31.1.12

e depois de tudo, nós..



 
 .. que nada mais me importa, senão ver-te feliz, fazer-te feliz, envelhecer a teu lado, até que a morte nos leve aos dois. és o meu centro. é por ti que respiro.é por nós. [meu amado marido.]

que mais posso eu dizer? ou fazer?

A vida já me ensinou, diversas vezes, que estamos em constante roda viva. Uns dias em cima, outros em baixo. E a maior parte dos dias, em movimento. A subir ou a descer. Não há nada que enganar, não há que criar expectativas, nem em causas, nem em sonhos, muito menos em pessoas. E, na verdade, este tic-tac que é o meu coração, que faz correr o sangue nas minhas veias, lembra-me que sou humana, cada vez que tenho de levar outra 'bofetada' para acordar. Já nem sei se ria, se chore. De que me serve ter esperança de que as pessoas dão o seu melhor, que as pessoas são sinceras, que não querem ajudar a afundar ainda mais o Costa Concordia que é a nossa vida? Por isso, rendo-me. Nunca conseguirei saber a verdade toda, nunca conhecerei realmente os que me são próximos (porque na realidade as pessoas só se mostram quando querem ou quando não sabem que estão a ser vistas de longe), nunca conseguirei compreender como raio tudo isto se transformou nesta novela mexicana. Sobretudo, nunca conseguirei perdoar verdadeiramente, por não me terem dado a estabilidade emocional que tive de a adquirir sozinha. 
E é isto. Um infinito rol de situações, para as quais nunca estarei preparada [tenha a idade que tiver], das quais nunca saberei a completa verdade e as quais (provavelmente) nunca conseguirei entender/aceitar.
É isto. Exemplos que estão fora do meu ideal de vida, que vou riscar dos meus genes e que, de modo algum, seria capaz de transmitir aos meus filhos. 


30.1.12

saí de casa.

Que lindo está o meu Algarve, com as suas amendoeiras em flor, num dia assim, pintado de azul e branco. Que até me apetecia fazer poesia, não fosse o raio do frio que está lá fora. Nunca mais chega o verão, pá.. mas não.. até a porcaria do mês de Janeiro parece nunca mais ter fim. E sim, está um frio do caraças aqui no burgo.

Extremely Loud And Incredibly Close

este eu não vou querer perder. nem por um bocadinho.

[dos intemporais]


Devagar se vai ao longe.

Sou uma desgraçada. Tudo me acontece. Sim, tenho esta veia portuguesa a dar para o negativismo, para a desgraça, o horror e o drama. Sou quase uma Artur Albarran, acreditem. Depois de quatro dias de infortúnio, eis que os raios de sol parecem despontar no meu céu e já oiço qualquer coisa, lá muito ao fundo. O drama chegou ao ponto de eu insistir em pôr a míuda a ter aulas de linguagem gestual, não fosse a coisa dar mesmo para o torto. A televisão funcionou aos berros, caramba!, que uma pessoa também é gente e quer ouvir as notícias. Se falaram mal de mim, na minha cara, é bem possível que eu tenha sorrido sem saber para o quê.. é o que faço quando não oiço/não percebo/ou não ligo.. neste caso, não ouvi de todo. Tudo quanto era boca a mexer, provocava em mim o reflexo de sair um alto e estrondoso «O QUÊ?» e descobri que não sou tão boa a ler nos lábios como pensava. Mais uns dias e ponderava escrever um ensaio sobre a surdez. Mas não uma surdez qualquer, não senhora. Uma surdez que se apanha de forma completamente estúpida, em corpo de otite média.
Mas estas desgraças, muito choradas!, que é que pensam?!?, parecem ter os dias contados. Não quero já mandar os foguetes, mas o simples facto de já ouvir qualquer coisinha, é coisa para me deixar animada. Acho que já me sinto preparada para ir fazer compras online. Pronto, era isto.

28.1.12

.. e reza para que esta surdez momentânea passe.

27.1.12

Jesus, i need a break..

.. it's freaking me out!

e como se tudo já não chegásse..

.. toma lá uma conjuntivite.
Alguém me rogou uma praga forte..

