29.2.12

*telegrama urgente. stop.



Não!, sua tonta.. ela não te telefonou para saber como estás, não telefonou para se desculpar de meses de ausência, não telefonou porque se importa contigo. Mais uma vez, o motivo foi o mundo que gira em torno do seu umbigo. Apenas e só. E se voltares a cair na esparrela, ficas por tua conta, aguentas as consequências e não me venhas chorar no ombro. Porque eu avisei-te. Vezes sem conta.

*(mensagem da minha cabeça para o meu coração)

isto faz o meu estilo #2


o que eu me divirto com isto!

Houve uma alma, que às 03h09 da madrugada, provavelmente porque a coisa deve ter corrido mal, resolveu instruir-se, não vá a coisa dar-se outra vez. E, surpresa das surpresas, veio parar aqui ao meu canto, à procura de respostas.
E eu pergunto: ir directamente a um sextube ou coisa parecida, não? São bem capazes de se safar melhor..

Se por acaso faz anos hoje, parabéns!

E depois das felicidades, explique-me lá como é que fazem nos três anos seguintes? Sempre foi uma coisa que me fez imensa confusão: pessoas nascidas a 29 de Fevereiro e que festejam o seu aniversário de quatro em quatro anos!
É que celebrar no dia 28 é celebrar mais cedo, logo dá azar. Celebrar no dia 1 de Março é como celebrar o natal a 26, já passou, já não é o que devia ser, não tem o mesmo sabor.. perde-se a magia. E o pior é que não se pode dizer: Ahh, festejo hoje mas fiz ontem.. porque o ontem não existiu, foi dia 28 e não 29.. enfim.. expliquem-me lá, como se eu fosse muito burra, porque eu acho que só me passava a azia de quatro em quatro anos!

Mais um dia, mais uma volta..

«menina não paga, mas também não anda.» E andar, andar mesmo para a frente -como se quer- é coisa que está difícil para estes lados. Quanto mais tentamos levantar a perna, mais parece que nos empurram para trás. Enfim. Tristezas não pagam dívidas, dizem. Alegrias, também não. Bom dia, pessoas! Acordei do lado errado da cama.


28.2.12

[post] tão sei-lá-como-explicar..

E se de um momento para o outro tudo acaba? Assim, sem um adeus, sem uma despedida, sem um ultimo beijo? E se de um momento para o outro deixo de estar aqui para eles, ou um deles deixa de estar aqui para mim? Onde ir buscar as forças, onde ir buscar o ânimo, onde ir - simplesmente? O que será de mim, deles, de nós? Se num dia o sol brilhar e no outro for noite escura para o resto da vida?

.. o medo que eu tenho de perder quem amo não tem qualquer medida possível. Não há nenhum problema que não se solucione, de uma forma ou de outra. Mas perder alguém, é eterno. 
Por norma, sou uma pessoa optimista, de bem com o lado bom da vida, mas estes medos, por vezes, dão-me cabo do sistema nervoso. Não sei o que faria. Não tenho respostas para todas aquelas perguntas..


Porque eu também me assumo uma mãe coruja.

Coruja, galinha, leoa, tudo quanto é animal que faz qualquer coisa (repito: qualquer coisa!) que seja necessário fazer para proteger, educar, fazer feliz, amar a sua cria.
Várias meninas disponibilizaram e a mim, serve-me bem esta carapuça.


Mais mães assim a ler isto? Levem, levem. É de borla!

wtf?!?

Há uns bons vinte minutos atrás, ouvi o Pedro Ribeiro, na Comercial, a dizer que o Sting vem cá não sei quando nem sei onde.. e desde então ainda não pararam de pôr as músiquinhas do senhor no ar. O que é demais também cansa..

(Actualização passados mais de quarenta minutos: vou mudar de estação ou desligar o rádio. se quiser ouvir Sting como se não houvesse amanhã, punha um CD DO MESMO A TOCAR!!)

mais um selo!

Ora aqui está o mais recente 'selo' para a colecção. A Danii (obrigada!!) ofereceu e eu publico!


E as regras são:
1- Dizer quem o criou o miminho - Heart Beats
2- Dizer quem o ofereceu o miminho - Mind Like a Lens
3- Responder às perguntas :
-Diz uma coisa óbvia sobre ti. Sou uma mulher!
-Qual é o teu maior medo? Perder o meu núcleo.
-Qual é a tua cor favorita? Azul.
-O que mais gostas de fazer? Viajar e brincar com a pequena!
-Que estação do ano preferes? Aquela em que não chover muito!
-Tens vícios? Quais? - Café e café e café.. e um cigarro (que agora é proibido!)
-Qual foi a coisa mais maluca que fizeste ou disseste? Sinceramente? Não me lembro de nada assim tão maluco..
-Qual a coisa que mais odeias? Hipocrisia e falsidade.
-Se pudesses mudar alguma coisa em ti, o que seria? Nada! Gosto daquilo que sou!
-Qual a tua viajem de sonho? Porquê? Sonho a dois, antigo.. Route 66, a duas rodas! 
4- Oferecer a 8 blogues.


Bom dia, minha gente!


