23.2.12

Watch your back: They're your friends.

Que é como quem diz, com amigos destes, vou ali e já volto. Estou fartinha de tentar abrir a pestana ao meu querido esposo, que vai sempre dando o benefício da dúvida.. até ao dia em que sente que tem a boa da faca espetadinha lá atrás.
Não há volta a dar: escolhemos com quem nos queremos relacionar. Certo. Por isso, nada como fazer a limpeza à lista de contactos. Se ficarmos resumidos a pouco mais que meia-dúzia, pouco importa. O que importa mesmo é não ter parasitas à nossa volta.

7 comentários:

Margarida disse...

Estou completamente de acordo!!! :)

ombemua disse...

Pois...eu ando a fazer o mesmo!
Ja deixei de procurar...(mentira) ainda a 2 dias gastei dinheiro a toa a enviar uma mensagem de parabéns a filhota de uma suposta amiga e nem um ola de volta....

Estou a caminhar para la....mas hei-de chegar...qualquer dia so respondo aqueles que se fizerem ver.

Baci*querida

mari disse...

e tens TOOODA a razão ...

aNa disse...

poucos e de confiança. hoje em dia é tarefa díficil detecta-los.. eu só os vejo mesmo quase já me estão a espetar a facadinha. devo sofrer do mesmo problema do teu esposo. mas a sorte dele é que tem uma esposa...

Rita disse...

pois é aNa.. infelizmente, aqui em casa sofremos os dois do mesmo mal.. eu é que já vou 'abrindo os olhos' e já não me vou deixando comer por parva..

beijinho grande pra voces, meninas!

Inês Menezes disse...

O problema é que há pessoas ingénuas (como o teu esposo, e eu também sou assim) que só acreditam no melhor das pessoas... Ao longo dos anos fui levando algumas facadas que me fizeram abrir os olhos, mas mesmo assim tenho a certeza que continuo a considerar certas pessoas como amigas minhas, que aposto que não são tanto quanto eu penso...
Sobre essas desilusões já eu escrevi umas quantas vezes, se quiseres espreitar: http://inesinesperado.blogspot.com/2012/02/desilusoes-da-vida.html

Inês Menezes disse...

O problema é que há pessoas ingénuas (como o teu esposo, e eu também sou assim) que só acreditam no melhor das pessoas... Ao longo dos anos fui levando algumas facadas que me fizeram abrir os olhos, mas mesmo assim tenho a certeza que continuo a considerar certas pessoas como amigas minhas, que aposto que não são tanto quanto eu penso...
Sobre essas desilusões já eu escrevi umas quantas vezes, se quiseres espreitar: http://inesinesperado.blogspot.com/2012/02/desilusoes-da-vida.html