Maldita dor de ouvidos, maldito nariz entupido, maldita dor de garganta.

Alguém conhece alguma mezinha mesmo boa para fazer isto passar? Ajudem uma grávida desesperada!

23.1.12

«If you knew» ♬

O bolo de côco que parece uma nuvem!

É que este vai já ser feito, nem vou esperar por dias melhores. Mesmo sem vontade nenhuma de ir pegar na batedeira, vou fazer-me à vida, porque este amigo está a fazer-me salivar, tal e qual os cães de Pavlov. Pronto, é desta que a manutenção das linhas redondas do abdómen se mantêm. Estou desgraçada..



a receita deste tentação hiper-calórica está aqui.

E foi assim..

Sábado, quase de primavera, almoço de preguiçosos (que é como quem diz, McDonalds) e levámos a pequena ao centro de ciência viva. O que ela adorou brincar com aquilo, a simulação de vulcões e tremores de terra.
Domingo, fizemos-nos à estrada. Almoço em Alcoutim, tarde no Alentejo, a passear por Mértola e pela vila de Mina de São Domingos. Ainda tivemos a sorte de encontrar um 'guia' alentejano que lá foi explicando à mini como era a vida há mais de quarenta anos, naquele lugar. Priceless!
À noite não podíamos com uma gata pelo rabo e parece que os ares do campo fizeram bem à pequena, pois parece que a maldita tosse está a dar tréguas. Quero muitos mais fins de semana assim. Quero!


20.1.12

E agora, licencinha.

Vou ali ter um fim de semana em grande e já volto.

Eu já previa isto, já..

.. depois de 30 anos juntos, os meus pais que se casaram com a bonita adulta idade de dezassete, por culpa do senhor meu pai [convenhamos], partiram a palha a coices. Ora, a senhora minha mãe, que nunca conheceu mais nenhum homem, senão aquele com que dormiu durante três décadas, apanha-se agora com a perna solta e o que é que acontece? É só amizades coloridas, na base das duas, três por ano. Eu mereço? Eu não mereço!
Não me importo nada (até agradeço!) que recomponha a sua vida, que encontre quem realmente a mereça, mas eu já não aguento muito mais tempo (sem corar até à testa) ouvir as descrições completas das investidas de namoro. Fazer o quê? Imaginar que estou num concerto de heavy metal, com um desgrenhado aos berros, enquanto ela fala. Para mim, quase como se só mexesse os lábios. Na minha cabeça, vai um funeral de notas musicais que nem imaginam!

A Luísa.

A minha amiga Luísa tem quarenta e picos anos. A vida sempre foi uma put@ com ela. Levou-lhe o amor da sua vida para os braços de outra; levou-lhe a mãe e o filho pequeno num incêndio, que também lhe levou as paredes da casa e tudo o que tinha lá dentro. Ficou ela e a filha mais velha, para viverem os estragos que a vida lhes deu. Há pouco mais de um mês descobriu que tinha um tumor. Na cabeça, que era para a coisa não ser fácil. Estava a tirar-lhe a visão, o discernimento, a capacidade de se dar com os outros. Em suma, estava a tirar-lhe vida. Há duas semanas que está para ser operada, raparam-lhe cabelo, fizeram exames, internaram-na, mas esqueceram-se de um pequeno pormenor: poderia a Luísa tomar qualquer tipo de anestesia? Em pleno bloco operatório, depois de lhe darem uma dose de cavalo, a Luísa entra em espasmos bronco-pulmonares. E a cirurgia é cancelada. Agora, espera poder fazê-la o mais depressa possível, enquanto aguarda em casa, sozinha, deprimida e de cabeça rapada (a lembrá-la de que o problema está lá), que os senhores doutores consigam compensar o erro. 

Não sei até que ponto podemos olhar para a nossa vida e achar que somos miseráveis. Eu olho para a minha amiga, que se ri à brava cada vez que brincamos com ela e só vejo uma força interminável e uma enorme fé. E rezo para que ainda possa ver, com os meus olhos, a minha amiga ter dias felizes. Embora tudo o resto.

