28.3.09

A minha primeira vez.

À hora marcada lá estava. Nervosa. Como se quer para uma primeira vez, que para estas coisas nunca se sabe bem ao que se vai.
Ele pôs-me à vontade. Foi um querido. Começou devagar, sem querer interferir muito no meu espaço e dando-me espaço para que eu também me abrisse e me deixasse levar. Conversar é importante.. só assim podemos dar o passo seguinte.
Quando dei por mim, já ia toda lançada. Sem medos, sem nervosismo. Dei por mim a pensar que afinal não custava nada. Fui uma tola ao pensar que podia ser mais dificíl. O que realmente custa é começar.. depois gostasse e sentimos-nos bem.
Quando terminou saí mais confiante. Talvez determinada a resolver o que me vai na alma. Com os pontos todos nos ís.. pelo menos os primeiros ís, os primeiros pontos. Uma coisa de cada vez. Tudo a seu tempo, que Roma e Pavia não se fizeram num dia!
E foi assim.. a minha primeira vez com o meu psiquiatra!

21.3.09

o MR Genial!

19 Março 2009 - Lisboa - Campo Pequeno

Chegámos ao parque de estacionamento ainda não eram seis da tarde. O P. e o C. com a galhofa do costume: ele é rabeta, viemos ver o «Jason de São Braz», concerto de maricas, isto é só pra moças pequenas, viemos fazer de babysitters?!?

Risos, galhofa, boa-disposição, o lanchinho no simpático centro comercial do Campo Pequeno. Eles continuavam no ataque ao coitado do artista. Nós, as gajas, riamos e olhávamos uma prá outra em sinal de consentimento: «Coitados, não sabem o que dizem.. não podem vir à capital.. e as montanheiras somos nós!!»


19h30 entramos na sala. Nunca tinha estado no Campo Pequeno. Fiquei abismada. Por fora parece pequeno, ou será que parece maior? «Ta-ta-ra-ráaaa... ÓLÉ!» portas de camarotes pequenas, pra rabetas como o «jason de são braz» [estes gajos estão impossíveis.. não podem sair de casa!]

Na plateia vamos ficando rodeados de todo o estilo de pessoas.. tias, tios, betos, altos, magros, camones, cotas, pitas, graúdas. Havia sol lá dentro.. tanta gente de chapéu, senhores. Pegou moda!!

O C. e o P. sofrem de incontinência. De 10 em 10 minutos têm de fazer a fila toda saltar dos lugares. Têm xixi, querem beber.. : Já desesperamos porque nunca mais começa.. «Tóni, Tóni, Tóni.. ah não viemos ver o Tóni?» [este C. é uma paródia]


1ª banda.. é.. foi boazinha.. vá, vão-se lá embora que queremos ouvir o Mraz. 2ª banda.. atão??? quem raio és tu, rapariga? Até nem cantas mal, mas um pouco paradinha.. va lá que deste de fuga ao fim da 4ª música, que a malta quer mesmo ver o Mraz. Eu e a A. já riamos que nem umas perdidas, que o que nos saía da boca não pode ser aqui reproduzido!!

E eis que lá vem o artista. Campo Pequeno em apoteose. Nós também. O P. e o C. calados [deve ser algum tipo de reacção!].. e como que por magia, fez mesmo sol no Campo Pequeno. Jason Mraz é o artista. Não consigo descrever por palavras o que senti, vi e ouvi.. foi o melhor concerto que já assisti.

«Mr Curiosity» levou-me até ao céu.. «Bella Luna» emocionou-me.. e «Lucky» arrepiou-me a alma! Ao fim de 20 minutos o P. e o C. estavam rendidos.

Valeu o dinheiro, valeu a pena, valeu sim senhor.. :)

Quando chegámos ao algarve, às 4h30 da manhã, ainda considerámos ir até ao Porto para vê-lo outra vez. valia o esforço. Se valia.

Se alguém pensava que Jason Mraz é só 'I'm Yours', ficou completamente provado que não é. Jason Mraz é um senhor que nasceu para cantar. E bem.

8.3.09

só pra não dizer que não!

Frases sábias..

Quiero el que no tengo, pero tengo a lo que quiero..