5.3.11

O meu vizinho do lado.

O meu vizinho do lado tem para mais de 80 anos. É surdo e fala alto. Anda devagar, mas está por todo o lado. É bisbilhoteiro, viúvo e do FCP. Desliga o gás dos outros quando não os sente em casa. Dá conta de tudo o que acontece no prédio, na praceta e no raio de 2km. Ouve Amália aos altos berros e cá em minha casa ouvimos perfeitamente os relatos dos jogos da Sport tv. Faz tudo, repara em tudo e dá palpites. Quando nos mudámos para cá, pedimos a instalação da (agora) Zon, esperou que os técnicos saíssem para ir desmontar a caixa dos cabos e verificar se tinham deixado tudo em condições. E a caixa nem é dele. Quando faltou a luz na rua por causa de mau tempo, uma das lâmpadas do candeeiro da praceta fundiu-se. Bateu-me à porta a reclamar, porque raio não tínhamos ainda ligado para a EDP, se não nos incomodava que a lâmpada não funcionasse. Quando o vizinho do 3º andar andou em obras e deixou o elevador sujo, deu-me um raspanete, porque nenhum de nós tinha limpo o chão. Pinta pedacinhos de parede, porque diz que andam aos pontapés com ela. Não acende as luzes das escadas porque não quer gastar dinheiro e critica quem o faz.. e nunca percebi como consegue encontrar a fechadura quando está escuro como breu no hall.

O meu vizinho do lado tem mau feitio com as questões do condomínio. É capaz de fazer esperas para perceber quem entupiu determinado cano. Vai com as próprias mãos tirar as motas que estacionam debaixo das arcadas do prédio. Toma nota de todos os carros que estacionam na praceta. E sabe perfeitamente quem foi que deitou determinado papel para o chão.

O meu vizinho do lado tem para mais de 80 anos. E de certeza que a solidão lhe bate à porta muitas vezes. E esta actividade diária de inspector, deve ter sido o que de melhor arranjou para se manter vivo. Não tem filhos, não tem família. Tem os vizinhos. Dá-me os raspanetes mais insólitos, aos que sou incapaz de retorquir. Acho-lhe piada e limito-me a acenar positivamente a cabeça, em sinal de aceitação, enquanto ele vai repetindo se não fosse eu, minha senhora, quem fazia?...

O meu vizinho do lado, tem para mais de 80 anos e dá-me raspanetes, enquanto me trata por senhora. E é capaz de ser o único a fazê-lo.

Sem comentários: