30.8.11

a dar para o morta, ainda com um bocadinho de vida.

é isto. sou este farrapo de gente.

[férias, please.. férias.]

26.8.11

Para os dias que se seguem..


.. ainda só arrumei meia-estante e já estou quase a desistir.
É a minha falta de vontade e o telefonema de 40 minutos que a minha prima me fez desde Montpellier, que qualquer coisa serve de pretexto para a preguiça.

ufa..

.. quarto da pequena comprado (lojas até às onze da noite de ontém), encomendado e entregue daqui a dias. Mais uns quantos acessórios, e mais umas coisas que ficam bem.. uma secretária/estante que finalmente vai ocupar o nosso escritório situado na faixa de gaza, mais uns armários que lá ão ficar um mimo.. e assim se dá cabo de um orçamento, mas paciência: tinha de ser.

Agora, arrumar tudo. Essa é a parte que eu não gosto. Acho muito mais divertido andar na loja a escolher..

25.8.11

O melhor de ter um blog.

Não é pelo simples facto de vir aqui e vomitar o que me vai na alma, sem que me interrompam ou mandem palpites (podem fazê-lo, claro.. mas sempre é em diferido); não é pelo facto de ser muito mais cómodo poder estar ligada ao mundo sem ter que sair de casa, e poder fazê-lo despenteada, ainda de pijama sem ninguém a chamar-me de louca. O melhor de ter um blog não é vir aqui postar coisas bonitas, vestidos, músicas, pensamentos e sonhos. O melhor de ter um blog não é fazer de conta que isto é um diário dos tempos modernos. Não é pela popularidade, nem pela esperança que alguma editora nos ache piada e queira fazer disto um best-seller. Não é para saber quem é que tem mais jeito a escrever, nem melhor olho para a coisa ficar aqui toda bonitinha..
O melhor de ter um blog é ser lido. E com as nossas palavras alguém sentir o mesmo que nós sentimos.

O melhor de ter um blog, são vocês.


(obrigada, S. .. este é especialmente para ti.)

(sound)



Preguiça, preguiça..

Maneiras que é isto. Acordei mole, mais mole que as papas. Tenho uma casa inteira para dar uma volta (coisas que implicam panos do pós, aspirador, esfregona e balde e força nos braços), tenho de pensar numa maneira de redecorar um quarto que ali tenho que mais parece a faixa de gaza (é um misto de escritório, com quarto de arrumação, quarto de brincadeiras e onde passo a ferro), espero pelo Mr T. para irmos à Conforama ver de um quarto para a cachopa. Entre almoço e jantar e mais umas quantas coisas, tenho esta preguiça enorme.. tão grande que para aqui estou e já me devia ter ido embora.

Bom dia!




..haja alegria!

24.8.11

p.a.i. (posso amar-te infinitamente?)

Todos perdemos alguém na vida. Sem ter morrido, o meu pai achou que não queria mais fazer parte da minha vida, trocando uma familia por outra, assim como quem troca a roupa interior. Assim. Duro e frio como o aço. A minha filha tem quase 5 anos e ele, pura e simplesmente, não a conhece, porque não a quer conhecer. Eu, de caco a pó transformei-me em tudo e mais alguma coisa que possam imaginar. Batí no fundo e voltei a levantar-me porque as circunstâncias da vida não nos permitem andar sempre de rastos. Hoje sou uma pessoa diferente. Hoje há um grande buraco no meu peito, que não acalma por visitar um túmulo. Simplesmente nunca soube onde chorar uma pessoa que desapareceu da minha vida. E que era o meu herói. Não fiz luto, não o enterrei. Mas, tal como acontece com os mortos, deixei de ouvir a sua voz, de o ver, de o sentir, de me rir com ele, de me abraçar a ele, de dançar com ele. Tudo porque ele assim o quis.
Já se passaram 5 anos e dói como se tivesse sido ainda há bocado. Tirei todas as fotos da minha vista, tentei borrar a lembrança daquela valsa desajeitada e nervosa que dançámos no meu casamento, o passo sentido com que me levou ao altar, tentei esquecer-me do som da sua voz e do seu cheiro. Do meu pai, aquele que seria sempre o único verdadeiro homem da minha vida.

Sempre que oiço esta música, não consigo controlar as emoções. Choro compulsivamente porque, simplesmente, acredito que cada sílaba foi escrita para mim. Embora a vida esteja toda à minha frente, desde aquele dia, eu crescerei até que nasci.

Amuos conjugais.