O sol brilha, os passarinhos cantam e é tudo muito lindo! Haja alegria! Bom dia!

27.2.12

palavras na melodia


all they need is love.. and a party!

Deu-se-lhes uma coisinha a toda a gente. Os pombinhos que andavam encalhados, resolveram assim de repente, desencalhar. No espaço de dois meses, já estão na calha para este ano, três casamentos e (quiçá!) um baptizado. Todos eles em sítios distantes do país, todos eles de gente importante demais para dizermos que não. E no meio de tudo isto, nasce um bebé (o nosso) e não sei ainda muito bem como lidar com isto.
Enfim.. o importante mesmo é celebrar o amor. E que feliz que eu estou por elas, as minhas noivas! 

uma das coisas [boas] de estarmos em crise..

.. é reparar que quase todas (senão todas!) as lojas do shopping ainda estão em saldos|promoções|baixas de preços|whatever, assim prái desde o verão passado. E ter o dinheiro contadinho para outras coisas.

isto faz o meu estilo


sobre o assunto do momento..

.. não, não vi os Oscars, que tenho mais que fazer do que passar a madrugada acordada. Por isso, aqui no estaminé não se fala do assunto enquanto a coisa não der em repetição, de preferência num horário mais compatível com os meus sonos de beleza.

Good morning!

vai uma preguiça para estes lados, que nem imaginam.. 

26.2.12

o bom da vida consiste nisto.


dos domingos

dormir até mais tarde, fazer torradas com manteiga, encher-vos de mimo, aproveitar os minutos muito devagar. amanhã, cada um de vós vai às vossas vidas, e eu fico aqui, qual princesa abandonada no castelo. por isso, aproveito todo o tempo que temos, para estarmos juntinhos, mão com mão, sorriso partilhado, pele na pele. e é precisamente, neste momento, que me apercebo que sou tão feliz. gosto dos nossos domingos.

25.2.12

weekend


Não há melhor remédio para a alma. Eu, tu e ela. Os três a saborear o que de melhor a vida nos pode proporcionar: estarmos juntos.
Bom fim de semana!

*detesto

* Destesto sentir cair-me chuva na cara, ou no cabelo; 
* Destesto mensagens com Jinhux Fofuxxx, ou Kidux, ou Amute, ou toda e qualquer forma de assassinar a nossa língua; 
* Detesto ter os pés gelados; 
* Assustam-me as decolagens, mas muito mais as aterragens.. lá em cima, tá-se bem! 
* Detesto barulho fora de horas; 
* Detesto pessoas conflituosas, cinicas, mesquinhas; 
* Detesto fazer coisas por obrigação; 
* Detesto trovoada; 
* Detesto o calor abrasador que me asfixia; 
* Detesto baratas, gafanhotos, e rastejantes; 
* Detesto que me façam de parva; 
* Detesto policiais; 
* Detesto matemática; 
* Detesto Absinto; 
* Detesto má educação; 
* Detesto violência; 
* Detesto ovos; 
* Detesto cortar cebola; 
* Detesto o cheiro a peixe cru.. 
* Detesto ficar encharcada da chuva e não poder despir-me; 
* Detesto não poder defender-me; 
* Irritam-me os falsos modestos; 
* Detesto a moda dos bonés 'muita dreds' dos putos de hoje em dia; 
* Detesto falta de higiene; 
* E sobretudo faltas de repeito! 
* Detesto quando as pessoas se fazem mais do que aquilo que são;

24.2.12

cartas d' amor

Hoje encontrei cartas de amor antigas, que o Mr T. me escrevia, no principio do nosso namoro. Confesso que fui eu que lhe dei o mote, uma vez que adoro escrever e qualquer papel servia de pretexto para fazer um rabisco onde lhe prometia amor eterno. Fiquei ali uns minutos a beber aquelas palavras, muitas delas de saudade e de paixão ardentes, próprias de quem está a querer viver tudo muito rápido, na grandiosidade que é um amor assim. Sei que fomos deixando de lado este habito de escrever um para o outro, o que no fundo lamento, mas agora o nosso amor é vivido de outra forma.. deixámos de ter tempo para escrever cartas de amor. E isso não pode ser. Ainda deveria haver tempo para escrevermos o nosso amor.. tem de haver tempo.

*Gosto


* Gosto do cheiro de pão quente;
* Gosto de banhos quentes, bem quentes! 
* Gosto de me enroscar no sofá em dias de chuva; 
* Gosto de arroz doce com quilos de canela; 
* Gosto de malas, apaixonadamente, cabem todas no meu coração! 
* Gosto de cheirar a baunilha; e do corpo a cheirar a côco; 
* Gosto de sentir o sol a bater-me na cara; 
* Gosto da sensação esquisita que nos dá quando voltamos ao nosso país, depois de alguns dias fora; 
* Gosto do cheiro a terra molhada; 
* Gosto de Pizza e lasagna e massa; 
* Gosto de borboletas; 
* Gosto de dormir tapada até aos olhos; 
* Gosto de Cacela Velha; 
* Gosto de piscinas e de estar de papo pró ar a grelhar; 
* Gosto do silencio; 
* Gosto de sapatos confortáveis, gorros no inverno, casacos quentinhos; 
* Gosto de café forte, batatas fritas e caracóis; 
* Gosto de Azul; 
* Mariscadas.. huummm.. mariscadas!; 
* Gosto de juntar os amigos;
* Amendoins, tremoços e minis!
* Gosto de um bom filme;
* Gosto de ler até adormecer;
* Gosto de desafios e de provar que sou capaz! 
* Fotos, gosto de tirar e de aparecer; 
* Gosto de surpresas; 
* Gosto do mê falar algarvio; 
* Gosto de muita gente; 
* Gosto de planear as viagens, ao promenor.. 
* Gosto do Sporting; 
* Gosto de ter tempo para mim; 
* Gosto das traquinices da mini; 
* Gosto de chocolate quente; 
* Gosto de rir, rir, rir, rir.. ;
* Gosto de gostar de muita coisa; 
* Gosto de ser esquisita com outras tantas! 