19.1.12

i ♥ music

the good music -

conjugar o verbo vencer

Vou alimentando estes dias da melhor maneira que sei e posso. Não é difícil gerir tamanha avalanche de sentimento.s que deambulam pelo meu corpo. Nas incertezas e certezas, vou deixando o tempo passar, na esperança de que tudo esteja bem, como deve ser. E quando vou mais ao fundo da questão, as hormonas encarregam-se de me mostrar o meu lado bipolar, disparando para todas as direcções, sem ver caras nem corações. A alegria e a dúvida deitam-se muitas vezes comigo, partilhamos a almofada, como se fossemos trigémeas. Não me adianta nada andar num limbo, pois no final só resta uma coisa, agarrar-me à vida e conjugar o verbo vencer, uma e outra vez, como se de um novo começo se tratasse sempre. E no fundo, é isso mesmo. Cada dia que passa é um recomeço.

WeDay. Eu já dei!


É tão simples como fazer um like no facebook da weday. Ide, ide sem demora!

"Isto de ser imperatriz dá trabalho, cansa ser bela."

Palavras dele, dela (escolha!).. será que a audiência foi em Moscovo ou aquilo era para passarem desapercebidos? Já não há muito que espantar, quando vem desta alma!


O vídeo da reportagem, aqui.

para um fim de semana, que promete


visita às minas de São Domingos, cenário de tantos feriados na minha infância, uma visão maravilhosa da nossa terra, um espectáculo da natureza. vai ser aqui, o nosso domingo, por terras do baixo Alentejo.

(imagens daqui )

18.1.12

cinco anos depois. [so true]

"É quando já não esperamos nada das pessoas que elas morrem no nosso coração."


margarida rebelo pinto

the color of citrus..


As tangerinas são a minha última perdição. Muito mais do que um desejo, uma satisfação. A juntar as vitaminas boas que elas têm, parece que fazem muito bem aos bicharocos das constipações. 
Descobri este mingau, divina tentação dos gulosos e lambões como eu. E, pessoas, isto é absolutamente uma perdição.

podia ser um dia banal. pois podia.

acordei mil e quinhentas vezes durante a noite. a pequena foi atacada novamente pelos malditos bicharocos, e está entupida até cá acima, tosse e funga e tem ranho a ocupar-lhe as narinas. e não a deixa dormir, nem aos pais. e a febre também deu o ar da sua graça, é uma querida, nunca perde uma! resultado, mãe exausta, pai completamente desgraçado (que há quem tenha que trabalhar pela fresquinha nesta casa) e pequena a dormir refastelada às onze da manhã, como se não fosse nada com ela. estou lixada.

17.1.12

«Taí». Nara Leão, pessoas!


Quem disser a verdade, não merecerá castigo!

O que é que vocês fizeram às prendas de natal que receberam e que não gostaram? Vá, contem lá..

♪ dream a little dream of me ♪

não!, não é a versão da Aurea. Este rapazinho já consta dos favoritos. Em modo repeat. [ ]

isto é coisa para me deixar borradinha de medo


Imaginar que poderia ser uma hipótese a umas férias em família, com a pequena, desfrutar de uns dias (que se querem memoráveis e tranquilos) e que ainda há dias, falávamos que seria uma boa alternativa ao avião para podermos ir de férias partout.. oh God.. agora nem tão cedo. (é que para ajudar à festa, tenho um medo terrível de barcos e alto mar.. na minha vida passada, fui uma vitima do Titanic, for sure!)

16.1.12

mais um dos tachos e panelas

Adam Liaw, o vencedor do MasterChef Austrália, com um blog muito do clean, recheado de coisas muito interessantes para experimentar, numa cozinha, perto de si..

vamos lá exorcizar a coisa.

