29.6.07

Brasil, brasileiros e afins..



.. Deve ser uma terra bonita. Só a sua extensão faz adivinhar as maravilhosas paisagens que lá se vislumbram. Mas que não me fascinam. Perdoem-me os nativos, não é uma questão de racismo, é apenas uma questão de gosto. De gostar e não gostar. Gosto da diversidade da paisagem brasileira. Acho que por este país só tenho mesmo o gosto geográfico. Estudei língua portuguesa e concluindo, a língua brasileira é uma 'versão' da portuguesa, é uma 'mixórdia' da língua portuguesa falada no séc XVI com dialectos índios e africanos. Portanto: nem a proximidade linguística me agrada.
Acho que o falar doce, arrastado, meloso só denota manhosice, cinismo.. a sério, desculpem-me a franqueza, mas é aquilo a que me soa: falso. Ninguém pode estar sempre 'numa boa, cara!', a vida não é um 'show de bola', nem sempre é 'tudo jóia' porque metade é mesmo uma merda.. é a realidade.
Favelas, meninos de rua, pobreza, ladrões, vigaristas, mulheres desesperadas por um europeu (homem ou passaporte, tanto faz!), novelas que só mostram a vergonha escondida do brasil, violência, assassinos, droga, contrabando, desemprego, fome.. isto é 'bacano'?!? Porque se tem praias bonitas, coqueiros, Porto Galinhas e o Amazonas, o Caetano e o Pensador, Jorge Amado e boiadeiros, fazendas e ilhas privadas, picanha e feijão preto, porque se tem Carnaval no Rio, Salvador da Bahia, porque existe o samba, o Brasil é um grande país? É, sim senhor, em extensão, em geografia, em quilometro quadrado, não em qualidade.
Todos os países do mundo, sem excepção têm bom e mau. Sendo justa, o meu país tem mais de pior do que de melhor. Tem o maior indice de desemprego da Europa, tem os ordenados mais baixos da UE, tem os piores governantes, tem as leis mais estúpidas, tem gente burra, tem as cunhas, também tem vigaristas e ladrões e droga.. mas tem um povo realista embora conformista. Sabemos que nos esfolamos a trabalhar, mas não passamos fome 362 dias por ano para gastar uma fortuna em 3 dias de Carnaval.
Todos aqueles que já foram alguma vez ao Brasil são consensuais: é tudo muito bonito, mas o povo mete pena. Não vendem as mães porque nós ainda não compramos esses 'recuerdos' pra trazer à familia. Se não, por quaisquer 10€, marchavam. A pobreza e a miséria são as palavras mais repetidas nos discursos. E isso é bonito de se ouvir? Não me parece. E como tal, cada vez menos tenho vontade de conhecer esse país.
Os brasileiros têm o instinto de sobrevivência inato. É o salve-se quem puder, como puder e por onde puder. Daí a musicalidade na voz feminina, muito 'fogosa e gostosa' para inebriar os corações lusos. Não atraem por si só, então toca a utilizar os bonitos corpos que Deus lhes deu. Trabalhar em Portugal por uma tuta-e-meia, arranjar um português e importar a familia inteira depois de casadas (e, 'pois tá claro, nacionalizadas), é o bê-á-bá que elas aprendem de pequenas. E isto, note-se, as de familias médias-baixa.. porque as de 'baixa', vêm para a Europa pela via mais baixa de todas: a incúria do corpo feminino, o desrespeito pelo próprio ser, o vender do corpo, para não ser cruel de um todo! E o português é um alvo fácil. Fala quase a mesma língua, pode ser um cavalo para uma portuguesa mas um 'panhonha' com uma brasileira, põe a casa, a mesa, a cama e a conta bancária à disposição e se, depois de completamente chulado, levar com um valente pontapé, ainda é capaz de ir buscar outra brasileira.
Não me levem a mal, não me interpretem mal.. apenas não acho piada nenhuma a este povo, tal como também não acho piada aos colombianos, nem aos alemães, por exemplo. E tenho amigos brasileiros. O que até é um bocado controverso.. Não generalizo porque, como já referi, há bons e maus. Acredito e sei que o Brasil tem gente muito boa, gente honesta, trabalhadora, lutadora, bonita por dentro e por fora. Mas, infelizmente, a minha experiência com brasileiros, deixa-me este fel todo que me escorre das pontas dos dedos e deixa-me este amargo na boca, e este azedume nas idéias. Foi por causa de uma brasileira que fiquei com a vida de pernas pró ar. E como não é fácil engolir, quem diz o que pensa não merece censura (pelo menos depois do 25 de Abril).. Não gosto. Não consigo gostar. Nem vou tentar fazer um esforço.

