2.3.12

"bebés não são pessoas e podem ser mortos"

Francesca Minerva e Alberto Guibilini ou são uns perfeitos anormais, ou snifaram uma coisa muito forte quando se lembraram de vomitar tremenda barbaridade.
Estes senhores só podem estar a brincar.

6 comentários:

Maggie disse...

pois olha eu nem sei o que dizer, tbém pensei em postar e istio e falar sobre isto mas depois achei o tema tão dificil que nem arrisquei. E só uma coisa me ocorreu, será com esta justificação e que mães em depressão pos parto chegam a fazer mal e a matar os seus recem nascidos?


Maggie

Rita disse...

Pois, mães que em depressão fazem mal aos seus recem-nascidos são também elas pessoas doentes, eu acho.. Uma mulher tem nove meses para se mentalizar que vai pôr uma vida no mundo.. Se quando o momento chega, a depressão for tão grave que as leve a cometer esse tipo de atitudes, é porque no fundo sempre foram pessoas doentes e nunca desejaram ter um filho!
Conheço casos de depressão pós-parto que se dão porque o cansaço e a emoção de ter de viver para um bebe nao são bem geridos, mas com ajuda médica e alguma força, a coisa compõe-se! E nunca lhes passou pela cabeça, por mais fragilizadas que possam estar, fazer mal aos seus bebes!

Este estudo só demosntra que há mentalidades que fazem lembrar a do hitler, com a sua mania de raça superior, quando mandava acabar com deficientes, por exemplo.. Uma autêntica aberração, é o que é!

aNa disse...

eu até fico é sem palavras...:/

ombemua disse...

Nem comento!

Susana disse...

Primeiro, esse tipo de afirmação é uma aberração que nem tem comentário possível.

Segundo, as hormonas (as ditas, que também nos fazem comer coisas que não queremos :)) fazem mesmo das suas nestas alturas. Eu lembro-me de me deixar ir um bocado a baixo e de entrar em desespero, principalmente com o "mix" hormonas+cansaço+falta de horas de sono. Cheguei, confesso, a fazer/dizer coisas de que não me orgulho em momentos de cansaço extremo. E nem sequer tive uma depressão pós-parto (acho eu). Nunca cheguei ao ponto de fazer mal aos meus bebés e visto de fora parece-me impensável que se faça isso. Por outro lado, não sei o que se passa com essas pessoas, como se sentem, o que as levou a esse estado, não sei e, se calhar, só sabendo se pode avaliar/julgar.

cycle disse...

Eu vou ali morrer e já venho!