25.4.11

vinte e cinco. hoje.

Há quatro meses que aquilo que deverias ser não quis tornar-se um ser. Há quatro meses que te perdi, naquele que foi o dia de natal mais infeliz de sempre. Hoje, por aqui, celebra-se o vinte e cinco da liberdade. Eu choro por dentro, por não me ter sido dada a oportunidade de ter-te. Anjo tão meu.

*
*as flores, para mim, hoje estão murchas.

1 comentário:

Movimento Moda disse...

A vida tem destas coisas, infelizmente :(
jts*