23.2.12

vocês nem imaginam do que eu me ando a safar..

Pois que lá no emprego, está um ambiente de cortar à faca. No ar pairam promoções e despromoções, com direito de voto dos colaboradores e tudo (que aquilo é uma democracia de fachada, que é que julgam!) e é o salve-se-quem-puder no meio de tanto cinismo e falsidade.
Amigas, só tenho uma coisa para vos dizer: abençoada a hora que resolvi ficar em casa sogadita, que eu não tenho estômago para estas coisas..

{dos sonhos}

Hoje sonhei que tinha encontrado o amor da vida enrolado com outra. E que houve muito choro e muito desprezo por parte dele e que eu ainda quase que me arrastava atrás dele, para que voltasse para mim. A outra era tudo o que eu não sou: loira, boa como o milho, provocadora. E, no fundo, até percebi porque raio foi ele enrolar-se com ela no meu sonho: a fulana era boa.
Acordei a sufocar. Olhei para o lado e lá estava o amor da vida, a dormir..
.. se tudo não fosse um sonho, o amor da vida estava tão lixado comigo..

há quem pesquise por cada coisa, Jesus!


Me-do!

Watch your back: They're your friends.

Que é como quem diz, com amigos destes, vou ali e já volto. Estou fartinha de tentar abrir a pestana ao meu querido esposo, que vai sempre dando o benefício da dúvida.. até ao dia em que sente que tem a boa da faca espetadinha lá atrás.
Não há volta a dar: escolhemos com quem nos queremos relacionar. Certo. Por isso, nada como fazer a limpeza à lista de contactos. Se ficarmos resumidos a pouco mais que meia-dúzia, pouco importa. O que importa mesmo é não ter parasitas à nossa volta.

em modo repeat.

{}

bom dia!


tenho ali uma caneca de café acabada de fazer; tenho ali uma fatia de bolo de chocolate que grita por mim; tenho ali o meu homem deitado na cama, depois de uma noite de trabalho; tenho o coração apertadinho de saudades da minha pequena; está ali fora um sol radiante e um céu azul; sinto que vai ser um bom dia.. espero que o vosso dia também seja bom. vá lá, alegria! 

(...)

Acho que se me secaram os sacos lacrimais. Vou para a cama com uma depressão em cima. Nunca mais vejo estes melodramas sozinha, porque estou grávida.. e as hormonas pioram as coisas.
pfff...

22.2.12

Vou ali chorar um bocadinho.


[clicar na imagem para trailer]

Este país está como está, por causa de coisas como estas..


Afonso Dias absolvido de rapto.


Este blog é recomendadíssimo!



Ora bem, a minha amiga Manuela, também conhecida como A Turista Acidental, presenteou-me com este selo que certifica que aqui o estaminé é de qualidade! Pois eu, sinto-me verdadeiramente lisonjeada com o 'prémio' e vou então responder às questões que colocam.. 

Eu Sou: uma mulher normal, apaixonada e dona do seu nariz!
Gosto Musical: uma verdadeira eclética. Desde Guns a Carminho, marcha quase tudo!
Comida: peixinho assado, massas, sopas..
Desenho : rupestre!
Amores da minha Vida: a familia, obviamente!
Coisas que não gosto: falsidade, snobismo, alface, absinto
Opinião sobre o panorama sócio- político em Portugal: a esperança é a ultima a morrer...
O que mais odeio: que me façam de otária.
Humor: depende de como acordo!  a sério: a vida tem de ser levada com sentido de humor, senão somos todos uns calhaus com pernas!
Frases mais ditas por mim: Arruma já isso! Prá mesa!! Óh valha-me nossa senhora!!




Informações Pontuais sobre mim:
Nome: Rita
Signo: Capricórnio.
Você está apaixonada? Muito apaixonada!
Você já fugiu de casa? Não.
Você rí de coisas bôbas?  Geralmente sim..
Já beijou na chuva?  Já sim senhora!
Você já teve o coração partido? Claro! E quem não teve?
Você já partiu o coração de alguém? Sim.
Você está sentindo saudades de alguém neste momento? Sinto saudades de quem partiu cedo demais, a toda a hora..
Você já pensou em se matar?  Nunca.
Seu cabelo te odeia? Não! É um cabelo muito bem comportado!
Você tem medo do escuro?  Não.