Afinal de contas, cinco anos se passaram. Viver assim não é para ninguém. Não quero mais, não permito mais, não me exponho mais a esta dor que é a tua falta. Se quisesses estarias aqui, se fosses mais humano, mais racional, menos egoísta e rancoroso. E para mim isto é um basta, um ponto final. Daqui para a frente, vou deixar de lamentar a tua ausência, de te sentir saudades nos momentos-chave. De hoje em diante, serei aquilo que me propus a ser, livre do estigma de não querer ser amada. Só está quem quer estar. Só permitimos uma mudança na nossa vida quando estamos preparados para ela. A partir de hoje, vou deixar-me de teorias idiotas saudosistas e sentimentalistas, permitindo-me também a mim ser bicho e não sentir mais nada do que a intuição da minha sobrevivência. Vou ser o fruto daquilo que semeaste, à luz da tua semelhança. Vou pôr em prática o que estes cinco anos me ensinaram. A ausência, o frieza, o simples não-querer-saber. E assim viverei melhor.

Já tenho saudades do natal.

(mandem-me internar, se faz favor.)

Diz que chove lá fora..


.. eu gosto de chuva, sim, quando estamos todos em casa, no sossego do lar. Acordar assim é que não! Dia tão feio para começar a semana..

13.1.12

have a wonderful weekend

i will.
até segunda!

treze

fui tão feliz, numa sexta-feira treze, quando eu e o meu homem nos rendemos aos prazeres do amor; fui tão feliz em cada dia treze em que comemorávamos mais um mês, mais um ano.. o treze para mim é sinónimo de sorte. ganhei um amor para toda a vida, daqueles que não se explicam. só se sentem.

Quando os dias começam bem



.. nada mais interessa! Tenham um dia fantástico, é sexta-feira!

12.1.12

(pequenino, pequenino reparo)

O meu ano de 2010 foi uma caca.. é só ver que em Janeiro deste ano já ultrapassei em número de posts o de 2010 todo. Desgraça que foram aqueles tempos.

A saga do nome - continua..

ENA! Tantos nomes nos comentários do post em baixo.. Em primeiro lugar pensámos em Simão, mas também gostamos de Manuel e de Francisco.. O padrinho é italiano e diz que, na Itália, quem escolhe o nome do afilhado é o padrinho.. até suamos quando pensamos que podem vir coisas como Marco Aurélio, César ou Augusto!! Não é tarefa fácil, não é.

PSSST! Façam-me o favor de chegar aqui!

Estou aberta a sugestões! 
Tendo em conta que a doutora aposta num menino, gostava de saber que nomes sugerem.
Não quer dizer que a escolha seja feita a partir daqui, mas às vezes embicamos com 'aquele' nome e acabamos por não nos lembrar de mais nenhum.. e quando, às vezes, já é tarde para voltar atrás, damos-nos conta de que até achávamos 'fulano' ou 'beltrano' um nome muito mais bonito..
E, verdade seja dita, vai aqui uma salsada para escolher o nome da criança, que é obra.
Ajudinha, sim? Agradecida!

«Não sou uma cabra, estou grávida!»


«Havia três palavras que me deixavam maluca sempre que as ouvia quando estava grávida:Como te sentes?
Eu sei, eu sei, parece demasiado simples. Alguém quer saber como te sentes! Que bom! Essas palavras, apesar de simples, pareciam-me muito pesadas durante a gravidez.
Como me sinto? COMO ME SINTO? Estou grávida, a minha barriga está a esticar, tenho desejos por manteiga de amendoim às 3 da manhã e o meu marido apelidou-me afectuosamente de 'Atarracada'. Como é que acham que me sinto?
As pessoas que me colocavam esta questão faziam-no sempre com um certo interesse. Punham a mão no meu ombro, inclinavam-se e pronunciavam essas três pequenas palavras, algo que esperava que o meu médico dissesse que era 'maligno' para o paciente.
As minhas hormonas na gravidez tinham um papel no modo como respondia. Tinha que morder a língua para não responder algo horrível sobre como realmente me sentia.
Como me sinto? Sinto-me a enfiar o meu pé no vosso rabo se me fizerem essa pergunta estúpida mais uma vez.»

Hilariante! A tradução em português aqui. A original aqui.

11.1.12

E as saudades que matamos quando recebemos a visita de uma amiga, que não víamos há muito?

