muito prática. Pão-pão, queijo-queijo. Das poucas vezes que me permiti a sonhar mais alto, caí de redondo no chão. A queda foi grande, o chão é duro e cá em baixo, na terra, não se está tão bem como nas nuvens. Mas um novo ciclo se inicia. Hoje permito-me a sonhar um bocadinho, pouco a pouco de cada vez, quase a conta-gotas. Porque não podemos viver de sonhos, mas são eles que comandam a nossa vida. E quer queira, quer não, teimosa que sou em alcançar a minha felicidade, não posso negar que de pequenos sonhos se conseguem os grandes. Que esta vida não está para fracos, tristes e sem alento.

1 comentário:

Clementine disse...

Gostei muito deste pequeno texto, nunca deixes de sonhar :) *