29.9.11

La Oreja de VanGogh



esta é a nova musica dos espanholitos e está tão boa que até merece o video completo. pronto. fã me assumo. :)

(e quando tudo corre menos bem, ainda bem que te tenho)

(ouvir aqui)



a mudança. (*o que tem de ser..)

Quando dizemos coisas como "as pessoas não mudam" deixamos os cientistas loucos porque, a mudança é literalmente a única constante em toda a ciência. Energia. Matéria. Ela está sempre mudando, transformando-se, mesclando-se, crescendo, morrendo. É a maneira como as pessoas tentam não mudar isso que é natural. Como nos apegamos à maneira como as coisas estão em vez de deixar as coisas serem o que são. A maneira como nos apegamos às memórias mais antigas em vez de formar outras novas. A forma como insistimos em acreditar que, apesar de todas as indicações científicas, nada nesta vida é permanente. A mudança é constante. Como nós experimentamos a  mudança é que depende de nós. Podemos senti-la como a morte ou como uma segunda chance na vida. Se abrirmos os nossos dedos, soltarmos os nossos apertos, formos com ela, podemos senti-la como pura adrenalina. Como a qualquer momento podemos ter outra chance na vida. Como a qualquer momento, podemos nascer de novo.



* ..tem muita força.

28.9.11

das vontades que me dão..


.. de te esborrachar com beijos quando me contas que, daqui por uns dias, tu e o Alexandre (ou será o Manuel?!?) vão casar e tu vais ter bebés, que vais passear num carro verde..

parece-me bem. sabe-me bem.

os dias contigo têm outro sabor. gosto-te. tantinho.

23.9.11

Hoje é dia de festa!

Faz hoje 5 anos que fui mãe. A minha vida mudou, claro, como mudam as vidas de todas as mães do mundo. Sei que por ela sou capaz de tudo, de despir a pele se tiver de ser. Porque ser mãe é isto mesmo: criá-los, mimá-los, alimentá-los, lamber-lhes as feridas, amá-los. Acho que foi a lição de vida que mais me fez crescer enquanto pessoa e fez querer de mim um mundo melhor para que a minha cria possa crescer e viver livremente e feliz.

 Hoje ela faz 5 anos. Uma mão cheia.

20.9.11

Pequena grande menina.

Como em todas as grandes etapas (e as pequenas, também), que ela passou, os nossos corações de pais (afogados em baba) quase quiseram saltar boca afora, quiseram sair do peito, porque a nossa pequena, nem que já meça um metro e setenta e passe os dias enfiada no quarto a ouvir musica de adolescente, será eternamente um bebé.
Parece que foi ainda ontem que me puseram no colo aquele pequeno ser, meio metro de gente que me olhava com os olhos mais lindos do mundo e que cheirava a mim. Parece que foi ontem, que o meu dia era passado de peito de fora a alimentá-la. Parece que foi ontem que deixámos de ser nós os dois e passamos a ser ela. Por ela. E  hoje, mochila às costas, bata amarela e o sorriso mais nervoso que já lhe vi nos lábios, vai para a escola.
Parece que ainda foi ontem que estava para me tornar accionista da BebéGel e participar nos lucros da Nutribén e hoje, abro os olhos e tenho uma pirralha que já tem mais material para comprar para a escola que um universitário num curso inteiro.
Como em todas as grandes etapas da vida dela, estamos mais uma vez, presentes. Com  o coração apertado, como se nos fossem arrancá-lo mais uma vez, para fora do peito. Nervosos com ela, por ela, pela experiência que se avizinha. Vai haver a fase da euforia e dos dias em que os olhos vão inundar de àgua por não querer lá ficar.. mas, minha filha, crescer é assim mesmo. E hoje, mais uma vez, damos-te a mão, quando cruzares aquela porta da escola. E ficaremos a vêr-te ir. E estaremos à porta, quando o dia acabar. Tens um mundo inteirinho para descobrir. E apostamos que vais adorar.

12.9.11

Por estas paisagens que se seguem, ando a contar os dias..

.. E Dezembro ainda tão longe!
Malta, vamos a Malta!

11.9.11

11 set 2011

10 anos depois e este mundo continua uma autêntica selva.. O bicho homem nao aprende.

10.9.11

5.9.11

Vamos lá falar de coisas sérias.

Estava eu agarrada ao café matinal, quando dou atenção ao que passa na tv e vejo isto. Pois que é nada mais, nada menos do que uma 'reportagem' que nos põe a par de um bando de acéfalos que anda à solta no norte do país.
Este blog não é político. Não entro em campanhas, nem tiro partidos. Este blog é de uma cidadã, que paga os seus impostos, que trabalha honestamente, que cumpre com as suas obrigações, que respeita o próximo, que sabe que tem direitos mas que também tem os seus deveres, que tem a obrigação moral de educar a sua filha conforme as 'leis' de vida em sociedade. Este blog é de uma mulher que ama a liberdade, que quer andar tranquila na rua, que não quer ter de andar trancada até aos dentes dentro do seu próprio carro, que não gosta de olhar para todos os lados antes de entrar numa caixa multibanco. Este blog é de uma mãe que luta todos os dias para que nada falte em casa, que quer dar uma educação e um futuro à sua filha, que quer vê-la crescer sem medo de brincar na rua, que quer deixá-la na escola sem medo que a assaltem, que a magoem. Este blog é de um ser humano que respeita todos aqueles que vivem à sua volta, como todos os seres humanos que se relacionam comigo.
Depois de ver isto, não posso deixar de concordar com o Sr Barra da Costa. Até quando nós que, com mais ou menos euros na carteira ao fim do mês, que lutamos diariamente para levantar este país, temos de suportar situações destas? Não estará na altura de começarmos a evoluir e impedir que nos ameacem e atormentem o futuro?
Somos um país livre, acolhedor, pequeno, de valores. Todos são bem-vindos. Mas apenas deveríamos permitir que aqui ficasse quem sabe viver em sociedade, quem quer construir um futuro, quem se sabe comportar como ser humano. Porque aquilo que eu assisti, nem os animais têm maldade para fazer.

Da minha ausência, do meu regresso.

Pois que estive assim a dar para o enclausurada no trabalho, pois com o fim de Agosto há que mandar para as suas terrinhas os milhares e milhares de bifes, holandeses, alemães e avecs que inundaram o meu Algarve. E em casa as coisas não se previam melhores: arrumações, mudança no quarto da pequena, mais arrumações porque do quarto da pequena se espalha tralha até à dispensa... enfim. Dias não muito bons em termos de relax.
Para acabar em alta, os meus amigos resolveram fazer um daqueles jantares bem regados. Resultado? Domingo passado agarrados à almofada, a rastejar pela casa, alapados ao sofá.. foi a maneira mais fácil de aguentar o Mr. T a levar com dois episódios da Anatomia de Grey, sem reclamar muito.. :)

De volta. À rotina.