Priceless!

dos outros amores da vida


Tinha cinco anos. Ela era quase do meu tamanho. Tentava abraçá-la para chegar melhor às cordas e era quase uma missão impossível. As cordas eram de aço, faziam os dedos doer muito. Chorei que me desunhei para a minha mãe me tirar daquela escola. Mas ela insistiu, que me fazia bem aprender música, nem que fosse fazer barulho. E ainda bem que insistiu. Até aos vinte anos, pertenci àquele grupo, que tantas experiências me deu a provar na vida. Onde quer que fosse, a viola vinha comigo, a tiracolo fazia parte do meu ser. Tocava o que me dava na gana, quando me dava na gana. O sentimento de rebeldia que te dão uns cabelos ao vento, enquanto tocas umas notas, como se mais nada no mundo importasse, senão aquele momento.. uma grande companheira, não tenho dúvidas nenhumas. E hoje, olho para ela, ali guardada no estojo, e às vezes as saudades rebentam pelas costuras e vou desenferrujar os dedos. Até sinto a emoção vir à flor da pele, como quando aos quinze anos, achei que seria grunge para sempre e que a minha vida era tocar. Ou quando aos dezoito decidi viver uma aventura hippie e a música era a deusa dos meus dias. Ou quando agora, aos trinta e três, dou graças por nunca me terem privado daquilo que sempre foi um dos maiores prazeres da minha vida, um motivo de orgulho, um escape, uma terapia. 

Bom dia, Aldeia!


Haja alegria no povo!

10.1.12

males do tempo

Nem imaginam o sacrifício que é estar completamente entupida até à massa encefálica, de ranho (muito ranho) e só poder fazer vapores, irrigações com agua salgada e beber litros de agua.. Nem imaginam o quanto me deixa fula da vida, querer respirar e não conseguir, porque andar de boca aberta a respirar dá-me vómitos (outra maravilha de estar grávida!).. nem imaginam o sacrifício que é dormir completamente entupida e andar às voltas e voltas.. e ainda ter de ouvir a pirralha de cinco anos, a gozar descaradamente com a mãe, porque em vez de dizer 'come', digo 'cobe' e ela diz que não sabe o que isso é! Que passe, depressa, por favor, antes que eu cometa uma loucura e corte o nariz!

good music like this

quem és tu e o que fizeste à minha mãe?


.. em modo de desespero.. a minha mãe moderna e cibernauta, anda a postar musicas dos Nirvana no facebook e diz que os gostos vão mudando. Que tal Julio Iglésias, mãe? Dino Meira? Que tal?

9.1.12

v8 do Adriano Zumbo

Surpresa das surpresas! Chegaram até aqui leitores querendo saber coisas sobre o 'famoso' bolo V8, do ainda mais famoso Adriano Zumbo. Pois eu gosto muito de pôr as mãos na massa, mas numa loucura destas não me atrevo. São demasiados ingredientes (alguns a dar para o carote!) que tenho imensa pena de deitar no caixote do lixo, caso a coisa não saia (como é de esperar..) como deve de ser.
Aos mais audazes e destemidos, àqueles que se pelam por desafios estrondosos e para aqueles a quem uma receita que poderá levar cerca de quatro (!) horas a elaborar, não os intimida, aqui vai o link com a receita. Meus amigos, minhas amigas, quem se atrever a levar esta 'insanidade' calórica a bom termo, que venha aqui dizer qualquer coisinha. Eu fico à espera.



Sinais dos tempos modernos

- a minha mãe consegue postar no facebook coisas que nunca me passariam pela cabeça; e parece que descobriu o youtube. está pró!

Há por aí fans do Masterchef Austrália?


É só clicar sobre a imagem. O blog é do fantástico Alvin Quah, um dos concorrentes do Masterchef Austrália. Para mim, um dos potenciais vencedores que saiu derrotado na prova do V8, um bolo de oito camadas do diabólico Adriano Zumbo!, o mais bem-humorado e aquele que transpirava mais 'amor' pela cozinha. Ok, os outros também, mas quando temos um favorito só lhe vemos qualidades, não é fans da Fanny?
Espreitem, espreitem, vá!

resoluções de ano novo

- procurar uma casa maior! Mr. T. ia tendo uma coisinha má quando lhe dei o mote..

