Avançar para o conteúdo principal

adoro aquelas publicidades tipo auto-ajuda!

Especialmente as que metem exemplos como o Mourinho ou o Ronaldo. Sim, claro, todo e qualquer comum mortal tem a estimulação (financeira) que eles têm para fazer mais e melhor, para se tornarem campeões e vingarem por essa vida fora. Acho imensa piada aos exemplos, porque são pessoas que vingaram num mundo em que aquilo que se recebe por mês é um atentado à pobreza, à fome envergonhada, aos salários mínimos para aqueles que se levantam da cama às cinco da manhã e vão para uma fábrica produzir bens. Produzir. Coisa bem diferente de 'entreter' com passes de bola e golos fantásticos.
Querem os senhores da publicidade convencer alguém, utilizem pessoas que vingaram na vida dando no duro, com esforço e sonhos falhados, com lágrimas e suor, com horas de estudo nas pestanas, com anos de trabalho pesado no lombo. Com pessoas que tenham alcançado o sucesso com a força do seu trabalho e dedicação. E entendam que compreendo que treinar diariamente seja duro.. mas andar na faina também é e não conheço nenhum pescador que ande montado no carro mais caro do mundo, por exemplo.
De que me serve a motivação de alguém mediático, que vive num mundo a que a esmagadora maioria dos outros cidadãos do planeta não tem acesso? No que é que me faz feliz ouvir o relato fingido (e bem pago para o fazer) de uma pessoa que não passa pela mínima dificuldade? Pelo mínimo desconforto? Pela mínima ansiedade de saber que futuro deixar para os seus filhos?
Eu quero é ouvir histórias de gente real, de gente como eu, que lutou e venceu na vida. E que se hoje está bem é porque fez por isso. Porque, todos nós já sabemos, nas profissões de 'entreter', que são as mais bem pagas do mundo, entram aqueles que nasceram de rabo virado para a lua, ou os muito bem relacionados. Todos os outros, sonham em frente da tv.

Comentários

trintona disse…
Gostei muito deste post.
Tens toda a razão!

Mensagens populares deste blogue

A boa filha à casa torna..

... mesmo que depois de um interregno de quase 3 anos.
Podia contar a história daquela que foi ali comprar tabaco e nunca mais apareceu. Poupo-vos o melodrama. No meu caso, é mais a história daquela a quem a vida se voltou de pernas para o ar, que sem saber como nem porquê, vim parar ao médio oriente e já por aqui ando há quase dois anos. 
Nos entretantos, traí o blogger com o Wordpress. Relações modernas. Nada de mais. É que lá estava mais à vontade para falar da vida de emigrante. Mas, não há amor como o primeiro [dizem], bateu uma saudade imensa. Vim aqui de soslaio, só naquela de ver se ainda sentia a química. Nem de propósito ser o primeiro dia do ano e, tal e qual uma ressacada, não resisti em reacender a chama.
Se é para toda a vida, até que a morte nos separe? Não sei. Talvez. Quem sabe. Até agora estamos a ganhar ao José Carlos Pereira e à Liliana Aguiar no junta-separa.

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.