29.9.09

Está decidido.

Vou voltar a estudar.

27.9.09

E em dia de eleições..

.. aqui vai um bocadinho de história, para os menos esclarecidos. Cantada, claro. Que sem ela, nada disto tinha sido possível hoje.


Sou fã.

Sou mesmo. Tive a oportunidade de ver a série que fizeram sobre a sua vida e obra, aqui há uns anos e penso que não é tão celebrada como merecia. O que é uma pena. Infelizmente do outro lado do Atlântico, só se lembram do Carnaval, do samba e do futebol.. as preciosidades que de lá brotaram são muitas vezes esquecidas. E penso que Chiquinha Gonzaga é um exemplo disso. Aliás, foi um exemplo para as mulheres da época.. sou fã. :)
(mais sobre a sua vida e obra, aqui )

Fell in love with an Alien

Tantas recordações..


26.9.09

Chove.

E a terra cheira bem aqui.
E faz um friozinho agradável.
E o céu pintou-se de cinzento e branco.
Parece que chegou mesmo o Outono por estas bandas..

25.9.09

Para ler quando não me lembrar das promessas que faço.

« Chorei, mas não sei se alguém me ouviu, e não sei se quem me viu, sabe a dor que em mim carrego e a angústia que se esconde.. vou ser forte e vou-me erguer, ter coragem de querer, não ceder nem desistir, eu prometo.. Busquei nas palavras o conforto, dancei num silêncio morto e o escuro revelou que a luz em mim se esconde..vou ser forte e vou-me erguer e ter coragem de querer, não ceder nem desistir, eu prometo. »
[voz de Mariza com Boss AC em Mantem-te Firme]

23.9.09

Hoje estou feliz.

Faz 3 anos que experenciei a melhor e maior das alegrias da minha vida.
Faz 3 anos que a minha vida mudou completamente.
Faz 3 anos que passei a viver com o coração apertadinho a cada minuto.
Faz 3 anos que passei para segundo plano na minha própria vida.
Faz 3 anos que os meus dias ganharam outro alento.
Faz 3 anos que aprendi o que é viver para outro ser.
Faz 3 anos que fui mãe. :)


21.9.09

Aqui não se safou..

.. o querido(a) leitor(a) que chegou ao meu blog, depois de uma exausta pesquisa no Google [esse grande maluco!], com a seguinte dúvida: «camisola de lã encolheu como desencolher».. pois.
Não sei se, por estas bandas, terá ficado muito esclarecido, que, realmente, é coisa que nunca me passou pela cabeça escrever assim de propósito, uma vez que sou uma assassina de camisolas de lã e era uma autêntica vergonha vir para aqui falar disso. Acho sim, que algures neste blog, jaz um post que fala daquilo que torna a vida a dois uma coisa maravilhosa: como por exemplo, estragar a roupa do mais-que-tudo e ficarmos, mesmo assim, com um sorrisozinho parvo na cara e babarmos amor por todos os poros do corpo e achar que não vale a pena deitar uma relação abaixo só porque o nosso companheiro acabou de deitar fora os 70€ que custou aquela maravilhosa camisola da Massimo Dutti.. enfim.. mas truques de magia, por aqui, ainda não, estimados!
Não sei mesmo como fazer desencolher uma camisola de lã que encolheu.. não sei, mas aceito de bom grado que também me digam como se faz. É que sou uma estragadona..

Ora.. nem mais!


Passamos a vida nisto.. embora um lar não se resuma a isto, pelo menos 5 dias da semana são passados assim. São os frutos da era moderna.. E um gastar de combustível maluco!!!

18.9.09

O meu colega satânico.

Tenho um colega, que namora com outra colega, que é um prato. Completamente contra o casamento religioso, cada vez que estou com ele, faço-lhe a cabeça em agua.. «É o sonho de qualquer mulher.. faz lá o gosto à rapariga.. todas as mulheres sonham com o vestido, com o dia.. quando a visses, vestida de noiva, até te vinham as lágrimas aos olhos».. E ele que não. Nada feito. Diz que uma casa com bonecos de gesso não lhe diz nada. E diz ainda que a mãe e a avó, se o ouvissem, davam-lhe cabo da cabeça.
Então, qual cupido, lá me pus a inventar soluções para a coisa. E porque não numa quinta, por exemplo? Mandavam vir o senhor do registo civil e faziam a cerimónia lá. Depois de muitas florzinhas, lacinhos, branco, balões e toda a qualidade de tralha para embelezar um espaço para um casamento, ele salta-se com esta:

- E que tal numa gruta? Hã? Com chamas à nossa volta, satânicas, e em vez do coro, púnhamos Rammstein a tocar. Hã.. qué que dizes? Hã? Boa Ideia!!

Não tem solução este moço.

14.9.09

Aprendam com o mestre.

Afinal ele está vivo!

Eu vi o Michael Jackson às compras no modelo de Faro!