 - Olha lá.. a viagem fica tão barata. E o Hotel? 4 estrelas, com Spa, cinco noites, baratíssimo.
(ele ainda se levantou para vir espreitar o que eu lhe estava a relatar entusiasmada)
 - hum-hum...
 - Óh amor! Pronto. Vamos a Malta!
 - Calma lá, que eu não sei se podemos tomar já essa decisão.
 - Pronto. Já tou mesmo a ver que não vou ter férias.

Eu tenho 3 vidas

1. a minha; (que é uma loucura, mas é o que se arranja e estamos felizes!)
2. a que os outros inventam; (que tantas vezes mais parece uma novela da TVI.. com tanto argumentista e realizador à minha volta, se a coisa pega, o Tózé Martinho nunca mais se endireita na vida)
3. a que a minha mãe acha que tenho! (já se vai contendo, mas aos 18 anos, a frase que mais ouvi daquela santa boca foi 'rica vida que tu tens!'.. obviamente mãe e filha a viver em realidades paradoxais! )

23.8.11

um dia a minha mãe disse-me..



- .. já não tens idade para calçar essas coisas!


(ainda bem que não lhe dei ouvidos)


22.8.11

É infalivel.

Experimentem colocar o vosso companheiro, que o que no máximo consegue fazer na cozinha é ir buscar uns frangos assados à churrasqueira, em frente à televisão, quando assim por acaso (olha que coincidência!) está a dar o Jamie. E experimentem gabar os dotes culinários do moço. E reparem nas reacções. Não demora uns 10 nanossegundos para que o vosso master-chef da Telepizza, comece a pôr defeitos, a chamar-lhe nomes pouco próprios e a dizer que aquilo é tudo ficção.
Rematem com «era um sonho ter alguém que cozinhasse assim cá em casa» e a ebulição fica completa. Ou amua e diz que já sabia que era um zero nesta casa, ou afina e diz que se quisesse também fazia aquilo. Agora, o tempero: desafiem-no para tentar fazer uma refeição daquelas. Resultado: «Sai mais caro comprar uma Bimbi às prestações ou irmos jantar fora?»



.. é o karma. A culpa disto é da rica mãezinha.

São 1:45 da manhã.

Ainda nem há quatro horas deixei o aeroporto, já aqui estou agarrada a um relatório que nunca mais é final e que já deveria ser há muito tempo, que tem de estar pronto e enviado amanhã pela fresquinha. E a vontade é mais que pouca, tanta que já me pavoniei pela casa umas três ou quatro vezes, já enchi a pança de salada fresca, já bebi um café longo, fiz umas 15 pausas, espreitei continuamente dois episódios do Spartacus (isto qualquer dia dá um post inteirinho só para o Andy Whitfield), tive xixi e sede umas duas vezes.. e nada. Relatório, que é bom, nada.. Tá bonito.



amanhã quero ver quem acorda..

21.8.11

Deus ouviu as minhas preces!!

Andava eu a pedir aos santinhos todos por umas férias nas Caraíbas. Vai daí, São Pedro, que é um querido, manda-nos a trovoada, a humidade, o calor abafado, os chuviscos, os 30º graus à noite.. e os tubarões a dar à costa! Posso pedir mais? Se não vou para os trópicos, vêm os trópicos até mim. (:

19.8.11

i miss my peaceful days..


Há coisa mais deprimente?

Pedem-me para fazer o pino e eu faço mortais encarpados. Pedem-me para produzir mais, eu produzo milhões. Pedem-me para vestir a camisola, eu visto a camisola, as calças, a roupa interior, o casaco e o boné. Pedem-me força, eu armo-me em super-mulher. Pedem-me compreensão, eu dou uma de Madre Teresa. Recompensas?

...


(ainda estão a ouvir as moscas como eu?)


...


.. as recompensas vão para outros. Provavelmete tão empenhados como eu. Ou não. É triste.

16.8.11

Blogger meu, blogger meu..

.. o que foi que te aconteceu?

(depois dizem que a malta muda de casa..)

12.8.11

what i ♥ ..



... no final da semana. Preparar-me para mais uma partida. Estou de volta no Domingo. Bom fim de semana, minha gente!

(me)

I like being a mess. It's who I am.

11.8.11

a prova de que nem sempre tenho bom gosto.

.. pelos menos na manicure.

Eu juro que vou ser simpática, agora..

Depois de comentar este post , segui-se uma resposta que, no mínimo, me fez suspirar de desespero e resolver falar de trabalho (explicitamente) aqui no blog.