Você tem tatuagem? Não, mas já estive vai-não-vai para fazer uma. Qualquer dia...

Música:
Você gosta de ouvir música muito alta? Tem dias.
Você lembra dele quando escuta uma determinada música? Sempre.
Já foi ao show de sua banda favorita? Já fui a muitos concertos, mas ao "tal" ainda não..
Qual a sua música favorita? Neste momento: Tenho algumas músicas preferidas.. esta , esta , esta , e mais esta , e ainda esta , eternamente esta e esta e outras tantas que cabem no meu coração!


Cinema:
Ama filmes românticos? Amar de amar assim muito, nem por isso.. mas gosto de ver!
E comédia ou terror? Uma boa comédia ou um terror convincente, ajudam a passar o tempo!
Qual o seu seriado favorito? A modern family, Grey's Anatomy, Life Unexpected, Body Proof.. tantas..
Qual o seu filme favorito? já respondi a isso aqui..


Literatura:
Gosta de ler? Sou uma viciada em leitura.
Qual o livro que marcou sua vida?  As palavras que nunca te direi, de Nicholas Sparks
Qual o livro que você odiou? Nenhum!



E pronto, agora é passar o desafio para dez bloggers.. coisa dificil, porque quase todas que sigo já responderam a isto.. deixa cá ver:
Mary
Niki
Seni*
Maria

Cycle
Bazinga
Mari
Panda
Everlasting

Pronto! Tá feito!!

lar doce lar, a quanto obrigas.


Porque é que a minha mãe me fez tão prendada e tão fada do lar, quando na realidade bastava ter-me feito rica e neste momento eu não estava com este dilema que se chama limpezas a fundo?
Isto vai demorar, minhas amigas. À velocidade que eu me mexo, isto é coisa para estar pronto daqui por uma semana.

21.2.12

Voltei inteira.

Pois que aquilo parecia o cabaret da coxa. Elas, administrativas e enfermeiras a passearem as perucas e as máscaras de mau-gosto, histéricas, aos gritinhos e trabalhar que é bom, tá quieto. Consegui a bendita consulta, devem-me ter valido os quinze pai-nossos e as vinte avé marias que rezei enquanto esperava. Lá houve uma alma, com Dr à frente do nome, que resolveu aparecer para acabar com a macacada. Quase um dia inteiro perdido naquele lugar, para a coisa se resumir a uns três minutos dentro do consultório.
Ainda bem que somos um país evoluído e da união europeia! yupii.

as razões que me levam a ponderar fazer as malas e partir..

Não tenho médico de família, já lá vai para não sei quantos anos. No outro dia, ouvi o senhor ministro da saúde dizer que isso era impossível, que há médicos que cheguem para todos. Pelos vistos não há, senhor ministro. Tenho de recorrer a uma consulta de recurso cada vez que preciso de alguma coisa, claro, se não quiser ir deixar os olhos da cara no privado. Ontem tinha de ir tratar da minha baixa e surpresa!, não havia médico. Hoje voltei de manhã cedo e surpresa!, não havia médico. Vou voltar esta tarde sem certeza de  aparecer uma alma que tenha estudado medicina e que faça o obséquio de olhar para a minha barriga, constatar que estou grávida e me prorrogue a baixa. A senhora administrativa encolheu os ombros e disse não saber se ou quando haverá um médico.. mas não é por falta da existência deles, é porque têm outras coisas que fazer, portanto vão faltar. Este país mete dó.

bom dia, amor da vida!

.. vai lá trabalhar no duro, que eu vou ali apanhar uma irritação no centro de saúde e já volto!

20.2.12

andava eu feliz da vida, a passear no shopping, quando..

.. os meus olhos deram de frente com uma maravilha da moda. Sim, pensaram exactamente naquilo que qualquer grávida pensa: para quê comprar umas calças de grávida, se para além de custarem um dinheirão, depois não as vamos vestir? Pois parece que os senhores da Salsa pensaram nisso. E muito bem!
As calças de grávida Hope, da Salsa, que são compostas pela faixa de algodão que segura a barriguinha e que são amovíveis, para que possamos vestir as abençoadas meninas, depois do parto.
Pena, mas grande pena, é custarem noventa euros. Pois.



Aqui cheira um bocadinho a primavera.

Sim, claro, que o frio já não é o que era. Os dias solarengos já dão o ar de sua graça, com uns raios de sol que fazem apetecer ir à varanda espreitar o dia.
Aqui já cheira um bocadinho a primavera. Os pardais e os melros andam felizes da vida, aqui na praceta. E hoje já vi duas borboletas.
Já não é (nada) mau!

das coisas (mesmo) boas que a tv nos dá

lição a reter:

- pensar duas vezes antes de me enfiar num rodízio brasileiro, enquanto estou em estado gravítico. A sensação de depois de dois bagos de arroz e quatro feijões, mais uma banana frita e uma salsicha toscana, a subirem-me esófago acima, em forma de azia, é sensação que não quero voltar a sentir tão cedo.
Fiquemos-nos pelas sopinhas e afins.

