Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2012

Do espirito natalício

Faltam seis dias para o Natal. Compras só mesmo as da pequena. Nem para o pequeno comprámos nada. Como disse o Pai Natal fajuto do fórum, à minha filha, é da crise! E, no entanto, a minha pequena, quando o gordinho com barbas lhe pergunta o que é que ela quer de prendas, ela responde: Quero saúde e um brinquedinho para o meu mano. E com isto, tenho tudo.

Era para ser, mas não foi.

Ainda não foi desta que montámos a árvore, nem pusemos o presépio em exposição. Há coisas para além da preguiça que nos transcendem. E passar um fim de semana inteirinho sem fazer quase nada de útil, é uma delas. É que foi mesmo comer, dormir e ver televisão. E assoar narizes. Prometemos que está para breve. E entraremos assim, oficialmente, em modo On para o Natal.

Já conhecem?

Se sim, obrigada pelo carinho. Se ainda não.. do que é que está à espera? É só fazer um like no Facebook. Não custa nada e eu fico-vos tão agradecida!
Ainda para mais que temos um Giveaway a decorrer. Aproveita? ♥

Faça-me um LIKE.

bom dia!

Começamos bem a semana. A pequena toda entupida e o pai que era para já estar de férias, mas não está, porque não há ninguém que o substitua e deixe o trabalho pronto. Bonito. Eu e o pequeno, aqui andamos tranquilamente por casa. =)

Confirma-se.

A minha filha é tão inocente, que até assusta. Mas ainda me assusta mais que, uma pirralha de seis anos, consiga engendrar desculpas mirabolantes para enganar a minha. Surreal e, no mínimo, cómico.

é este fim de semana.

que vamos 'pendurar' as botas. E este ano são quatro! ♥

De como a história se repete..

O meu pai costumava contar esta história. Eu era uma criança sossegada, os outros faziam o que queriam de mim. E quando eu levava com um pontapé ou me tiravam alguma coisa, lá ia de olhos em lágrimas queixar-me ao pai e à mãe. Até ao dia em que o meu pai me avisou que, se eu não resolvesse os assuntos das crianças com as crianças, quem levava por tabela era eu. Dizia ele que, foi a pior coisa que me disse. A partir desse dia, começou ele a levar com as queixas dos outros pais e dos miúdos. Por qualquer coisa que me fizessem, eu tornava-me num pequeno monstro. E magoava com força. A minha filha é igual a mim, em versão pré-aviso paternal. As outras miúdas fazem dela o que querem. Há duas semanas, levou uns ganchos para a escola. A amiga Rita pediu-lhe os ganchos emprestados, com a promessa de que ia nessa noite lá a casa devolvê-los. A minha acreditou piamente. Até lhe deu a morada! É óbvio que os ganchos nunca mais voltaram. Ontem foi um livro. A amiga Rita disse que queria ler o liv…

Este é o meu mês. O mês dos sonhos. O mês do Natal. E o último mês do ano, aquele que antecipa a mudança. Não gosto muito de mudanças radicais, porque sou muito senhora do meu porto seguro. Mas gosto deste doze, que termina com mais um ano e dá inicio a outro. Gosto deste conjunto de trinta e um dias, que vemos passar em contagem decrescente. Uns vinte e quatro para o natal, mais uns quantos para o fim de ano e no meio o meu aniversário. Só não gosto do frio. Preferia mudar o pais para o equador e festejar o meu mês de bikini e havaianas.