28.6.07

O porquê dos porquês.

Quando tentamos ter respostas para tudo, entramos num beco sem saída. Sim, isso mesmo. Não se trata do grau de inteligência, nem do Q.I., nem do intelecto, nem da perspicácia.
Por mais agudeza de espírito que se tenha, o porquê dos porquês é sempre uma carga de trabalhos, uma dor de cabeça.
Porque é que estamos assim, porque vivemos desta forma, porque viemos aqui parar, porque é que nascemos pobres, porque é que alguns são putridamente ricos.. porque estamos com determinadas pessoas e porque é que algumas se afastaram das nossas vidas. Porque é que não nos lembramos de coisas simples e não conseguimos esquecer casos complicados? Porque é que sonhamos com o impossível, porque é que o possível é tão aborrecido ao ponto de não o desejarmos?
Porque é que lutamos, porque choramos, porque berramos? Porque sorrimos, porque brincamos, porque amamos?
Porque é que sentimos 'aquele' friozinho na barriga, porque é que sentimos ódio? Porque é que sentimos saudade e sentimos desprezo? Porque é que rezamos, porque acreditamos, porque mentimos, porque evitamos?
O verdadeiro porquê dos porquês é porque somos humanos. E fazemos coisas inexplicáveis. Só quem tem o engenho subtil, a humildade e a inocência pode entender esse estado. Esse estado de graça. E poucos são. Quisera eu, mas sou humana..

25.6.07



- Mine too.

Love Today (..ou do mais louco que há!)

Doom da da di da di Doom da da di da di

Everybody's gonna love today,
Gonna love today, gonna love today.
Everybody's gonna love today, gonna love today.
Anyway you want to, anyway you've got to,
Love love me, love love me, love love.

I've been crying for so long,
Fighting tears just to carry on,
But now, but now, it's gone away.

Hey girl why can't you carry on,
Is it 'cause you're just like your mother,
Little tike, like to tease for fun,
Well you ain't gonna tease no other,
Gonna make you a lover.

Everybody's gonna love today,
love today, love today.
Everybody's gonna love today,
Anyway you want to, anyway you've got to,
Love love me, love love me, love love.
Girl with a groove with the big bust on,
Big bust on, big bust on.
Wait till your mother and your papa's gone,
Papa's gone
Momma, momma papa, shock shock me,
Shock shock me, shock shock.

Everybody's gonna love today,
Gonna love today, gonna love today
I said,
Everybody's gonna love today, gonna love today,
Anyway you want to, anyway you've got to,
Love love me, love love me, love love.

Carolina sits on ninety five
Give her a dollar and she'll make you smile.

Hooker, what a looker, walk away!

Carry dresses like a kid for fun,
Licks her lips like they're something other,
Tries to tell you life has just begun,
But you know she's getting something other
Than the love from her mother

Everybody's gonna love today,
Love today, love today
Everybody's gonna love today,
Anyway you want to, anyway you've got to,
Love love me, love love me, love love.

Girl with a groove with the big bust on,
Big bust on, big bust on.
Wait till your mother and your papa's gone,
Papa's gone
Momma, momma papa, shock shock me,
Shock shock me, shock shock.