19.2.12

{play}


domingo-a-sós-e-a-dias.

A pequena ficou em casa dos avós, nestas mini-férias de Carnaval. Tenho a casa inteirinha para mim. O Mr T. foi trabalhar. Tenho a casa inteirinha para mim. Música on alto e bom som, janelas abertas para deixar entrar o sol. Uma preguiça de fazer dó, um estado de caracoleta que rebola pela casa deixando rasto atrás. O aspirador e o pano do pó ali à espera. *Gosto tanto, mas tanto de ter a casa inteirinha só para mim e dedicar-me a ser fada do lar*..


Aquilo que me vai custar muito.

Mas assim mesmo muito, para lá de horrores.. ver toda a gente à minha volta a comer morangos e eu ter esta coisa que se chama «não ser imune à toxoplasmose» e não poder provar nem um bocadinho.
Já tive o primeiro ensaio ontem e ia morrendo afogada em tanta saliva.

A minha mãe (outra vez)

- Diz-me lá uma coisa.. o que é que quer dizer dois pontos e um pê?
- Desculpa? Dois pontos e o quê?
- Quando escrevem dois pontos e um pê? Pê de pato? Isso é o quê?
(andei nas trevas durante um bom bocado..)
- Ahhhh!! O smile? Dois pontos e pê minúsculo? Isso é sorrir de língua de fora, tipo careta.. PORQUÊ?
- Porque escrevem-me às vezes essas coisas e eu não sei o que querem dizer.. então e dois pontos e um asterisco?
- Um beijinho.
-Ahh! E dois pontos e um parênteses?
- Oh mãe, isso é um smile, é um sorriso.. é uma linguagem que se utiliza usando símbolos..
- Então manda-me lá uma mensagem com os bonecos e o que querem dizer e como se fazem para eu também usar.
- Sim, claro! É que não tenho mais nada que fazer! Google, já ouviste falar?

o frio é uma cena que não lhes assiste.


Carnaval de Loulé, com uns possíveis 12 ou 13 graus. Ou então teletransportaram a cidade para as Caraíbas e ninguém deu conta. Só elas!

18.2.12

Alice, a minha avó.

Falava francês e tocava piano. Era professora primária e aprimorada dona de casa. Fumava cigarros de senhora quando davam festas  lá em casa. Vestia-se elegantemente até mesmo para ir ao pão. Pintava e fazia doces. Era uma senhora séria, mas tão meiga como a manteiga. Dona de uns olhos azuis maravilhosos e uma expressão na face que nunca esquecerei. A minha avó era uma brasa. Um ser humano extraordinário. De quem eu tenho tantas saudades.

(não sendo esta a minha Alice, curiosamente muito parecida de cara e o cabelo exactamente igual)

17.2.12

About me [considerem-se já avisados.]

Não sou de presunções, nem de lamechices. Ou gosto ou não gosto. E quando não gosto, não como. Não sou de engolir girinos, quanto mais sapos. A falsa inteligência e o falso glamour irritam-me solenemente. As pseudo-ultra-fashion provocam-me náuseas. Vivo de uma forma normal, como uma pessoa normal, dentro das minhas possibilidades, fiel aos meus princípios. Acredito no amor para sempre, porque é isso que me motiva a viver uma vida feliz. Se erro, se falho, se perco, se desespero, se ganho, se encontro, se triunfo, tudo isso depende de mim. Só de mim. Já bati no fundo e voltei para cima. É tudo uma questão de querer.
Não sou pessimista, nem optimista. Vivo a minha realidade. Não a das imagens que vou buscar à net para colar no blog. Isso, são apenas molduras bonitas. Não são um espelho. Não consigo andar mais que meia hora em cima de saltos altos sem começar a pensar em palavrões e sem que me comecem a doer todos os dedinhos. Não gosto de unhas de gel, nem faço questão de andar com elas pintadas com a cor de ultima hora. Não ando em ginásios, nem faço massagens Thai. O ordenado ridículo que ganho por trabalhar 12 horas por dia não me permite andar vestidinha da cabeça aos pés com as últimas tendências, portanto muita da minha roupinha vai passando de ano para ano e faço um esforço por não a estragar muito. E, verdade das verdades, quase toda comprada em saldos, que é quando está bem escolhida por todos, mas aos preços mais acessíveis. E isto, claro, porque ao achar que o amor é para sempre, achamos que deveríamos encarnar em forma humana o fruto do nosso amor: a nossa filha. E para ela, obviamente, não pode faltar nada. Logo, não há devaneios em lojas de roupas e sapatarias com coisas que são prescindíveis cá em casa.
Tento viajar sempre que posso, claro. Que o melhor que levamos deste mundo são as memórias. Mas até nisso faço contas à vida. E já não sei o que é viajar sem ser em low-cost, ficar em hotéis low-cost e a comer em espaços baratuchos. Mas ao menos posso dizer que estive lá. Que fiz parte daquele sitio. E posso trazer as memórias.
Preservo os meus, com unhas e dentes e passo por cima de quem for preciso para os defender. E para casa só trago o que levei comigo quando saí, portanto o que tenho a dizer não fica para amanhã: sai no momento. 
Tenho na bagagem da vida muitas pessoas que me ensinaram que lutando tudo se consegue, que as coisas não aparecem no nosso colo por obra e graça. E é parte desse legado que quero deixar também.
Não consigo achar piada à moda dos vampiros e das Bellas muito brancas, em argumentos que mais parecem porno-chachadas; e não consigo perceber que mal fez o Eça para ser tão desprezado hoje em dia.
Acho que quem gosta de música sabe apreciar cada género, sem ter de ser necessariamente fã. E acho que devíamos todos, sem excepção, ser obrigados a ter aulas de civismo, todas as semanas da nossa vida, para que pudéssemos todos viver em sociedade, como seres humanos que somos.
E agora já podem começar a questionar, porque raio se deram ao trabalho de ter sequer feito clique no link do blog, e voltar às vossas vidas.