[só porque meio mundo já o viu andar por aí desde que esticou o mocassim!]

13.9.09

Máximas desta vida..

Mulher não chora.. lava é as pupilas com alguma frequência.
Estamos entendidos?

«A verdadeira Oportunidade»

Uma das palavras que mais maltratadas têm sido, no entendimento que há delas, é a palavra oportunidade. Julgam muitos que por oportunidade se entende um presente ou favor do Destino, análogo a oferecerem-nos o bilhete que há-de ter a sorte grande. Algumas vezes assim é. Na realidade quotidiana, porém, oportunidade não quer dizer isto, nem o aproveitar-se dela significa o simplesmente aceitá-la. Oportunidade, para o homem consciente e prático, é aquele fenómeno exterior que pode ser transformado em consequências vantajosas por meio de um isolamento nele, pela inteligência, de certo elemento ou elementos, e a coordenação, pela vontade, da utilização desse ou desses. Tudo mais é herdar do tio brasileiro ou não estar onde caiu a granada.
Fernando Pessoa, in 'Teoria e Prática do Comércio'

4.9.09

Essa desconhecida entranhada em mim.


Começa por ser estranha, depois entranha-se de tal forma que quando menos esperamos já tomou conta de nós. Não é tão fácil como parece deixá-la partir, mesmo com a consciência plena de que é o melhor para nós. Há dias em que nos domina por completo. Há outros que nem damos pela sua existência. Os maravilhosos amigos que nos deixam moles, felizes, apáticos, sonâmbulos, sem sentido ou reacção não são a solução eterna. Embora ajudem.. Quando tudo dentro de mim grita que se quer ver livre deste estado de letargia, parece que há uma pequena parte do meu cérebro que não responde, que não se manifesta, que não faz nada para que isso mude. E do riso, da alegria, da espontaneidade, da vontade de viver livre e feliz, vem a apatia, o choro, o pensamento constante que me tira a vontade de fazer o que quer que seja. Ninguém nos ensina como viver com isto, mas também ninguém nos ensina como deixar de o fazer. Embora ajudem.. Parte de nós arranjar forças, sabe-se lá onde, para lhe fazer frente. Parte de nós arranjar soluções, distracções, novos pensamentos. Parte de nós a nossa própria cura. Embora não seja fácil, embora demore, embora nos esgote e nos transporte para um estado de fragilidade, embora quase nos enlouqueça..
Não me sinto completamente livre dela. E sei que não estou. Quando o mundo pára à minha volta, especialmente quando estou sozinha, ela vem sentar-se a meu lado, tenta meter conversa, insiste e insiste e insiste, tenta jogar-me a baixo para mais facilmente entrar, penetra nos meus pensamentos como se fosse éter que me atordoa.. não sei quanto tempo tenta levar-me de novo com ela.. talvez sejam 10 minutos, talvez meia-hora, talvez mais.. sei apenas e tão só que aprendi que se a ignorar ela acaba por desistir. Embora venha, todos os dias, sempre que pode, tentar-me. Então fico, quieta, pensando em todas as coisas boas que tenho, enquanto ela vai investindo no seu propósito. E quieta, sem sequer a fitar, vou ignorando a tentação de embarcar de novo num caminho obscuro. Até que ela desiste e vai embora.. mas deixa sempre o recado, de que promete voltar.
[venha.. estarei pronta.]

2.9.09

E do nada..

.. surgem boas notícias. A fé nunca desaparece. As portas fecham-se, mas abrem-se janelas. Alguém lá em cima olha por nós.. :)
Não.. nunca estamos sozinhos.. nunca estamos abandonados. E saber disso dá-nos animo para continuar a caminhar. Todos os dias. Todos.

1.9.09

E então, estamos assim..


.. com uma forte dor nas costas, que me apanha até o andar. Tudo culpa do magnífico emprego que tenho, pois tá claro. Mas, na hora de ir ver um especialista, o sr doutor de meia-tigela, diz-me que eu não tenho nada nos ossos. Boa. Até aí já eu tinha chegado e não andei 10 anos na universidade de medicina a queimar pestanas. Será tendão, nervo, músculo? Não.. que ideia! O que eu tenho é uma simples lombalgia, que mal consigo andar, já ando nisto à quase 2 meses e ele diz-me que isto não é nada.. :

E o melhor: o tratamento. Ben-U-ron prás dores (fantástico!) e ande muito que isso passa.. e já agora, o sr doutor não me quer dizer como, se eu mal dou um passo sem que me doa até o cabelo? Pois. O sr doutor não quer saber disso para nada. O que interessa é que despachou mais uma, ganhou o dele e o resto que se lixe. Volto lá para a semana, se bem me engano (e espero enganar-me mesmo - para meu próprio bem) para lhe dizer que continuo na mesma, que as dores ainda aqui estão e que andar muito não ajudou a curar a coisa.


E pronto, a este sr doutor, só tenho uma coisinha a dizer-lhe: