Avançar para o conteúdo principal

as put@s que deixam os filhos na cresce,

é assim que uma 'leitora' deste blog descreve as mães que, ao invés de estarem em casa a cuidarem dos seus filhos, os vão deixar nas cresces, infantários, escolas e afins, para poderem ir trabalhar. A julgar pelo modo como exprime tamanha consideração, das duas uma: ou é uma perfeita anormal ou anda a colecionar Hermès e PODE (efectivamente) ficar em casa com os rebentos.
A brutalidade com que se escrevem tamanhas imbecilidades faz-me confusão. Não vivemos no mesmo mundo? Pois, como mãe, amo de paixão a minha filha e nada no mundo se sobrepõe a ela. Trabalho, pois tá claro, porque o dinheiro não me cresce lá na plantinha que tenho em casa. Se preferia ficar em casa, a cuidar dela, pois preferia. Mas isto não é uma questão de preferências. São necessidades. E de ambas as partes. A criança precisa da escola e a mãe precisa do pilim para dar de comer à criancinha. E de vesti-la. E de tratá-la. Da criança, da mãe, do pai e do piriquito. Porque nem todas nascemos na familia Champalimaud. Mas, sobretudo, porque também acho que precisamos de ter uma carreira.. e sentir que somos realizadas. Como mulheres, como profissionais e como mães.
E por falar nisso, a folga está quase a acabar. Amanhã lá volto para o bordel.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.

Oscars 2015: Vanity Fair after-party

Classe vs Badalhoquice

Irina, Irina.. ainda tens de comer muito pão, filha.