Faz hoje dois anos.

Que uma maluca resolveu incendiar-nos a casa. A casa que tivemos de deixar, noutra cidade, e alugá-la, porque já não estávamos a conseguir suportar as despesas. Outros carnavais. Quando entrei naquele apartamento, que era o nosso apartamento de sonho, ia morrendo. Nunca mais na vida conseguirei esquecer a tua expressão de raiva e dor, as lágrimas que não consegui conter, a ida à polícia, as queixas, o dia terrível que tivemos. Enfim.
Dois anos depois, queixa feita no tribunal, a maluca ainda não pagou pelos danos que nos causou. Graças à justiça portuguesa, que previlegia quem prevarica.
Como dizia há dois anos*, não nos matou, tornou-nos mais fortes. E a cada dia que passa, mais fortes nos tornamos.

16.2.12

Só pra dizer que este senhor bate forte cá dentro!



das boas descobertas.

Resoluções de ano novo

Rever seriamente as amizades que penso que tenho, porque, ou muito me engano ou, as amizades não pensam da mesma forma que eu. E anda aqui uma pessoa a fazer figuras de parva sem necessidade, não é?

Quem se lembrou de inventar o Carnaval em Fevereiro..

.. devia estar muito bêbado! Isto é lá altura do ano (e clima!), para se mascarar uma criança? Fazer desfiles? E depois são tudo fatos muito quentinhos! Não fosse eu entupir a miúda com quilos de roupa, debaixo do vestido de abelha, a coitada batia o dente o dia inteiro e amanhã era gripe de certeza!
Devem achar que estamos todos no país tropical, com certeza!

15.2.12

E hoje, tu.

Pois é, meu pequenino menino.. fizeste rir a doutora, a mãe nervosa, o pai babado, a irmã curiosa. Não paraste um segundo quieto, o que tornou complicado medir-te; exibiste os teus dotes viris tantas vezes, que até a doutora já te chamava descarado!
Coisa mái linda da sua mãe! És igualzinho ao teu pai!

Olha o jantar a sair..!




5 anos.

Este blog faz hoje cinco anos. Antes deste tive outros, que sou uma pessoa inconstante e que gosta de mudar de rumos. Este permaneceu. Nasceu como Sentido de Oportunidade e mudou de nome, porque precisava que os meus dias fossem doces. Este blog conheceu teias de aranha, revoluções interiores, devaneios, alegrias e lágrimas. Nunca pretendi fazer disto um alter ego, se bem que muitas vezes me deixei levar. A bem dizer, estão cinco anos da minha vida, mais ou menos escarrapachados neste canto. Conheci pessoas, troquei impressões, comuniquei, li outras vidas, emocionei-me muitas vezes e sorri outras tantas.
Gosto disto que tenho, gosto de vocês, gosto. Obrigada por terem feito parte desta história. Como diz o outro: sem vocês nada disto fazia sentido. Venham mais cinco!



14.2.12

Vi no FB e não resisti.

Embora a mensagem possa parecer um pouco o cliché dos sempre do contra, a realidade é que não deixa de fazer sentido. E enquanto a mentalidade das pessoas não mudar, nunca nada será feito para transformar o planeta terra num sitio melhor para viver. 


Este blogger anda a pedi-las.

Minha querida amiga, Mãeee , eu juro pelos santinhos todos que quase arranquei cabelos hoje. Já há alguns dias que não conseguia abrir o teu T3 e hoje, mal abre a página, aparece um aviso, que ai-que-Deus-que-o-conteúdo-é-perigoso e que tem vírus e que me vai lixar o pc todo e quando o ignoro (que remédio tem ele!), não me deixa comentar nadica di nada!
Dá noticias tuas, sim? I miss you. E queria dizer-te isso, pronto!

Vocês vão-me desculpar, mas isto qualquer dia é a lei da selva!