I said,
Everybody's gonna love today,
Gonna love today, gonna love today
I said,
Everybody's gonna love today,
Gonna love today,
Anyway you want to, anyway you've got to,
Love love me, love love me, love love.

Doom da da di da di Doom da da di da di Doom da da di da di Doom da da di da di.....

Everybody's gonna love today,
Gonna love today, gonna love today
Everybody's gonna love today,
Gonna love today,
Anyway you want to, anyway you've got to,
Love love me, love love me, love love.

Doom da da di da di Doom da da di da di Doom da da di da di Doom da da di da di.....

Mika

15.6.07

Psst..


voltou o inverno?!?

patience

Just have a little, patience

I'm still hurting from a love I lost,
I'm feeling your frustration,
But any minute all the pain will stop,
Just hold me close inside your arms tonight,
Don't be too hard on my emotions

Cause I, need time,
My heart is numb, has no feeling,
So while I'm still healing,
Just try and have a little patience,

I really wanna start over again,
I know you wanna be my salvation,
The one that I can always depend,

I'll try to be strong, believe me,
I'm trying to move on,
It's complicated but understand me,

Cause this scar runs so deep,
It's been hard,
But I have to believe,

Have a little patience.

Cause I, I just need time,
My heart is numb has no feeling,
So while I'm still healing,
Just try, and have a little patience,

Have a little patience,
My heart is numb has no feeling,
So while I'm still healing
Just try and have a little... Patience


(Take That - 2006)

Me by Warhol

14.6.07

10 anos.

Nem sempre foi tudo lindo, nem sempre os dias foram de festa, nem de alegria. Houve discussões, desaguisados, houve tristezas, lágrimas, gritos, bater de portas.. houve risos, loucuras, passeios, descobertas. Houve desilusões, partidas e chegadas, houve começos e fins. Destes dez anos ficam as memórias, as boas e as más e as menos más também. Ficam as trocas de olhares e de beijos, as festas, os carinhos, as palavras certas nas horas certas, os consolos, o ombro amigo, o corpo todo! Fica o refúgio nas horas de tempestade e o conforto no cansaço. Fica o compartir de um sorriso e de uma lágrima. Fica o consolar de um pranto e o velar de uma febre. Ficam os pratos na mesa e a roupa lavada. Ficam também aqueles cozinhados intragáveis e a roupa branca que ficou azul ou a camisola de lã que encolheu ao tamanho de um Pin&Pon! Ficam as noites em branco e os despertar às quatro da tarde. Ficam os escaldões no verão e as noites de cinema enroscadinhos no sofá. Ficam as horas de aflição e as horas de alegria. Fica a amizade, o carinho, o respeito, a paixão, o amor. Ficam as preocupações e os raspanetes, ficam os conselhos, ficam as risadas e as provas de amor. Fica o dia mais bonito da nossa vida, fica a prova viva do nosso amor. Ficamos nós.
Fez no dia 13 de Junho de 2007, dez anos. Venham mais dez. Mais vinte. Temos muito amor para isso.

10.6.07

Quem é que eu tenho que subornar..

.. para me oferecer um brinquedo destes?



Hein?

9.6.07

Singularidades de uma rapariga..

.. ainda que não seja loura ou loira (dependendo de quem lê, claro!), se bem que o termo correcto é LOURA.

