26.4.11

a minha melhor amiga.


Quando era pequena tive uma. Andámos na escola juntas até ao nono ano. E apesar de ainda sermos amigas hoje, passados tantos anos, já nada é como dantes. Depois, tive outra. Curiosamente com o mesmo nome que a primeira. Mas mais fraquinha, digamos. Hoje, nada sei dela. Quando fui para a faculdade e conheci imensa gente fui fazendo amigas. E tenho uma grande amiga que dura até hoje. Mas a distância, por vezes, dita a separação. E embora estejamos em permanente contacto, também já nada é como era dantes. Quando entrei para a empresa onde hoje trabalho, vai fazer sete anos, eu e a minha 'melhor' amiga aproximámo-nos e hoje, ela é como se fosse familia. E embora eu saiba que ela estará presente quando eu precisar e embora eu esteja sempre disponível para ela, falta um não-sei-quê que não sei como explicar. Estarei velha para estas coisas ou a vida tornou-me mais selectiva e exigente? (...)

*este post continua

3 comentários:

mary disse...

bom, eu nos meus 21 anos, nao tenho nenhuma! tive uma, andámos juntas tambem ate ao nono ano mas depois mudamos de escola, faculdades diferentes, vidas diferentes e apesar de ainda nos darmos, nos vermos, ja nao é como era, falta tambem aquele factor D. na faculdade, tambem tenho uma colega que podia ser melhor amiga tambem nao fosse haver aquele mesmo factor que falta. da idade? nao diria. do mundo de hoje em dia, sim...

mary disse...

*ups, 20 anos. ja me ando a acrescentar digitos de graça!

Movimento Moda disse...

A distância provoca afastamentos, é verdade...