Hoje de manhã, li no jornal, qualquer coisa como se a pena de morte seria o ideal para 'travar' a onda de criminalidade neste país. Naquele momento quase que gelei. Sou a favor da vida, que Deus nos dá e nos tira, que nenhum ser humano tem autorização para tirar a vida a ninguém.
Depois, vejo na tv casos como o de o monstro de Beja que mata a própria família, de assaltantes que entram de arma em punho para roubar o alheio, do empresário português morto no Brasil, dos inúmeros casos de violência gratuita que acabam em morte de vitimas. E isto porque, neste pacato país, qualquer criminoso sabe que, por muito dura que possa vir a ser a sua vida, depois de preso, dificilmente obterá a pena máxima, porque a justiça funciona mal e porque passados uns tempos em que se portam bem e são meiguinhos, já estão cá fora outra vez. Muitas vezes, para voltarem a reincidir.
Querem-me dizer que se houvesse o espectro de um castigo deveras pesado, as coisas abrandavam? Talvez não. Mas ao invés de 25 anos, que se imponha a perpétua. Para que as pessoas que decidem entrar na vida do crime (já seja ele qual for, uma vez que já quase todos envolvem armas!) soubessem que iam passar o resto dos dias a ver o sol aos quadradinhos.
Porque eu já tenho tanto medo do futuro, que não consigo conceber que, no país onde pago os meus impostos, tenha que viver desconfiada, a olhar por cima do ombro, sem saber quando estarei no sítio errado, à hora errada..

E para terminar o dia em beleza..

.. nada como receber um telefonema da senhora minha mãe, a dizer-me que está muito apaixonada, que qualquer dia a coisa dá-se mesmo, porque, e passo a citar, tu já sabes como é que isto é, já namoraste e já casaste, as mensagens, as conversas de horas ao telefone e estamos a ficar muito pegados.. 
Óh, tirem-me deste filme!

e o desejo de hoje é..

(desejo mesmo, daquelas vontades de comer inexplicáveis, ok? coisas de grávida entupida de hormonas até aos olhos)


a bela da maçã do amor, calórica até dizer chega, enjoativa por fora, fresquinha por dentro e célebre por partir dentes e desencaixar maxilares.

Neste dia, há muitos anos atrás.

No liceu montaram uma barraquinha onde um aluno da associação se vestia de cupido e vendia flores, a serem entregues durante o período de aulas. Mal começou o dia, comecei a receber flores, aula após aula, lindos e maravilhosos lirios, trazidos em punho pelo cupido, que umas vezes lia um poema, outras vezes punha uma canção romântica a tocar. 
Era tudo muito lindo se eu não tivesse uma aversão terrível aos lírios e não conseguir achar piada nenhuma à coisa.
No fim do dia fui oferecê-los à minha avó, já só porque não os podia ver.
O rapaz em questão, tentava que aquele dia fosse sinónimo de reconciliação, uma vez que foram mais as vezes que acabámos do que o tempo que estivemos juntos - amores de adolescente, entenda-se! - e só conseguiu, coitado, estragar mais a coisa.
Quem me conhece bem, sabe que as minhas flores preferidas são as margaridas. E foram sempre margaridas, desde há 14 anos!

♥ music for a ♥ day.

A questão é que..

.. qualquer forma de amor é verdadeira. E (não só hoje, como todos os dias da minha vida) todos os que amo são o meu São Valentim. Porque qualquer motivo serve para celebrar o amor, não importa a hora, nem temos dias marcados. Mas já que a tradição o exige, aqui ficam os meus votos, de que amem muito e sejam muito amados!


13.2.12

Passam os anos e a história repete-se.

Quando escrevi isto, nunca imaginei que fosse quase intemporal.

merda de vida.

Eu queria muito que a notícia que me deram não fosse verdade, mas é. E é triste. E não havendo muito a fazer, espero que quem cá fica não sofra ainda mais. E neste momento, só me apetece pedir com todas as forças, que os anjos guardem aquela pequena menina, que não vai voltar a ver a mãe.. damn it!

12.2.12

check list para a semana que se segue

dia 14 - pequena no dentista
dia 15 - consulta para ver o nosso pequeno ser
dia 16 - baile de Carnaval da pequena com seu disfarce de abelha
dia 17 - desfile de Carnaval da pequena mascarada de melancia

olha que semana tão bem preenchida!

{true}

We're women. We have a double standard to live up to.

(not so) velha infância

Como eu tenho saudades dos domingos de criança. O dia em que comíamos cozido à portuguesa, em que me punha a pé para a missa ao meio-dia, em que a sirene dos bombeiros tocava com os sinos para anunciar que estava quase na hora; das tardes passadas no jardim a andar de bicicleta e das tartes de maça da pastelaria do Sr. Pide (sim, o senhor tinha sido bufo da pide e ficou com a alcunha até hoje!). Dos domingos de sol em que íamos brincar até à praia verde e bebia leite de chocolate. Como eu tenho saudades do cheiro daquela casa grande, do sótão, de brincar às princesas. Como eu tenho saudades daqueles tempos, em que fui feliz.

E quando o feitiço se vira contra o feiticeiro?

É muito feio rirmos alto e bom som, como se não houvesse amanhã? É que a vida tem destas coisas: um dia destes é o feiticeiro que vai precisar do rato que andou a esfolar.. e o rato pode simplesmente pagar na mesma moeda. Ai!, como aguardo pacientemente esse dia.

Whitney Houston ✝

Uma grande voz, que se foi perdendo ao longo dos tempos, por causa da estúpida doença que é a toxicodependência, o alcoolismo e o estilo de vida que isso acarreta. Uma grande diva, uma cara bonita, um ícone da música pop que, certamente, jamais será esquecida.
Aqui fica, a música que, para mim, era a mais bonita, mais emblemática e mais simbólica daquilo que era o sonho de vencer e ser feliz.
One moment in time.