Ora, aqui está ela:

Então, vamos lá! Para quem não sabe, eu trabalho no aeroporto de Faro, já vai para 7 anos e picos. Diariamente tenho contacto com centenas e centenas de pessoas. A sua grande maioria, de nacionalidade inglesa, alemã e holandesa. Diariamente temos situações tão insólitas com os passageiros, que apesar de nos apetecer partir-lhes as rótulas e pisar-lhes a cabeça, temos de nos conter e manter o profissionalismo, porque o passageiro é o nosso cliente. E cliente que se quer que volte, tem de ser 'bem tratado'. Obviamente, um aeroporto não é o da Joana e não podem andar a fazer o que lhes apetece, nem achar que podem trazer tudo o que lhes dá na mona para bordo. É para isso que existem senhores e senhoras que se levantam às 2 e às 3 da manhã para ir trabalhar, no sentido que estes senhores e senhoras (vulgo passageiros) tenham uma viagem segura. Se concordam ou não com as regras a aplicar, com os procedimentos, isso são outros quinhentos. O que é certinho como o destino é que estas medidas de segurança têm de ser aplicadas. E ponto.
Agora, voltamos ao que me trouxe hoje aqui: esta senhora (que assina Mónica), diz que em Faro implicam com tudo e antipatia não falta.. Pois: em primeiro lugar, a mim pagam-me para ser profissional e educada, não para ser a miss simpatia. O que é bem diferente. Entre educação e simpatia pode haver uma linha ténue, mas é bom que não se confundam.
Parece-me a mim que estamos aqui perante um caso típico e chama-se Ryanair. Desde que se lembraram de inventar este maravilhoso voo, que a nossa vida não foi mais a mesma. Em primeiro lugar, temos de lembrar os passageiros com destino ao Ryanair do Porto, que estamos num aeroporto, não num terminal da Renex. Quando se viaja de avião, é aconselhável estar no aeroporto, pelo menos 2 horas antes da hora de partida. E não é para ficarmos contentes por termos casa cheia! É para prever situações inesperadas. Desde que a grande maioria dos passageiros do Ryanair do Porto, descobriram o check-in online, acham que podem aparecer no controlo 15 minutos antes do avião partir. Ora, 15 minutos antes do voo partir, já o avião tem a porta encerrada e já ligou reactores, para aquecer.. Convém também lembrar que, se no Porto, a companhia de segurança não cumpre com as normas impostas pela União Europeia, a culpa não é nossa. É deles. E se eles não a cumprem, quando as mesmas estão escarrapachadas em cada check-in, são anunciadas no som de hora-a-hora e estão sob consulta em tudo o que é sítio, então é melhor encerrarem o aeroporto do Porto, porque é perigosissímo para a aviação civil. «Ahhh.. você trás aí acido sulfúrico numa garrafinha pequenina, dentro da mala.. ahhh.. mas como eu sou tão simpática, vou deixá-la passar.. veja lá se não molha ninguém com isso dentro do avião!» Ao invés de os achar uns amores, eu fazia queixa deles! Mas, isso sou eu, claro..
Quero deixar uma coisa bem clara: a grande maioria de passageiros problemáticos, são os estrangeiros, não os portugueses. Isso, porque temos, para o continente uma média de 4 a 5 voos por dia, ao invés dos outros todos que são internacionais. Portanto, assim se explica. Contudo, o grande problema dos portugueses é o chico-espertismo que muitos possuem, a má formação e má educação que possuem e a mania que têm em pensar que são seres superiores de outra galáxia e que o senhor segurita (custa muito dizer apenas segurança!) só foi trabalhar naquele dia para implicar de propósito com eles. Custa-me dizer isto, mas, pelo mesmo preço do bilhete na Ryanair, também se compra o bilhete do autocarro. Demora mais tempo, mas ao menos podem levar a soda caustica sem ninguém para chatear.
Desde o low-cost, andar de avião banalizou-se. E as pessoas não têm consciência do trabalho que envolve concretizar um avião seguro (em terra e no ar). A isso, chamo eu burrice.
Todos os dias, somos insultados, injuriados, atiram-nos com os objectos pessoais, já me encharcaram com uma garrafa despejada literalmente em cima, somos agredidos verbalmente constantemente, entre muitissimas coisas que davam outra história. Mas, o que é certo é que por aí leio que tiramos cremes e àguas, mas não leio que 'salvamos vidas', quando um maluco tenta passar com gasolina dentro da inofensiva garrafa de plástico, que apreendemos armas e objectos proibidos, que aparentemente pertencem a pessoas aparentemente inofensivas.
Na melhor segurança do mundo, passaram 19 pessoas, em aeroportos diferentes e conseguiram sequestrar 4 aviões comerciais. Pouco tempo depois, deu-se um dos piores ataques à aviação civil, no maior atentado feito nos EUA. Estavamos a 11 de Setembro de 2001 e morreram 2993 pessoas. Os terroristas utilizaram sprays químicos contra a tripulação, como gás lacrimogêneo ou spray de pimenta, bem como  ferramentas manuais multi-funções e simples x-actos. Nenhum vestígio de explosivos foi detectado nos locais dos atentados.
Falamos de vidas. Trabalhamos com vidas. Continuam a preferir que sejamos uns amores de incompetentes? Eu prefiro ir para casa, com a consciência de que cada voo chegou ao seu destino, são e salvo.