Chateio-me muitas vezes porque, as pessoas são muito 'poucochinhas', ao ponto de apontar o dedo aos outros, ou por aquilo que são ou por aquilo que têm, ou pelo que pensam ou pela aparencia.. E eu não escapo aos mirones.
Já dei por mim muitas vezes na boca do povo e ficava (passado) magoada com isso, porque não entendia porque raio haveriam as pessoas de falar de mim. Com o passar do tempo, fui-me apercebendo que os pobres de espírito só falam da vida dos outros.. aliás, o ignorante é o que mais fala (seja do que for!)!.. e deixei de dar importância. Mas, analisando aquilo que sou ou que tenho, até percebo o porque de ser notícia na boca do povinho. Mais que não seja, por ser única, singular..
Ora, pensando eu na vidinha que tenho e na que me é permitida ter, ocorreu-me que, apesar de passar a vida em queixumes até sou mocita para ter uma vidinha tranquila. Senão, vejamos: tenho casa e dois carros à porta, uma mota na garagem, um marido do best (quando não acorda com o rabo virado prá lua), uma filhota adorável (que qualquer dia me anda a pedir dinheiro, pra sair à noite, namorar com um pindérico qualquer de piercings e afins.. que o tempo não anda depressa, voa a jacto!), tenho bons livros nas estantes e optima música em mp3, tenho uma educação acima da média e alguns (poucos mas bons) amigos do peito com quem contar nas horas dificeis.
Se bem que nem tudo são rosas, o que planei para mim, como emprego (que trabalho já me chega o que dá passar a ferro e cozinhar e limpar a casa..), não é nada do que actualmente tenho, se bem que até nem aí me posso queixar. Até nem recebo mal, nem nada.. o intelecto, a capacidade, a inteligência que se lixem, que hoje em dia, as empresas só olham para os números e não para o que somos ou o que sabemos.
Portanto, a saber: não durmo numa barraca, não estou casada com um marginal, a minha filha ainda não tem idade para namorar um freakazóide e não dependo do subsídio de rendimento garantido (ou prémio de consolação, como eu gosto de lhe chamar!), a minha leitura de cabeceira não é a Maria e não tenho por hábito ouvir o Clemente no rádio.. so, so far so good, que não estamos nada mal.
E, perdoem-me os mais susceptíveis a ofensas culturais, que não tenho nada contra o Clemente ou contra a eloquência da Maria. Não fazem é o meu estilo.
E a pergunta que se segue: e onde está nisto a singularidade?
Moral da história: não somos cada um de nós um ser único e especial? A minha singularidade está naquilo que sou, que tenho, que professo, que penso, que digo ou que sonho. E é por isso que não há mais nenhuma igual a mim. Com os meus defeitos e as minhas qualidades, é o que temos. E quem não gosta, deita-se ao lado. Certo?

Ohh!



Fim de semana e nós em casa de folga? Deve estar algum santo pra cair do altar, não?

8.6.07

Neuras.

Sim, que também as tenho, que uma gaja não é de ferro e que isto de parecer (ou ter de ser) controlada, que já sou crescida e mãe, e coisa e tal, não tá mesmo com nada.
Neuras. Neurótica, ando assim. Ele é porque a roupa não me serve, mas o que é que eu quero se ainda há 8 meses fui mãe, e tinha um barrigão de fazer inveja ao Pavarotti, e não há dieta nenhuma que me sirva, e gastei 20€ numa porcaria qualquer que comprei na farmácia e não dá resultado nenhum, só sabe mal, e não durmo as horas que devia e as horas que o dia tem são poucas prás milhentas coisas que tenho que fazer, e trabalho como uma camela e recebo pouco e gasto muito, e às vezes não tenho paciência nem sequer para ouvir os meus pensamentos, que quem me dera estar nas Caraíbas e apanhar sol e gozar do dolce fare niente e andar a laurear a pevide todo o santo dia.. e quando penso que não posso, neste momento, de maneira nenhuma, satisfazer a minha vontade, entra-me uma neura daquelas... pff.

7.6.07

Estou numa fase pink.



E do alto do meu ego feminista, eu quero uma destas JÁ!

Londres..

.. foi lindo!
Pensava que ia ter um daqueles momentos estilo deja-vu, por causa dos filmes e do que vemos na tv, mas não aconteceu. Adorei. Adorei cada esquina, cada passeio. Os bairros são lindos, as casas, o Hide Park, o Big Ben, é tudo lindo.
Amei Notting Hill.. ora aí está um lugar onde não me importava de morar. Aquele bairro é o meu estilo, senti-me bem, em casa.. enfim.. hei-de lá voltar, com mais tempo e disfrutar ao máximo aquela cidade!