11.2.12

grávida, me confesso.

Não deve ser fácil ter-me por perto.
(mais, aqui.)

Alguém se atreve?

Só mesmo para me mascarar de marreta, que é como quem diz, jamais!.. com o que eu gosto de Carnaval, tanto brilho junto, só me dava para isso. Ou para enveredar por uma carreira no circo.
à venda, aqui.

e hoje cantamos em português.

[falsos] amigos

Já ninguém me surpreende, nem me engana ou me desilude. Quando passei pelos piores momentos, quem esteve presente contou-se pelos dedos de uma mão. Hoje, que a maioria dos dias, os passo sozinha, promessas de pessoas que dizem querer muito estar comigo, já não me dizem nada. Já não espero nada, de quem só vive o mundo à volta do seu umbigo. E dou por mim, capaz de me morder toda, porque em tempo, mudei a vida (e até mudava a pele, se fosse preciso!) para estar junto de quem precisou de mim. Isso aborrece-me, faz-me parecer parva. Na realidade, ainda tenho de levar muita porrada da vida..


Quando o tempo passa, e eles crescem..


.. e ficamos com a noção de que está tudo a ir depressa demais. Ainda ontem te tinha nos meus braços pela primeira vez e hoje, já andas na escola, já sabes ler (sem que nenhuma professora te tivesse ensinado), já tens a resposta na ponta da língua, já te tornaste mais independente e até já te caiu um dente. Cresces tão rápido, que às vezes, sinto que o tempo se me escorre pelos dedos. E quero prender-te a mim para sempre, fazer com que sejas bebé para sempre e tu, com esse sorriso (agora mais delicioso, porque te falta um dente!), reclamas comigo que já és uma menina crescida. E és. Uma menina que está a crescer feliz, porque foi com esse propósito que te carreguei no ventre: fazer de ti um ser humano feliz, acima de tudo.
E embora o tempo passe e tu cresças mais um bocadinho todos os dias, olho para ti e vejo aquele bebé tranquilo e dócil que me puseram no colo, mal acabou de sair de mim. Tu, que és um bocado de mim, um bocado do pai e toda tu, amor.

7.2.12

Jogar ao Elástico.

Jogar/saltar ao elástico, quem se lembra? Quem se lembra das cantigas que entoávamos ao saltar? Alguém por aqui a sentir-se nostálgica e a dar para o cota?
O que eu gostava que a minha filha soubesse o que é um elástico para saltar.. na verdade, nunca mais vi as miúdas a jogar a isso.

"Gosto de ser selvagem na cama"

A frase não é minha, (respirem de alívio, que isto ainda não é o cabaret da coxa!) mas sim da querida Nereida, que parece que para aparecer faz qualquer coisa. Nem que para isso tenha de expor a sua vida sexual (passada e presente), a troco claro de uns quantos euros na carteira. Eu se fosse a menina, já me tinha feito à vida.. é que o corpinho de selvagem não rende a vida inteira.

Bom dia!

 é tudo o que peço.

6.2.12

Devo preocupar-me?

É que dou por mim a tentar adivinhar qual o preço da montra final do Preço Certo.. eu só tenho trinta e três anos..

Há momentos em que (eu própria) nem acredito..



- Sentiste?
- Senti, mamã.. qu'a granda pontapé!
(e a felicidade existe)

Nada melhor do que começar a semana..

.. à procura de um saco de plástico verde, para a pequena se mascarar (na escola) de melancia. A capacidade de imaginação é fenomenal no seio das educadoras, já para não falar que com este calor abrasador de Fevereiro, enfiar um saco de plástico pelas crianças abaixo, é uma coisa esperta.
E depois procurar um fato de abelha, que é o que a madame quer vestir nesta quadra, mais uns collants pretos, mais uma camisola preta, mais mil e quinhentas coisas para a abelha ir reinar no baile de carnaval (mais uma vez na escola! só que em dia diferente..). Se não simplificavam a coisa e orientavam a 'cena' assim para os pais terem um gasto só. Não sei, digo eu, que estamos em crise..

4.2.12

i know.

Há muito poucas coisas que me levantam o astral e que me fazem querer partilhar que há, de facto, coisas muito boas a ser feitas por esse mundo fora. Sim, os bolos de noz, os de chocolate fazem-me ficar bem-disposta. O sossego e a paz no meu lar também. Ouvir esta menina também.


verdades inquestionáveis


"O teu tempo é limitado, por isso não o desperdices a viver a vida de outra pessoa. Não te deixes armadilhar pelos dogmas - que é a mesma coisa que viver pelos resultados do que outras pessoas pensaram. Não deixes que o ruído das opiniões dos outros saia da tua própria voz interior. E, mais importante ainda, tem a coragem de seguir o teu coração e a tua intuição. Estes já sabem, de alguma forma, aquilo em que tu verdadeiramente te vais tornar. Tudo o resto é secundário".
Steve Jobs

Europa de branco