I'm in love with Hollister.







10.8.11

Abençoado Lidl..


.. santo supermercado das mães aflitas e super-ocupadas, que em três tempos põem na mesa uma lasagna boazinha, vá.. (lidl, que as lasagnas pré-feitas dos outros supermercados que já experimentei, não lhe chegam aos calcanhares, quanto mais ao tempero!)

9.8.11

Lose Yourself In the Music



                                      Pitbull - Rain Over me ft. Marc Anthony

true.

There is no force more powerful than the will to live.

8.8.11

E para o lanche..


.. bolo de fubá, regado com um delicioso batido de morango. :)

das coisas que a idade me ensinou..

.. uma delas, foi a aceitar o que a natureza me deu para exibir. Já fui adolescente, com as hormonas aos saltos, engordando e emagrecendo à velocidade-luz, cada vez que o coração acelerava ou tinha uma paragem por causa de desgostos amorosos. A quantidade industrial de chocolates e porcarias que comi, achando que as borbulhas passavam com Clerasil. As delicias que ingeri e se alojaram para todo o sempre nas ancas e no rabo, em forma de celulite.
Fui mãe. Uma das mais incriveis experiências da minha vida. O meu corpo mudou para conceber a minha princesa. De pêra, passei a melancia. Os pés pareciam patas de elefante. O peito, bem, nem comento a força que a gravidade pode exercer num peito que amamenta. Demorei a ficar com o corpo habitual. E quando lá cheguei, por virtude de se me ter dado um achaque psicológico (essa história fica para outro dia), emagreci mais do que devia. Ao ponto de nem sequer gostar de me ver, esquelética que estava.
Hoje, sinto-me bem com o corpo que tenho. E tenho cuidados, claro. Mas não vivo aprisionada a uma imagem, a uma dieta, a um ideal de beleza, a um peso máximo, a uma medida. Quando me apetece abrir a boca para os deleites alimentares, nem sequer penso duas vezes. Embora depois ande a ressacar dos excessos.
Para mim, basta-me olhar à minha volta e sentir que estou bem. Não precisamos ser uma Barbie para sermos felizes.


Praia do Barril.. ou o paraíso.

Hoje, a praia do Barril (Tavira) estava um espanto. Água quentinha, um pouco de vento para não torrarmos ao sol; boa gente, boa companhia. Um belo domingo, aqui passado..




6.8.11

This is what i need..







Eu devia estar muito bêbeda e nao me lembro!

O que é certo é que uma colega, no trabalho, espeta-me com um frasco de verniz e diz-me: "pinta! É um Rosinha bonito, fica bem!"
E eu, qual amiba acéfala, vou nas cantigas desta gente. E, pimba, num momento de menos stress espetei com o rosa-choque nas amostras de unhas que tenho!
Resultado: esconder as mãos de toda a gente, quando possível; acelerar o passo no fim do dia e ir a correr para o frasco de acetona como se fosse para tirar o pai da forca.

Aqui fica a prova, para a posteridade, que euzinha, dona do seu nariz, jamais deverei pintar as unhas com as cores que as outras gostam.. Sob o risco de para alem de pirosa, as pessoas começarem a saber que eu nao tenho qualquer jeito para pintar as próprias unhas.

5.8.11

Tendo em conta o meu ultimo post..

.. aqui vai o que realmente incomoda e ninguém têm coragem de o dizer! Haja alguém (maluquinho ou não) com sentido de humor..

1.8.11

meu querido, mês de Agosto..



... ou passas depressa ou eu vou parar a Tires por cometer uma loucura qualquer.. mais uma luso-descendente proveniente de lá France a dar-me cabo da paciência e é certinho como o destino.

A minha filha só diz verdades!

Olha para a televisão e diz muito espantada:


- Olha! A mamã está na televisão!


Fui olhar e era a Julia Roberts.

 

(of course que fiquei vaidosa a triplicar, como é que a gaiata descobriu que a mãe é sosia da Julia, aliás, as pessoas costumam confundir-me com ela na rua. é ela e a Marta do Big Brother, é sim senhor! ..e o pai ainda andou ali uns segundos a micar as semelhanças.. casou com uma vedeta e ainda não tinha descoberto! )