7.1.12

{weekend} *


* basicamente: mimos, todos, bolos, chá, filmes e passeios na serra. sol e arrepios na espinha. o melhor almoço da semana e as melhores horas de riso. and i'm happy!

~ as palavras que te digo ~

como eu gostava de saber falar bem e com modos, às vezes, e não deixar que te sintas desamparado, sem saber o que fazer. não sei se é do feitio torto ou se das hormonas. desculpa.. eu sei que é uma missão quase impossível encontrar figos frescos em Janeiro.

Estes dois juntos são uma coisa..



If there ever comes a day when we can't be together keep me in your heart, I'll stay there forever.
(winnie the Pooh)

6.1.12

Fiz uma pausa nas compras..

.. só para vos dizer que pareço uma criança de cinco anos no Toys'r'us! Descobri o Continente online e nunca mais vou querer outra coisa. Façam de conta, por favor, que eu sou deste século e continuem a dar-me crédito, sim?
 (onde será que eu deixei a nave estacionada?!?)

Astrologia do Lidl

Diz a Maria Helena, na Dica da Semana, que esta é uma óptima altura para eu começar um curso de formação profissional. Fiquei arrepiada, confesso. Tinha estado momentos antes a pesquisar cursos para fazer enquanto não estupidifico de um todo com tanta televisão que tenho engolido nos últimos tempos.. Não dava um chavo pela senhora, mas.. e esta, hein?

king for a day

just for today {}

tarefas de um ano que mal acabou de começar.

- juntar todos os papelinhos e papelões com contas de médico e farmácia e educação e o diabo a quatro. A minha casa não tem buracos, mas às vezes parece.

5.1.12

Everyone should have legends. It allows us to dream.


.. como quando me disseste que nunca nada nos faltaria. Se tivesse lido as entrelinhas, nunca teria voado tão alto nos meus sonhos. Nunca terias sido uma verdadeira decepção.

quando é que me apercebi que o tempo cura?

quando olhei para o calendário e reparei que já lá vão quase cinco anos.

E demos graças ao senhor, pela boa música.

.. das memórias.


(...) Estranho poder este da lembrança: tudo o que me ofendeu me ofende, tudo o que me sorriu sorri: mas, a um apelo de abandono, a um esquecimento «real», a bruma da distância levanta-se-me sobre tudo, acena-me à comoção que não é alegre nem triste mas apenas «comovente»... Dói-me o que sofri e «recordo», não o que sofri e «evoco». 


Manhã Submersa, Vergilio Ferreira

4.1.12

Tal e qual uma desocupada, me confesso..

.. ando a papar as novelas todas da tvi. E a Sofia Alves aprendeu a representar, ou é impressão minha?

Não deixa de ter piada, esta verdade..


Das coisas simpáticas que o meu marido me diz..

Eu, algarvia de gema, vivi uns tempos em Espanha, o que não faz de mim espanhola, mas que nutro um carinho muito grande por aquele povo e pela sua cultura, pois sim! Vai daí, muito da minha personalidade foi criada em terras de nuestros hermanos e tenho o pêlo na venta e falo alto e gesticulo e faço a festa, lanço os foguetes e apanho as canas (e bato as palmas ainda!), quase nunca passo despercebida, não porque goste de dar nas vistas, mas porque a minha maneira de estar às vezes excede-se um bocadinho.. pronto, as gargalhadas às vezes são um bocadinho altas e excedo-me quando não me consigo controlar com comentários e afins..
O meu querido esposo, quando viu a Sofía Vergara pela primeira vez na série Uma família muito moderna, rematou com esta: só te falta o acento hispânico, o silicone e seres rica e és tal e qual a maluca que está ali
Um amor, este meu homem.


Mr. T. no seu melhor. (a verdade inquestionável)

Começa o ano com um valente resfriado e parece que tem de ser mantido nos cuidados intensivos.. os homens  com gripe são muito mariquinhas.

Brand New Day (dream)


Dream 
Send me a sign 
Turn back the clock 
Give me some time 
I need to break out 
And make a new name 
Let's open our eyes 
To the brand new day 
It's a brand new day!

1.1.12

1/1/12

This is the first one of 2012! Comecemos o novo ano com alegria! Feliz 2012!