Avançar para o conteúdo principal

Viva!

Data: 02 Janeiro 2008
Hora: pelas 16h - mais coisa, menos coisa
Local: Centro de Saúde de Vila Real de Santo António

Entre um autêntico aglomerado de 'ovelhas', que era precisamente o que parecíamos, as pessoas, empurravam e tentavam fazer uma fila (à batota), para ver quem chega primeiro ao gabinete das auxiliares dos médicos. O gabinete fica num recanto de um corredor. Mal cabem 10 pessoas de pé, quanto mais mais de 50, que foram as que consegui contar. Elas (apenas duas), entram e saem do gabinete, são atropeladas com perguntas e reclamações, entram nos consultórios, saem dos consultórios, levam e trazem papéis, vá lá entre lá agora, quem é a senhora fulana, onde está a senhora beltrana, o número 87 se faz favor, a doutora já não atende mais, pró doutor só sexta-feira.. e por aí fora.
Eu já estava à espera há quase 2 horas. O meu assunto era simples. Sabia que tinha que esperar, mas não precisava de estar no meio da confusão a reclamar por atenção. Então, só me restava apreciar o cenário. Eis senão que, de todas as criaturas ali presentes, tinha que ser a sra administrativa a surpreender-me.
Ia fazer a chamada para o médico que acabara de chegar. E anunciou isso bem alto. Naquele recanto fez-se silêncio. Todos a olhavam. E começou:
- Sr António Castro Sousa.
(silêncio)
- Sr António Castro Sousa! Não está? Sr António Sousa...? Não?
(silêncio)
- Bom.. então, Sr José Manuel Brito.
(silêncio)
- Sr José Manuel Brito!
(silêncio)
- Também não está?
(Todos olham uns para os outros, ninguém se acusa e faz-se silêncio)
- Então estes senhores marcam consulta e não aparecem? Porque?
(Gargalhada geral)
- Ó minha senhora, telefone aos senhores e pergunte.. vá lá a despachar isto!
A senhora bem tentou, coitada, mas metia os pés pelas mãos, muito embaraçada, cheia de complicações, têm de desimpedir o caminho do corredor ( e vamos para onde?).. mas não conseguiu. As pessoas atropelavam-se para ser as primeiras nas consultas à vaga, para carimbar receitas, para pedir medicamentos, para marcar consultas.. um autêntico quadro de Picasso. Já o corpo médico não fica atrás.. uma das médicas de serviço, vem à porta chamar as pessoas. No meio de tanto alvoroço ela nem se dá ao trabalho de falar um pouco mais alto. Ela miou o nome das pessoas (que por sinal se encontravam sentadas no outro lado da sala!) e como as duas primeiras pessoas que ela chamou não a ouviram, apanhou no seu belo corpinho e ala que se faz tarde! Como devem imaginar, assim que se deu por isso, caíu o Carmo e a Trindade.
Viva o sistema de saúde que temos. Viva estas administrativas super-competentes. Viva este pessoal médico que nasceu pra isto, tem amor à medicina e que cumpre com a conduta moral e ética da profissão. Viva, viva, viva... mas viva saudável, que se adoecer está feito!

Comentários

fj disse…
infelizmente é assim :((
o mal é de quem necessita mesmo de recorrer a estes centros.
beijose bom fds

Mensagens populares deste blogue

Achei que o corte de cabelo da Letizia merecia o meu regresso..

Se isto não é um exemplo de modernidade, não sei o que lhe chamar. A rapariga não é só a rainha de Espanha, é uma mulher moderna. E como mulher moderna que se preze, cuida da sua imagem. E só por esse gesto de corte com o tradicional e o correcto, só posso aplaudir a atitude. Já não posso dizer o mesmo da magreza. Num momento em que se apela ao fim da magreza extrema como sinónimo de beleza, num momento em que se defende um corpo saudável, ela aparece com as costas a descoberto.. e não consigo pensar em nada de positivo nesta imagem.

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..


a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.

Oscars 2015: Vanity Fair after-party

Classe vs Badalhoquice

Irina, Irina.. ainda tens de comer muito pão, filha.